WhatsApp SAC (31) 98799-0134 WhatsApp Vendas (31) 99294-0024 Ligamos para Você Central de Vendas (31) 3899-7000
0

Seu carrinho está vazio

Clique aqui para ver mais cursos.

Plantas calmantes

Algumas plantas têm efeito calmante, mas devem ser consumidas com cautela

 

 A passiflora (flor do maracujá) é uma das cinco plantas reconhecidas como fitoterápicas pelos cientistas.

Desde a Antiguidade, o homem usa as plantas como remédio. Considerando-se a quantidade imensa de espécies disponíveis na natureza, até hoje, poucas tiveram a eficácia comprovada. Provavelmente, o efeito mais buscado é o de calmante, mas até agora os cientistas certificaram uma pequena quantidade de plantas tranquilizantes.

Dados da Organização Mundial da Saúde (OMS) revelam que mais de 10% dos brasileiros têm depressão grave. Para curar esse mal, os médicos costumam receitar ansiolíticos, que combatem o estresse e a ansiedade. Mas, eles causam problemas sérios de dependência, além de distúrbios do sono e da alimentação. Portanto, os fitoterápicos seriam uma boa alternativa a esses remédios?

Primeiramente, precisamos entender a diferença entre plantas medicinais e fitoterápicos. Estes são medicamentos submetidos a testes científicos que confirmam sua eficácia. Portanto podem ser processados, comercializados e inclusive são receitados por muitos médicos. Já as plantas medicinais são usadas a partir da observação empírica, baseada no uso contínuo.

Além disso, é importante destacar que na maioria das vezes elas não substituem os medicamentos tradicionais, apenas complementam a prescrição médica. Sendo assim, é bom sempre consultar um médico.

Uma vez que o uso empírico tenha demostrado a eficácia da planta, alguns médicos chegam a recomendar plantas medicinais como tratamento complementar. No caso dos calmantes naturais, os fitoterápicos são uma boa alternativa aos medicamentos convencionais, por serem eficazes e não possuírem efeitos colaterais. Assim, são recomendados em casos de depressão mais leves e para controlar o estresse e a ansiedade do dia a dia.

Existem 5 tipos de plantas certificadas hoje por suas funções calmantes, são elas a melissa (conhecida também como erva-cidreira), camomila, erva-de-são-joão (só pode ser comprada com receita médica, pois é mais forte e combate a depressão), valeriana (raiz) e a passiflora (é a flor do maracujá, a mais comum).

Essas plantas, mesmo com a aplicação fitoterápica, também são utilizadas como plantas medicinais, já que é habitual o uso delas em chás. Por sinal, essa é a forma que os médicos e os especialistas da área indicam o consumo para obter efeitos calmantes. Além disso, eles recomendam cautela e a busca por um conhecimento especializado.

A química Maria Luiza Sartório, especialista em plantas medicinais e professora do curso Farmácia Viva, elaborado pelo CPT – Centro de Produções Técnicas, explica que as plantas devem ser usadas para auxiliar o tratamento de doenças e sintomas comuns do dia a dia, como gripes, resfriados e outras enfermidades mais leves. No caso dos calmantes, eles são eficientes no tratamento da ansiedade e do estresse, mas devem de fato ser manipulados com muito cuidado.

Por: Maria Clara Corsino.

Deixe seu comentário

Avise-me, por e-mail, a respeito de novos comentários sobre esta matéria.

O CPT garante a você 100% de segurança e
confidencialidade em seus dados pessoais e e-mail.
Seu comentário foi enviado com sucesso!

Informamos que a resposta será publicada o mais breve possível, assim que passar pela moderação.

Obrigado pela sua participação.

Últimos Artigos

Artigos Mais Lidos

Fique por dentro das novidades!