WhatsApp SAC (31) 98799-0134 WhatsApp Vendas (31) 99294-0024 Ligamos para Você Central de Vendas (31) 3899-7000
0

Seu carrinho está vazio

Clique aqui para ver mais cursos.

Torne realidade o sonho de viver do que você ama! 20% OFF nos cursos online + 5% OFF pagando no cartão

Produção de pepinos em estufa - salinização do solo

A salinização consiste na deposição de sais na superfície do solo, trazidos pela evaporação da água. Não conhecer seus sintomas sobre a cultura de pepinos pode afetar o sucesso da produção

Produção de pepinos em estufa - salinização do solo

 

A salinização consiste na deposição de sais na superfície do solo, trazidos pela evaporação da água. É importante, então, que o produtor de pepinos saiba tudo a respeito desse fator, pois o não tratamento correto implica na possibilidade de perda da produção. Sendo assim, conhecer os sintomas apresentados pelos pepinos devido à salinização do solo, saber como retardar ou minimizar os efeitos da salinização e conhecer os sais com menor potencial de salinizar o solo, é muito importante para o sucesso da produção.

O pepino é uma das culturas mais sensíveis à salinização, apresentando os seguintes sintomas:

- Crescimento desuniforme das plantas, pois afeta a absorção de nutrientes;

- Plantas raquíticas e definhadas;

- Queda da produtividade;

- Murchamento da planta

Para retardar ou minimizar os efeitos da salinização, pode-se adotar as seguintes medidas:

1. Colocar alguma fonte de adubo orgânico: melhora o solo para o preparo; reduz as perdas por
erosão.

2. Utilizar racionalmente os fertilizantes industrializados: pois pode aumentar a condutividade,
por exemplo quando se utiliza nitratos e sulfatos de amônio, cloretos de potássio ou
acidificar utilizando por exemplo: sulfato de magnésio, fosfato diamônico, nitratoto de
potássio entre outros; portanto evitar aplicações exageradas.

3. Preparar adequadamente o solo: umidade do solo; evitar pé-de-grade; utilização de
subsoladores.

4. Evitar fertirrigações diárias ou seguidas. A irrigação por gotejamento pode acelerar a
salinização.

5. Dimensionar corretamente o sistema de irrigação: nunca subdimensionar; o sistema deve ser
suficiente para fornecer em excesso.

6. Sistema de drenagem suficiente.

7. Utilização de água de boa qualidade: baixa condutividade elétrica.

8. Utilização de “Mulch”: gotejamento não faz a lavagem do solo

9. Promover a lavagem superficial do solo.

Sais com menor potencial de salinizar o solo

- Nitrato de potássio Sulfato duplo de potássio e magnésio

- Nitrato de cálcio Bórax

- Monoamôniofosfato Sulfato de cobre

- Nitrato de amônio Sulfato ferroso

- Fosfato de potássio Sulfato de manganês

- Sulfato de potássio Molibdato de sódio

- Fosfato monocálcico Sulfato de zinco

- Sulfato de magnésio Sulfato de zinco

- Gesso “Mulching”
• Diminui a evaporação da água de irrigação
• Diminui a incidência e/ou ocorrência de doenças
• Diminui o número e o tempo das irrigações
• Não ocorre lavagem do solo
• Aumenta o aproveitamento dos nutrientes
• Controla as plantas daninhas
• Acelera o desenvolvimento das culturas
• Aumenta a produtividade

Conheça os Cursos CPT, da área Horticultura, elaborados pelo Centro de Produções Técnicas. Entre os Cursos, destacam-se:

Curso CPT Cultivo de Pepino em Estufa

Curso CPT Horta Caseira - Implantação e Cultivo

Curso CPT Cultivo de Tomate em Estufa

Curso CPT Cultivo de Pimentão em Estufa

Por Silvana Teixeira

Deixe seu comentário

Avise-me, por e-mail, a respeito de novos comentários sobre esta matéria.

O CPT garante a você 100% de segurança e
confidencialidade em seus dados pessoais e e-mail.
Seu comentário foi enviado com sucesso!

Informamos que a resposta será publicada o mais breve possível, assim que passar pela moderação.

Obrigado pela sua participação.

Últimos Artigos

Artigos Mais Lidos

Fique por dentro das novidades!