Quantidade de etanol adicionado à gasolina deve voltar a 25%

Ministro Edison Lobão declarou que, se a produção aumentar, o governo deve elevar a participação do etanol na mistura com a gasolina

 

O etanol adicionado melhora a qualidade da gasolina. Foto: Deviantart.

O governo federal pode aumentar a quantidade de álcool anidro misturado à gasolina de 20% para 25%, de acordo com a declaração do ministro de Minas e Energia, Edison Lobão. O anúncio foi feito durante a cerimônia de entrega do navio Sérgio Buarque de Holanda à Transpetro, no Estaleiro Mauá, em Niterói (RJ).

O ministro explicou que a redução para 20% foi feita no ano passado por causa do momento de baixa produção do etanol. Ele explicou que, se a produção continuar a mesma de hoje, a quantidade de álcool anidro se mantém em 20%. No entanto, caso a produção melhore, a adição deve retornar aos 25%.

Quando houve a redução, em outubro de 2011, Lobão declarou que era uma medida de precaução do governo contra a possibilidade de falta de etanol no mercado interno e o aumento do preço para o consumidor. Por causa da mistura, o preço mais alto do etanol também estava afetando o preço da gasolina.

Caso a medida aconteça, a Petrobras poderia ser beneficiada, uma vez que passaria a comprar menos combustível do exterior para abastecer o mercado interno. Como o preço no Brasil é mais barato do que no exterior, a empresa tem tido prejuízos com a exportação.

A União da Indústria da Cana-de-Açúcar (Unica) informou que pretende fazer um estudo sobre a produção e a oferta de etanol no país para saber se é viável aumentar a quantidade de álcool adicionado à gasolina. O estudo será apresentado ao governo.

Segundo a Unica, a produção de etanol na safra 2012/2013 já somou 3,61 bilhões de litros até o dia 15 de junho. Desse total, 965,55 milhões foram de etanol anidro e 2,65 bilhões foram do hidratado, uma queda de 32,63% em relação ao mesmo período do ano passado. A entidade defende o investimento em novas unidades de produção e a criação de políticas públicas de incentivo, que podem tornar o produto mais competitivo. Além disso, destacou a necessidade de se investir em tecnologia e infraestrutura para melhorar o funcionamento dos carros flex.

Por: Maria Clara Corsino.

Fonte: G1.

Deixe seu comentário

Avise-me, por e-mail, a respeito de novos comentários sobre esta matéria.

O CPT garante a você 100% de segurança e confidencialidade em seus dados pessoais e e-mail.
Seu comentário foi enviado com sucesso!

Informamos que a resposta será publicada o mais breve possível, assim que passar pela moderação.

Obrigado pela sua participação.

Cursos Relacionados

Curso Produção de Álcool Combustível na Fazenda Curso Produção de Álcool Combustível na Fazenda

Com Prof. Dr. Juarez de Souza e Silva

R$ 428,00 à vista ou em até 12x de R$ 35,67 sem juros no cartão

Frete Grátis 2 ou mais Cursos
Saiba mais
Curso Cachaça - Produção Artesanal de Qualidade Curso Cachaça - Produção Artesanal de Qualidade

Com Prof. Dr. José Benício Paes Chaves

R$ 520,00 à vista ou em até 12x de R$ 43,33 sem juros no cartão

Frete Grátis 2 ou mais Cursos
Saiba mais
Curso Cultivo de Cana-de-açúcar para Produção de Cachaça Curso Cultivo de Cana-de-açúcar para Produção de Cachaça

Com Prof. Dr. Luiz Antônio Andrade

R$ 398,00 à vista ou em até 12x de R$ 33,17 sem juros no cartão

Frete Grátis 2 ou mais Cursos
Saiba mais
Curso Produção de Cachaça Orgânica Curso Produção de Cachaça Orgânica

Com Prof. Marcos Vacaro

R$ 486,00 à vista ou em até 12x de R$ 40,50 sem juros no cartão

Frete Grátis 2 ou mais Cursos
Saiba mais

Mais Notícias sobre diversas áreas do conhecimento

Últimos

Mais Lidos

Atendimento Online
Quer Facilidade