WhatsApp SAC (31) 98799-0134 WhatsApp Vendas (31) 99294-0024 Ligamos para Você Central de Vendas (31) 3899-7000
Fale com uma Especialista
0

Seu carrinho está vazio

Clique aqui para ver mais cursos.

Quais raças nacionais são mais utilizadas na criação de suínos?

Na suinocultura, as raças de origem nacional apresentam resultados tão satisfatórios quanto as estrangeiras

Suínos - imagem ilustrativa

Mariana Costa, professora do Curso CPT Suínos: Produção e Principais Doenças, ressalta que a suinocultura é uma atividade extremamente relevante para o nosso país e está em um dos nichos de mercado mais atraentes para se investir no Brasil, graças às possibilidades de produtividade e rentabilidade.

O sistema agroindustrial da suinocultura engloba um conjunto de atividades e profissionais nas indústrias produtoras de insumos, fabricantes de rações, medicamentos, equipamentos e material genético, profissionais e médicos veterinários, granjas, abatedouros e frigoríficos, assim como as indústrias que processam os alimentos, distribuidores e o consumidor final.

Soma-se a isso tudo o fato de que a carne suína é a mais consumida a nível mundial, o que coloca essa atividade ainda mais em evidência, não somente no âmbito nacional. Nesse contexto, com um bom padrão tecnológico de produção e com a utilização de raças produtivas, o Brasil se encontra na quarta posição do ranking mundial de produção e exportação dessa carne.

Além das raças estrangeiras, as nacionais também apresentam atributos que as coloca em destaque na suinocultura. A seguir, conheça as principais e suas características:

- Canastrão

Também conhecida como zabumba ou cabano, a raça canastrão é marcada por pele grossa e pelagem preta ou avermelhada e rala, ao mesmo tempo em que é forte. Os suínos da raça canastrão são altos, robustos e apresentam crescimento tardio, isto é, passam pela fase da engorda no segundo ano de vida. Ainda apresenta como vantagem a boa capacidade reprodutiva. A principal finalidade da criação do canastrão é a produção de banha.

- Canastra

Popularmente, a raça recebe os nomes “moxom” e “meia-perna”, o que evidencia o fato de que os suínos canastra possuem perna curta. São animais de porte médio e com pele escura. Sua pelagem é fina, mas os pelos cobrem todo o corpo deles. A principal finalidade da criação também é a produção de banha.

- Piau

Diferentemente das anteriores, a pelagem é malhada e varia em tonalidades de branco-creme com preto. Em relação às outras, se sobressai devido à sua carcaça, que possui espessura de aproximadamente 4 cm, sendo um animal de porte médio a grande e originário dos estados de Goiás, Mato Grosso e São Paulo.

- Caruncho

Raça de relevância para pequenos produtores, o suíno caruncho é identificado pelo seu porte pequeno e pela sua pelagem de fundo que apresenta cor de areia com manchas pretas. É apropriada para a produção de gordura. É uma raça considerada tardia, isto é, demora mais tempo para estar pronta pro abate.

- Moura

De origem sulista, a raça moura é uma das primeiras raças brasileiras a serem reconhecidas. Os animais pertencentes a ela possuem pelagem mesclada entre pelos escuros e brancos. Apresentam mais aptidão para a produção de carne, haja vista que a sua é de qualidade. Ainda, chama a atenção a sua boa capacidade reprodutiva.

- Nilo Canastra

O suíno nilo canastra se diferencia dos demais pela especificidade que apresenta: não é indicado para regiões frias, não apresentando pelos, apenas algumas cerdas esparsas. Seu porte, sua prolificidade e sua precocidade são médias, apresentando-se mais rústico e indicado para a produção de banha.

Principais raças estrangeiras

Muito além das raças nacionais, algumas raças estrangeiras também são criadas no Brasil e apresentam resultados satisfatórios. Dentre as principais, destacam-se:

- Landrace
- Large White
- Duroc Jersey
- Pietrain
- Hampshire

Saiba mais: sustentabilidade e produtividade na suinocultura

Para atender às demandas de todo o mercado internacional de comercialização de carne suína, o Brasil investiu em diversos métodos que foram imprescindíveis para tornar a cadeia produtiva mais eficiente e sustentável, como melhoramentos genéticos, estruturas que garantem o bem-estar dos animais e a adoção de boas práticas de manejo animal. É necessário que, mesmo intensificando a produção, os criadores estejam sempre cientes do cuidado com o meio ambiente e priorizem o bem-estar dos suínos durante toda a vida deles.

 


Conheça os Cursos CPT da Área Suinocultura:

Suínos: Produção e Principais Doenças
Manejo de Leitões do Nascimento à Terminação
Criação de Suínos – Manejo de Reprodutores e Matrizes

Fonte: Marangoni – marangoni.com.br
por Renato Rodrigues

Deixe seu comentário

Avise-me, por e-mail, a respeito de novos comentários sobre esta matéria.

O CPT garante a você 100% de segurança e
confidencialidade em seus dados pessoais e e-mail.
Seu comentário foi enviado com sucesso!

Informamos que a resposta será publicada o mais breve possível, assim que passar pela moderação.

Obrigado pela sua participação.

Últimos Artigos

Artigos Mais Lidos

Fique por dentro das novidades!