Adquira 2 ou mais Cursos CPT e ganhe Frete Grátis.

Como os cogumelos se reproduzem?

Os fungos podem se reproduzir sexuada ou assexuadamente desde que toda a fase de obtenção de matrizes e produção de “sementes” ocorra em boas condições assépticas

Como os cogumelos se reproduzem


Os fungos podem se reproduzir de duas formas: sexuada ou assexuadamente. No entanto, independente do método, toda a fase de obtenção de matrizes e produção   de   "sementes"   deve   ocorrer   em   condições   assépticas,   sob condições de ambiente ou câmaras de fluxo laminar de ar estéril, onde todo o ar é filtrado, através de filtros bacteriológicos adequados.

Segundo Dr. Augusto Ferreira da Eira, professor do Curso a Distância CPT Cultivo de Cogumelo Medicinal - Agaricus blazei (Murrill), em Livro+DVD e Curso Online, “Seja qual for a via de obtenção da matriz primária, deve-se evitar selecionar   o   crescimento   miceliano   do   tipo   "flufly"   (semelhante   a algodão), o qual poderá produzir estroma (micélio estéril), reduzindo a produtividade. O micélio rizomórfico, que é semelhante a raízes, deve ser usado   para   preservar   a   produtividade   e   qualidade   de   basidiomas   em   matrizes dicarióticas. Setores e micélio cotonoso podem indicar variações genéticas no isolado e, quando isso ocorre, outras características do cogumelo podem ter sido afetadas”.

A reprodução sexuada



A reprodução sexuada não é necessária para o processo de produção de sementes. Ela é utilizada somente por pesquisadores e algumas empresas de produção de sementes com o objetivo de produzir novas variedades com alguns critérios de seleção predefinidos, normalmente, para melhoria da produtividade e qualidade do produto, ou, ainda, adaptação ao ambiente como a temperatura. Além de ser um processo difícil e caro, é bastante demorado, pois, depois de serem os cogumelos produzidos por esse processo, eles têm que, necessariamente, passar por um processo de seleção, separando-se somente aqueles que atingirem os objetivos predeterminados. Depois da seleção, o cogumelo é, então, multiplicado pelo processo de reprodução assexuada.

A reprodução assexuada



A reprodução assexuada ou vegetativa ocorre por multiplicação de qualquer fragmento do cogumelo, mantida sobre um substrato favorável e em condições adequadas, principalmente em relação à umidade e temperatura. A principal vantagem da reprodução assexuada é que os cogumelos produzidos dessa forma apresentam as mesmas características do cogumelo do qual foi retirado o material. Assim, as características são mantidas como o potencial produtivo, as características do corpo de frutificação, como a cor e o formato, e também outras características como a sensibilidade à temperatura. Quando o fragmento se desenvolve no substrato, o fungo ocorre como micélio vigoroso e, pela reunião de hifas, formam-se estruturas rizomórficas (cordões de hifas macroscopicamente visíveis).

Produção de “sementes”



A produção de matrizes secundárias, chamadas pelos produtores de “semente” ou “spawn”, é o material que os produtores adquirem para inocular o substrato para a produção de cogumelos. Ela é obtida pela transferência de pequenas porções de micélio da matriz primária para frascos contendo substrato do tipo grãos, serragem ou fibras que servem como composto. O substrato é acondicionado em frascos, vedados com tampas que possuem um orifício central, onde é colocado um tampão de algodão para troca gasosa.

Esses recipientes passam, em seguida, pelo processo de esterilização durante duas a quatro horas a 1 atm ou 120°C. Após resfriamento, os frascos são inoculados em condições assépticas e incubados à temperatura de 25°C, durante 20 a 30 dias, período suficiente para que ocorra a colonização total do substrato. Obtidas as matrizes secundárias, estas serão usadas para a produção do inóculo ("semente" ou "spawn"). Dessa forma, quando as hifas de cogumelos crescem em grandes quantidades de substratos, sendo os mais utilizados os grãos, a serragem, os materiais celulósicos ou minerais enriquecidos, sob condições axênicas, recebem os seguintes nomes:

- Inóculo (termo diretamente ligado aos propágulos viáveis do fungo, as hifas).

- Inoculante (que, além do inóculo, inclui o veículo sólido ou substrato, como serragem, grãos e outros - traduz melhor esse material sólido com o crescimento do fungo).

- “Semente” (por suas relações com a propagação que, no caso dos inoculantes para cultivo de cogumelos, seria assexuada ou vegetativa e ainda “spawn”, que é um termo genérico na literatura mundial próximo a inoculante ou “semente”).

Conheça os Cursos a Distância CPT, em Livros+DVDs e Cursos Online, da área Cogumelos Comestíveis.
Por Silvana Teixeira.

Salvar

Cursos Relacionados

Curso Cultivo de Cogumelo Shiitake Curso Cultivo de Cogumelo Shiitake

Com Prof. Dr. Augusto Ferreira

R$ 338,00 à vista ou em até 10x de R$ 33,80 sem juros no cartão

Frete Grátis 2 ou mais Cursos
Saiba mais
Curso Cultivo de Cogumelo Medicinal - Agaricus blazei (Murrill) Curso Cultivo de Cogumelo Medicinal - Agaricus blazei (Murrill)

Com Prof. Dr. Augusto Ferreira

R$ 338,00 à vista ou em até 10x de R$ 33,80 sem juros no cartão

Frete Grátis 2 ou mais Cursos
Saiba mais
Curso Cultivo de Cogumelo Shiitake em Substratos Curso Cultivo de Cogumelo Shiitake em Substratos

Com Prof.ª Fernanda Silveira

R$ 338,00 à vista ou em até 10x de R$ 33,80 sem juros no cartão

Frete Grátis 2 ou mais Cursos
Saiba mais

Deixe seu comentário

Avise-me, por e-mail, a respeito de novos comentários sobre esta matéria.

O CPT garante a você 100% de segurança e confidencialidade em seus dados pessoais e e-mail.
Seu comentário foi enviado com sucesso!

Informamos que a resposta será publicada o mais breve possível, assim que passar pela moderação.

Obrigado pela sua participação.

Outros artigos relacionados à área Cogumelos Comestíveis

Últimos

Mais Lidos

Atendimento Online
Quer Facilidade