WhatsApp SAC (31) 98799-0134 WhatsApp Vendas (31) 99294-0024 Ligamos para Você Ligue Agora (31) 3899-7000
0

Seu carrinho está vazio

Clique aqui para ver mais cursos.

Produção de pepinos em estufa - transplante, condução, polinização e irrigação das mudas

No cultivo de pepino em estufa, o sucesso da produção está em se seguir alguns princípios de grande importância, como o transplante, a condução, a polinização e a irrigação das mudas

Cultivo de Pepino

No cultivo de pepino em estufa, o sucesso da produção está em seguir alguns princípios de grande importância, como o transplante, a condução, a polinização e a irrigação das mudas. Além disso, outro fator que merece atenção especial diz respeito a população dentro de uma estufa. Esta  deve ser um fator muito importante a ser considerado, tanto sob o ponto de vista de se manter a sanidade das plantas, como manter o ambiente dentro da estufa, ou seja, alta densidade populacional ocasionará um microclima propício para o desenvolvimento de doenças, além de bloquear fotossinteticamente a planta, provocando sombreamento entre elas.

1- Transplante

O transplante das mudas de pepino cultivadas em estufa deve seguir as seguintes orientações:

- Linhas: nas regiões de pouca insolação ou no inverno, as linhas devem ser dispostas no sentido norte-sul, assim uma linha de planta não sombreará a outra. Em outras regiões, com insolação demasiada, as linhas das plantas devem ser orientadas no sentido leste-oeste; assim, as próprias plantas sombreiam uma as outras, protegendo da insolação intensa.

- Espaçamentos: a distância entre linhas dentro da estufa varia entre 0,70 a 1,0 m, e entre plantas 0,40 a 0,50 m, se cultivado em linha simples, e 0,60 a 0,70 m se cultivado em linha dupla, sendo que entre as fileiras duplas o espaçamento deve ser de 0,70 a 0,80 m.

2- Condução

Basicamente, são dois os fatores a serem observados na condução da cultura do pepino em estufa: as podas e o tutoramento.

Poda
As principais podas aplicadas no cultivo do pepino são:

- Eliminam-se todos as brotações laterais até a quinta ou sexta folha definitiva, se houver flores, ou alguma frutificação estas também são eliminadas. As folhas permanecem, inclusive as cotiledonares, pois estas são muito importantes para a sustentação do sistema radicular.

- Depois dessa altura da quinta ou sexta folha, deixar os ramos secundários se desenvolverem, e nessas deixar somente dois frutos e três folhas, um fruto com duas folhas, dependerá do híbrido que estiver trabalhando e a época de cultivo ou se primavera/verão ou outono/inverno. Quando muito frutífero, tem produtores que deixam até três frutos e quatro folhas, sempre verificar se não está havendo entortamento de frutos, demonstrando desequilíbrio na planta.

- Acima de dois metros, o desenvolvimento da planta deve ser livre.

Tutoramento
É imprescindível para o cultivo do pepino em estufa que se faça um tutoramento das plantas. Caso contrário, a cultura torna-se antieconômica. Os sistemas de tutoramento mais utilizado são: fio vertical e espaldeira dupla.

Vantagens do Tutoramento
- Melhor sanidade e qualidade dos frutos devido a ausência de contato com o solo;

- Melhor ventilação;

- Floração com maior regularidade;

- Favorece a sanidade da folhagem;

- Melhora a qualidade dos frutos;

- Facilita a colheita dos frutos.

3- Polinização

Nos casos de cultivar pepino ginoico não partenocárpico, normalmente tem-se recomendado passar as flores masculinas nas flores femininas para auxiliar na polinização.

4- Irrigação

A irrigação, tanto quanto possível, deve ser feito sem ser por aspersão. O método mais indicado seria por sulcos de infiltração ou por gotejamento. As plantas no interior das estufas transpiram menos do que em campo aberto. Portanto, o seu manejo deve ser rigoroso para não haver excesso no suprimento de água, fazendo-se irrigações somente quando necessário, para evitar o aumento da umidade relativa do ar. Após o pegamento, no decorrer das primeiras fases de vegetação, deve-se suspender as regas para fortalecer o sistema radicular. A partir da floração, o pepino tem grande exigência de água, sendo recomendado a irrigação por gotejamento.

Conheça os Cursos CPT, da área Horticultura, elaborados pelo Centro de Produções Técnicas. Entre os Cursos, destacam-se:

Curso CPT Cultivo de Pepino em Estufa

Curso CPT Horta Caseira - Implantação e Cultivo

Curso CPT Cultivo de Tomate em Estufa

Curso CPT Cultivo de Pimentão em Estufa

Por Silvana Teixeira

Salvar

Deixe seu comentário

Avise-me, por e-mail, a respeito de novos comentários sobre esta matéria.

O CPT garante a você 100% de segurança e
confidencialidade em seus dados pessoais e e-mail.
Seu comentário foi enviado com sucesso!

Informamos que a resposta será publicada o mais breve possível, assim que passar pela moderação.

Obrigado pela sua participação.

Comentários

Vagner totoli

18 de abr de 2018

Bom dia, vc sabe me informar se pepinos híbridos ginoicos é necessário fazer polinização na estufa. Um amigo me disse que não precisa, já tenho o curso de vocês mais ele não especifica esse detalhe

Resposta do Portal Cursos CPT

18 de abr de 2018

Olá Vagner!

Agradecemos sua visita e comentário em nosso site. Não tem necessidade de realizar a polinização em estufa.

Atenciosamente,

Ana Carolina dos Santos

divonzir jose de mello

22 de mai de 2017

Qual a quantidade de pés de pepino se planta em uma estufa de 5 m de largura por 32 m de comprimento

Resposta do Portal Cursos CPT

23 de mai de 2017

Olá Divonzir,

Agradecemos sua visita e comentário em nosso site. A céu aberto, coloque de três a quatro sementes em cada cova de 1,5 a dois centímetros de profundidade, com espaçamento de 1,5 metro, em um dos lados do sulco. Deixe uma ou duas plantas por cova ao fazer o desbaste, quando contarem com duas ou três folhas definitivas. A germinação ocorre cinco dias após o plantio e leva mais 25 dias para a floração.

O pepineiro pode ser plantado no sistema rasteiro, porém, o estaqueamento facilita os tratos culturais e a colheita, inclusive diminui riscos de ataque de doenças, deformação e má coloração. O tutoramento é feito em linhas duplas, com estacas de bambu ou de madeira com 2,2 a 2,5 metros de comprimento. Devem ficar apoiadas em um arame de 1,2 a 1,8 metro de altura do solo. À medida que a planta for se desenvolvendo, é preciso fazer amarrações.

Atenciosamente,

Ana Carolina dos Santos

Últimos Artigos

Artigos Mais Lidos

Fique por dentro das novidades!