WhatsApp SAC (31) 98799-0134 WhatsApp Vendas (31) 99294-0024 Ligamos para Você Central de Vendas (31) 3899-7000
0

Seu carrinho está vazio

Clique aqui para ver mais cursos.

#fiqueemcasa Vamos nos unir nessa corrente: só o conhecimento constrói o amanhã!

Pragas e doenças do morango orgânico

O uso de mudas sadias é básico para o controle de vírus, fungos, bactérias, nematoides e mesmo algumas pragas, como o ácaro do enfezamento

O uso de mudas sadias é básico para o controle de vírus, fungos, bactérias, nematoides e mesmo algumas pragas.

O uso de mudas sadias é básico para o controle de vírus, fungos, bactérias, nematoides e mesmo algumas pragas.

Na agricultura orgânica, o conceito de pragas e doenças é definido como um aparecimento unilateral de determinados insetos ou patógenos. Dessa forma, os agentes causadores são assim considerados a partir da constatação da fragilidade do sistema de produção que propicie condições ideais para um possível aparecimento.

Existem vários pontos que facilitam a incidência de doenças e pragas no morangueiro. Segundo o engenheiro agrônomo Aurélio Carpalhoso, no curso Produção de Morango Orgânico, elaborado pelo CPT – Centro de Produções Técnicas, alguns deles podem ser a escolha errada da variedade para as condições locais, o solo degradado, a falta de qualidade da muda e erros no plantio e nos tratos culturais.

“Além desses, as pragas e doenças podem surgir do preparo do solo inadequado; da umidade excessiva ou da falta de água; da adubação unilateral, excessiva ou insuficiente; como também da inadequação das condições climáticas locais, do foco de inóculos e da ausência de condições para o desenvolvimento de inimigos naturais”, explica Carpalhoso, especialista em produção de morango.

A pesquisadora Maria Aparecida Tanaka, especialista do IAC – Instituto Agronômico de Campinas, também ressalta, no curso do CPT, que o uso de mudas sadias é básico para o controle de vírus, fungos, bactérias, nematoides e mesmo algumas pragas, como o ácaro do enfezamento. “Para doenças fúngicas importantes como chocolate, flor preta, murcha de verticillium e podridões de Phytophthora, deve-se adotar medidas preventivas”, acrescenta  Tanaka.

Para o replante, as mudas sadias devem ser imergidas em soluções com fungicidas e o plantio precisa ser feito em solo desinfestado, ou seja, não contaminado. É necessário,ainda, fazer o controle da umidade do solo por meio da irrigação e da drenagem. É também essencial usar adubação equilibrada, evitando o excesso de nitrogênio.

De acordo com a pesquisadora Tanaka, a rotação de culturas, o revolvimento de solo e a solarização são medidas eficientes e complementares para o controle de fungos de solo e nematoides.

Por: Ariádine Morgan

Curso CPT - Produção de Morango Orgânico

Deixe seu comentário

Avise-me, por e-mail, a respeito de novos comentários sobre esta matéria.

O CPT garante a você 100% de segurança e
confidencialidade em seus dados pessoais e e-mail.
Seu comentário foi enviado com sucesso!

Informamos que a resposta será publicada o mais breve possível, assim que passar pela moderação.

Obrigado pela sua participação.

Últimos Artigos

Artigos Mais Lidos

Fique por dentro das novidades!