WhatsApp SAC (31) 98799-0134 WhatsApp Vendas (31) 99294-0024 Ligamos para Você Ligue Agora (31) 3899-7000
0

Seu carrinho está vazio

Clique aqui para ver mais cursos.

Vai ferrar cavalos a quente? Então aprenda um pouco mais!

No ferrageamento a quente, a ferradura a ser fixada será aquecida até ficar incandescente, para, então, ser encostada na superfície plantar do casco

Vai ferrar cavalos a quente? Então aprenda um pouco mais!   Artigos Cursos CPT

 

No ferrageamento a quente, a ferradura a ser fixada será aquecida até ficar incandescente, para, então, ser encostada na superfície plantar do casco. Com isso, a área em contato com a ferradura ficará chamuscada, revelando, nos pontos não queimados, as desigualdades do cortes do casco. “Com isso, será possível fazer ajustes adicionais à ferradura e também na aparação do casco, para que o contato entre as superfícies seja perfeito e o apoio o mais adequado possível”, afirma Fábio Furquim Corrêa, professor do Curso a Distância CPT Casqueamento e Ferrageamento de Equinos.

Depois de fixada, a ferradura terá a missão de proteger toda a parece da muralha, até o final do talão, sem, no entanto, obstruir os canais da ranilha e garantindo, ainda, a expansão adequada da muralha nos quartos e talões. Também, na fixação, é preciso levar em conta que, nos membros posteriores, a ferradura deve passar um pouco os talões, principalmente no caso de animais de talões mais frágeis, de forma a garantir ma base de sustentação maior.

Após os ajustes serem feitos, a ferradura será fixada com os cravos, de forma que fique bem fixada, mas sem que a região usada na fixação seja sensível. Será fundamental escolher o cravo adequado, de acordo com a espessura da ferradura e as dimensões da riga e das craveiras.

Os cravos são escolhidos de acordo com a espessura da ferradura e o tamanho das craveiras, que, normalmente, nas ferraduras prontas, vêm muito pequenas, se o cravo for muito grosso para a craveira, sua cabeça fica muito saliente, e sua lâmina muito forte, podendo comprometer a integridade da muralha do casco. Se o cravo for muito pequeno, a cabeça dica enterrada e fina, não faz bom rebite e a ferradura não fica sólida.

Ao pregar os cravos batendo-os com o martelo, deve-se ter o cuidado de virar sua parte côncava para dentro e a sua lâmina reta para fora, forçando o cravo a sair para fora da muralha, sem atingir os tecidos vivos, o ideal é que os cravos saiam no mínimo a 1/3 da altura da parede. Feito isso, imediatamente, dobre o pedaço de cravo que sobrou fora da parede, voltando-o contra a parede para maior segurança. Se necessário, rebata os cravos com o bloco levemente para não rasgar a parede do casco. Para se fazer o acabamento, coloque o casco do animal no tripé de apoio e levante os cravos e corte-os deixando aproximadamente 2 mm a 3 mm. Com o jacaré rebitador, vire-os para baixo, deixando uma inclinação de um pouco mais de 90 graus em relação à parede. Com a torquezinha, corte-os novamente mais rente à parede, para que todos fiquem do mesmo tamanho. Passe o canto da grosa deitando-a na parede debaixo da pontinha do cravo, com isso você faz uma cama para deitar a pontinha os cravos e as ajusta na parede.

Se quiser um trabalho mais bem feito, retirar com a goiva ou a curvinha da faca o excesso de tecido córneo debaixo do cravo, melhorando ainda mais o lugar para a ponta do cravo, dessa maneira, terá um rebite mais reforçado. Com o alicate bico de pato ou jacaré, pressione a ponta do cravo fazendo o rebite; a ponta entrará na fenda.

Sempre que as condições da muralha permitirem, deve-se procurar fazer com que todos os cravos saiam em uma mesma altura, distanciados, entre si, com regularidade. Depois de pregados os cravos e dobradas as lâminas, para dar melhor acabamento, deve-se passar a grosa ligeiramente nos rebites, com a finalidade de diminuir-lhes a saliência sem prejudicar a sua espessura e retirar as rebarbas de córnea. Será importante também aplicar uma base protetora, para repor o verniz dos cascos. Por último, é só ajustar o guarda-casco com o martelo.

Aprimore seus conhecimentos sobre o assunto. Leia a(s) matéria(s) a seguir:


Afinal, na prática, o que é o casqueamento de cavalos?
Casqueador: você conhece o cavalo em partes?

Quer saber mais sobre o Curso? Dê Play no vídeo abaixo:


 

Conheça os Cursos a Distância CPT da área Criação de Cavalos.
Por Silvana Teixeira.

Deixe seu comentário

Avise-me, por e-mail, a respeito de novos comentários sobre esta matéria.

O CPT garante a você 100% de segurança e
confidencialidade em seus dados pessoais e e-mail.
Seu comentário foi enviado com sucesso!

Informamos que a resposta será publicada o mais breve possível, assim que passar pela moderação.

Obrigado pela sua participação.

Últimos Artigos

Artigos Mais Lidos

Fique por dentro das novidades!