WhatsApp SAC (31) 98799-0134 WhatsApp Vendas (31) 99294-0024 Ligamos para Você Central de Vendas (31) 3899-7000
0

Seu carrinho está vazio

Clique aqui para ver mais cursos.

Conheça nossos Cursos Profissionalizantes (combos) com 40% de DESCONTO

Diabetes - educação alimentar, cuidados especiais e receita de Filé ao molho de manga

O objetivo da orientação nutricional é auxiliar ao portador de diabetes a fazer mudanças em seus hábitos alimentares, favorecendo o melhor controle metabólico

ALIMENTAÇÃO SAUDÁVEL PARA DIABÉTICOS

A educação alimentar é um dos pontos fundamentais no tratamento do Diabetes Mellitus (DM)

A educação alimentar é um dos pontos fundamentais no tratamento do Diabetes Mellitus (DM). Não é possível um bom controle metabólico sem uma alimentação adequada. Sendo assim, o objetivo geral da orientação nutricional é auxiliar o indivíduo a fazer mudanças em seus hábitos alimentares, favorecendo o melhor controle metabólico.

Os objetivos específicos da terapia nutricional são: contribuir para a normalização da glicemia, diminuir os fatores de risco cardiovascular, fornecer calorias suficientes para a obtenção e, ou, manutenção do peso corpóreo saudável, prevenir complicações agudas e crônicas do DM e promover a saúde através da nutrição adequada.

Planos alimentares baseados na avaliação nutricional do indivíduo e no estabelecimento de objetivos terapêuticos específicos, levando em consideração aspectos nutricionais, médicos e psicossociais, substituíram as dietas com distribuição calórica padronizada dos macronutrientes.

ALIMENTAÇÃO SAUDÁVEL PARA DIABÉTICOS

Uma alimentação é balanceada se o cardápio diário é elaborado com o equilíbrio dos alimentos com cores variadas, consumo de uma raiz, verduras e grãos, ao menos em uma das refeições

“Uma alimentação é balanceada se o cardápio diário é elaborado com o equilíbrio dos alimentos das três principais refeições (desjejum, almoço e jantar), com cores variadas e sendo observado o consumo de uma raiz, verduras e grãos, ao menos em uma das refeições”, afirmam as professoras Rose Pereira de Deus e Cristiane Nascimento, do curso Alimentação Saudável para Diabéticos – Receitas Inéditas, produzido pelo CPT – Centro de Produções Técnicas.

Ingredientes básicos


Deve-se dar preferência a legumes e verduras da época, estando atento ao cozimento sem a casca, quando for preciso controlar a taxa de potássio dos comensais ou mesmo a eliminação da primeira água de fervura. Uma observação muito importante é que, geralmente, o diabético que possui problemas renais devido a complicações da Diabetes. Portanto, não se deve ingerir alimentos ricos em potássio, para não sobrecarregar ainda mais os rins.

- Frutas, principalmente as da época e as indicadas pelo nutrólogo em caso de dieta.
- Cereais integrais.
- Ovos caipiras e frangos criados sem rações sintéticas, mas evitar frituras.
- Óleo vegetal (ex: soja, canola, girassol, milho, arroz).
- Variedade de leguminosas ou feijões.
- Massas Integrais.
- Ervas aromáticas e especiarias; alho e cebola com moderação.
- Sal marinho, que é o sal que não sofreu processo químico de refinamento.
- Shoyu light (molho de soja), que não contenha açúcar ou xarope de glicose.
- Missô (pasta fermentada de soja), também light.
- Azeite extra virgem.
- Laticínios: o ideal é usar o leite, iogurte e creme de leite desnatados; ricota, cottage e queijo de Minas frescal. Manteiga, de boa procedência, com moderação, sem sal, quando for prescrição médica, evitar margarina e maionese.
- Peixes de preferência os frescos, e que se conheça a origem, evitar fritá-los.
- Adoçantes na medida certa. Dica: Utilizar as folhas do chá Stévia para preparar um chá isento de calorias e açúcares, indicado para adoçar as preparações, também conhecido como chá mel.
- Cortes de carne de boi ou vaca mais magros, evitando-se as frituras.
- As mesmas restrições para carne suína.
- Evitar embutidos devido aos condimentos e conservantes.

ALIMENTAÇÃO SAUDÁVEL PARA DIABÉTICOS

o objetivo geral da orientação nutricional é auxiliar o indivíduo a fazer mudanças em seus hábitos alimentares, favorecendo o melhor controle metabólico

Cuidados especiais


O plano alimentar deverá:
- Visar ao controle metabólico (glicose e lipídeos) e à prevenção de complicações.
- Ser nutricionalmente adequado. Dietas que restringem a maior parte dos alimentos, além de nutricionalmente inadequadas, são de difícil uso pelos pacientes.
- Ser individualizado (atender às necessidades de acordo com a idade, o sexo, o estado fisiológico, o estado metabólico, a atividade física, as doenças intercorrentes, os hábitos socioculturais, a situação econômica, a disponibilidade de alimentos, entre outras).
- Fornecer valor calórico total (VCT) compatível com a obtenção e, ou, manutenção do peso corpóreo desejável.

Composição do plano alimentar


Carboidratos - Deve-se procurar manter constante, a cada dia, a quantidade de carboidratos ingerida, bem como sua distribuição nas diferentes refeições. Os carboidratos deverão representar em torno de 50% a 60% do VCT (Valor Calórico Total) da dieta da maioria dos pacientes com DM. Considerando que uma porção de carboidratos corresponde, por exemplo, a uma fatia de pão de forma ou meio pão francês ou uma escumadeira rasa de arroz ou macarrão ou uma batata média ou meia concha de feijão, o paciente deverá ingerir seis ou mais porções diárias de alimentos ricos em carboidratos.

Gorduras - As gorduras deverão representar menos que 30% do VCT da dieta. As gorduras saturadas deverão corresponder, no máximo, a 10% do VCT. Em termos práticos, isso significa que os alimentos gordurosos, em geral, como carnes gordas, embutidos, laticínios integrais, frituras, gordura de coco, molhos, cremes e doces ricos em gordura e alimentos refogados ou temperados com excesso de óleo ou gordura deverão ser evitados.

Proteínas - O conteúdo proteico deve ser de 0,8 a 1,0 g/kg de peso desejado por dia. Em termos práticos, isso corresponde a duas porções pequenas de carne por dia que podem ser substituídas com vantagem pelas leguminosas (feijão, lentilha, soja, ervilha ou grão de bico) e duas a três porções diárias de leite desnatado ou queijo magro. Os ovos também podem ser utilizados como substitutos da carne, respeitando-se o limite de duas gemas por semana, em função do teor de colesterol. Excessos proteicos, especialmente de carnes vermelhas, devem ser evitados.

Fibras - A alimentação deve ser rica em fibras, vitaminas e minerais para o que se recomenda o consumo diário de duas a quatro porções de frutas (sendo pelo menos uma rica em vitamina C) e de três a cinco porções de hortaliças (cruas e cozidas). Recomenda-se, ainda, dar preferência, sempre que possível, aos alimentos integrais.

Bebidas alcoólicas - Não é recomendável o uso habitual de bebidas alcoólicas. Contudo, estas podem ser consumidas moderadamente (uma a duas vezes por semana, no limite de dois copos de vinho ou uma lata de cerveja ou uma dose de 40 mL de uísque), desde que acompanhadas de algum alimento, já que o excesso de álcool pode produzir hipoglicemia.

Alimentos dietéticos - Os alimentos dietéticos podem ser recomendados, considerando-se o seu conteúdo calórico e de nutrientes. Os refrigerantes e gelatinas dietéticas tem valor calórico próximo de zero. Alguns produtos dietéticos industrializados como chocolate, sorvetes, alimentos com glúten (pão, macarrão, biscoitos) não contribuem para o controle glicêmico, nem para a perda de peso. Seu uso não deve ser encorajado. Os adoçantes ou edulcorantes podem ser utilizados, considerando-se o seu valor calórico.

Filé ao Molho de Manga

Receita


Filé ao molho de manga
Ingredientes
1 kg de filé;
1 manga hadem, por não ser fibrosa;
1 cebola média picada;
1/2 molho de cheiro verde picado;
1 colher de sopa de gengibre ralado com a casca;
Óleo suficiente para refogar a carne;
Suco de um limão;
2 colheres de sopa de sal.

Modo de fazer
Pique o filé em iscas e tempere com o limão, o sal e a cebola picada em cubinhos pequenos. Reserve. Bata, no liquidificador, a metade da manga e uma parte do gengibre ralado, mantendo um suco grosso e reserve. A outra metade da manga fica para enfeitar o prato. Coloque só um pouco de óleo vegetal em uma panela, e refogue a carne até dourá-la, com o restante do gengibre. Quando estiver dourada, coloque um pouquinho de água. Em seguida, acrescente a manga batida no liquidificador e misture bem. Acrescente o cheiro verde, tampe a panela e desligue o fogo.


Confira mais informações, acessando os cursos da área Cozinha Profissional.

Por Silvana Teixeira

 

Deixe seu comentário

Avise-me, por e-mail, a respeito de novos comentários sobre esta matéria.

O CPT garante a você 100% de segurança e
confidencialidade em seus dados pessoais e e-mail.
Seu comentário foi enviado com sucesso!

Informamos que a resposta será publicada o mais breve possível, assim que passar pela moderação.

Obrigado pela sua participação.

Últimos Artigos

Artigos Mais Lidos

Fique por dentro das novidades!