WhatsApp SAC (31) 98799-0134 WhatsApp Vendas (31) 99294-0024 Ligamos para Você Ligue Agora (31) 3899-7000
0

Seu carrinho está vazio

Clique aqui para ver mais cursos.

Cursos da Área Curso Gestão na Pecuária de Corte Curso Inseminação Artificial em Bovinos - Convencional e em Tempo Fixo Curso Fabricação de Ração na Fazenda Curso Planejamento Alimentar em Sistema de Pastejo - Para Gado de Leite e Corte Curso Nutrição de Bovinos de Corte Curso Alimentação de Bovinos de Corte Curso Como Avaliar Bovinos de Corte para Compra e Seleção Curso Cria de Bezerros de Corte Curso Bovinos de Corte em Confinamento - Instalações, Produção de Alimentos e Escolha dos Animais Curso Instalações e Equipamentos para Pecuária de Corte Curso Como Aumentar a Rentabilidade na Pecuária de Corte Curso Recria de Bezerros de Corte Curso Manejo Racional de Gado para Vaqueiro Curso Bovinos de Corte em Confinamento - Manejo e Gerenciamento Curso Transferência de Embriões e Fertilização in Vitro Curso Prevenção e Controle de Doenças em Bovinos - Verminose Curso Casqueamento e Correção de Aprumos em Bovinos Curso Enquanto o Veterinário Não Chega - Atendimento a Bovinos Curso Como Fazer uma Estação de Monta Curso Melhoramento Genético de Gado de Corte Curso Técnicas para Produzir mais Bezerros Curso Pastoreio de Lotação Rotacionada para Gado de Leite e Corte Curso Avaliação e Tipificação de Carcaças Bovinas Curso Cruzamento Industrial Red Angus X Nelore Curso Produção de Novilho Superprecoce Curso Produção de Novilho Precoce Curso Criação de Touros Curso Terminação de Bovinos em Pasto Curso Cruzamento Industrial Limousin X Nelore Áreas Afins 31Gado de Leite 17Pastagens e Alimentação Animal 2Produção Orgânica de Leite Depoimentos dos Alunos Alunos de Sucesso Depoimentos Publicações TV Cursos CPT Artigos Notícias Dicas Cursos CPT Entretenimento Beirada de Fogão Melhores Filmes do Cinema Reflexões

Bovinos: exame andrológico

O aparelho reprodutivo do boi é examinado em detalhes, com diagnóstico de problemas nos órgãos genitais internos e externos

 

avaliacao-de-bovinos

Para se obter máxima eficiência na reprodução, é preciso obter touros geneticamente superiores e férteis

Muitas mudanças ocorreram na pecuária brasileira nos últimos anos. Isso possibilitou um aumento na demanda por bovinos geneticamente superiores. Daí a necessidade de o pecuarista ter conhecimentos mais consistentes sobre a avaliação de animais na hora da compra. Além disso, os programas de melhoramento genético e as práticas de seleção se espalharam por inúmeras propriedades, fazendo com que o manejador saiba como avaliar visualmente o animal.

No mercado de gado de corte, em posição de destaque temos “o rebanho de leite, produzindo e comercializando sêmen, embriões e animais vivos. Já em posição de menor destaque está o rebanho multiplicador, produzindo touros para os rebanhos comerciais, a partir da genética dos rebanhos de elite”, afirmam os professores Luiz Antônio Josahkian e Carlos Henrique Cavallari Machado, do curso Como Avaliar Bovinos de Corte para Compra e Seleção, elaborado pelo CPT – Centro de Produções Técnicas.

 

Para se obter máxima eficiência na reprodução, é preciso obter touros geneticamente superiores e férteis, que possam fazer a monta sem problemas, cobrindo o maior número de vacas e transmitindo a seus filhos alta adaptação à criação na pastagem. No entanto, essa capacidade deve ser avaliada por meio de alguns métodos, como o exame andrológico e o teste da progênie.

 

Exame andrológico

 

Por meio desse exame, todo aparelho reprodutivo do boi é examinado em detalhes, com diagnóstico de problemas nos órgãos genitais internos e externos, verificando-se ainda a presença de defeitos físicos ou ferimentos. Da mesma forma, o sêmen coletado é avaliado, quanto ao seu volume, aspecto, cor, motilidade e concentração de espermatozoides, entre outros.

 

Exame andrológico externo

 

Pênis: Deve-se verificar desvios do pênis durante a monta, bem como a presença de tumores e feridas, quando os touros evitam cobrir as fêmeas em cio. Já nos animais novos, deve-se examinar o desenvolvimento normal do pênis. Qualquer lesão no pênis pode dificultar a capacidade de monta.

 

Prepúcio: Por meio da palpação, verifica-se a abertura do orifício prepucial, a mucosa livre ou a presença de aderências, fibrose, ferimentos, inflamações e vísceras, que podem danificar a saída do pênis e dar origem à fimose. Bovinos com o prepúcio com até 40 cm devem ser descartados, pois esta característica favorece o aparecimento de lesões traumáticas, inflamações e machucados, entre outros.

 

Escroto e testículos: O escroto deve ser observado quanto à simetria, conformação, mobilidade das várias camadas e alterações patológicas como hérnia, coloração, pigmentação, dermatites e presença de parasitos. Já os testículos, estes são avaliados quanto à posição, simetria, mobilidade dentro do escroto, consistência, forma e tamanho. Qualquer alteração no tamanho testicular, como hipoplasia, elimina o animal da reprodução por distúrbios testiculares.

 

Epidídimo: Epidídimo é um pequeno ducto que coleta e armazena os espermatozoides produzidos pelo testículo. Por meio da palpação, verifica-se as alterações de tamanho, simetria, forma, mobilidade e consistência, que refletem condições patológicas ou anormais do órgão. Podem ocorrer hipoplasia (subdesenvolvimento do órgão ou tecido) ou aplasia (desenvolvimento incompleto ou imperfeito) e estas são alterações testiculares prejudiciais ao processo de reprodução do animal.

 

Biometria escrotal: A medida escrotal é realizada com fita métrica, no diâmetro mais largo do testículo, apoiando-o com a mão, porém sem pressioná-lo. Quando as medidas escrotais estiverem abaixo dos limites apresentados por raça e idade, devem ter um prognóstico “com reservas ou insatisfatório” para reprodução.

 

Consistência: A consistência testicular pode refletir as condições patológicas do testículo ou sua funcionalidade, pela produção espermática, tanto em quantidade como em qualidade. Como o epidídimo reflete a produção e o armazenamento espermático, deve-se fazer a palpação deste órgão para verificar sua consistência. Da mesma forma, isso deve ser feito com os testículos, verificando sua firmeza e elasticidade. A consistência normal é firme e elástica.

 

Cordão espermático: Essa estrutura é formada pelo ducto deferente e seus tecidos, que o circulam e que correm desde o abdômen até os testículos. Ela deve ser palpável, devendo-se verificar a espessura, a consistência, a mobilidade e, se possível, deve ser feito o diagnóstico de hérnias, hematomas e abscessos.

 

Exame andrológico interno

 

Por meio da palpação retal, são examinadas as glândulas vesiculares; as ampolas do ducto deferente (vaso que conduz os espermatozoides a partir do epidídimo); a próstata (produz e guarda um dos fluidos que compõem o sêmen); e a glândula bulbo-uretal (abaixo da próstata, que secreta o fluido pré-ejaculatório). Nestas estruturas, é produzido o plasma seminal, que atua como veículo para conduzir os espermatozoides do trato reprodutivo masculino para o feminino.

 

Confira mais informações, acessando os cursos da área Gado de Corte.

 

Por Andréa Oliveira

Deixe seu comentário

Avise-me, por e-mail, a respeito de novos comentários sobre esta matéria.

O CPT garante a você 100% de segurança e
confidencialidade em seus dados pessoais e e-mail.
Seu comentário foi enviado com sucesso!

Informamos que a resposta será publicada o mais breve possível, assim que passar pela moderação.

Obrigado pela sua participação.

Últimos Artigos

Artigos Mais Lidos

Fique por dentro das novidades!