WhatsApp SAC (31) 98799-0134 WhatsApp Vendas (31) 99294-0024 Ligamos para Você Ligue Agora (31) 3899-7000
0

Seu carrinho está vazio

Clique aqui para ver mais cursos.

Galinha caipira - aprenda sobre o controle de doenças das aves criadas no chão

É muito importante eliminar os focos de contaminação do lote anterior para evitar o surgimento de doenças, que prejudicam a produção das galinhas caipiras

Galinhas Caipiras criadas no chão

 

O manejo sanitário é a limpeza e a desinfecção das instalações e dos equipamentos do aviário onde se cria galinha caipira. De preferência, um lote de frango caipira não deve utilizar a mesma cama de outro lote, pois os riscos de contaminação das aves são enormes. É mais vantajoso fazer a remoção da cama, que pode ser vendida como esterco. Removida a cama, a área deve ser limpa e desinfectada com uma solução de formol a 5%. É muito importante eliminar os focos de contaminação do lote anterior para evitar o surgimento de doenças, que prejudicam a produção das galinhas caipiras.

Além disso, “o avicultor precisa ter um bom conhecimento dos problemas sanitários de sua região, evitando desperdício de tempo e dinheiro com medicamentos desnecessários ou, ao contrário, deixando de prevenir doenças de difícil e oneroso controle”, afirma o professor Luiz Fernando Teixeira Albino, do Curso Criação de Frango e Galinha Caipira, elaborado pelo CPT – Centro de Produções Técnicas.

 

Em regime semiconfinado ou semi-intensivo, o ambiente apresenta-se muito menos estressante que em uma granja convencional .No entanto, deve-se tomar cuidado com algumas doenças comuns à galinha e ao frango caipiras e a outras doenças típicas do manejo semiconfinado. Vamos ver algumas delas:

 

Doença de Gumboro

É mais conhecida como doença infecciosa da bolsa de Fabrício, ou simplesmente bursite, provocada por birnavírus. Esse vírus atua destruindo o tecido linfoide, resultando em imunodepressão. Ataca principalmente as aves jovens, a partir da 3ª semana de idade. O vírus, altamente resistente fora do organismo da galinha é eliminado por meio das fezes, podendo, no caso de poedeiras, contaminar o ovo. As vias diretas de penetração do vírus no organismo são a aérea, a ocular e a digestiva, enquanto as indiretas são pela ração, pela água, pelos equipamentos e por insetos. A doença tem um período curto de incubação, de dois a três dias, e apresenta mortalidade variável, até 30%, porém, a morbidade (apatia, tristeza), pode atingir todos os frangos e galinhas.

 

Controle

Como medidas de prevenção, recomenda-se evitar que a granja seja infectada pela doença, pois, uma vez contaminada, a eliminação dos patógenos é praticamente impossível, assim, a granja terá que conviver com a presença do vírus. É válido lembrar também que o vírus é muito resistente tanto ao ambiente como aos desinfetantes. Mas medidas rigorosas de biossegurança minimizam o problema satisfatoriamente. Apesar dos programas de vacinação terem, neste caso, apresentado resultados duvidosos, recomenda-se a imunização de reprodutoras com vacinas inativadas para a transferência de anticorpos passivos para a progênie.

 

Galinha caipira no puleiro

 

Varíola ou Bouba Aviária

É muito conhecida como caroço ou pipoca, em virtude dos nódulos que se formam na face, crista, barbelas e outras partes expostas das aves, assemelhando-se a crostas ou verrugas, além de falsas membranas no trato digestivo e respiratório. Disseminada por mosquitos, é uma doença virótica, mais comum nos meses mais quentes, tendo como características, além das lesões, a falta de apetite, sonolência e aumento de mortalidade da galinha e frango caipiras.

Controle

Uma vez instalada, não possui tratamento eficaz, restando ao avicultor tratar as lesões com tintura de iodo glicerinado e antibióticos em água de bebida para evitar infecções secundárias. Deve-se, portanto, preveni-la com vacinação no primeiro dia de vida. Poedeiras receberão ainda outra dose da vacina, a “bouba forte”, na membrana da asa. Isto se dá com sete ou oito semanas de vida, repetindo-se após seis meses.

 

Doença de Newcastle

É uma doença causada por vírus, altamente contagiosa, espalhando-se por meio do ar e capaz de dizimar todo o lote. As aves infectadas levam, em média, cinco dias para manifestar os sintomas que são: encefalite, redução no consumo de ração, sintomas de resfriado, inspiração ruidosa com o bico aberto, diarreia abundante e esverdeada, tremor nas pernas e torcicolo no pescoço.

 

Controle

Não existe tratamento curativo, devendo-se seguir o programa de vacinação recomendado.

 

Doença de Marek

É uma doença virótica e ,altamente contagiosa, não possui tratamento curativo. Manifesta-se a partir dos 30 dias de idade por meio de tumores (crescimento anormal de células) dos nervos e do sistema nervoso central, atingindo a pele, músculos e vísceras. A paralisia das pernas ou asas das galinhas e frangos é o sintoma mais comum.

Controle

Previne-se vacinando os pintinhos no primeiro dia.

 

Pasteurelose ou Cólera Aviária

É uma doença causada por bactérias. Tem geralmente caráter agudo, causando grande mortalidade. Em função disso, muitas vezes, os sintomas nem são percebidos pelo avicultor. O inchaço do rosto e barbelas podem caracterizar a forma crônica.

 

Controle

Como a transmissão ocorre de ave para ave, além das medidas de higiene, deve-se eliminar as portadoras e iniciar tratamento com antibióticos. Existem vacinas, mas de eficácia ainda duvidosa.

 

Salmoneloses

Entre as doenças causadas pelas bactérias do gênero Salmonella, o tifo aviário e a pulorose são as mais comuns, esta última em aves mais jovens. As salmoneloses devem ser identificadas por meio de exames laboratoriais. No caso do tifo aviário, a doença pode ser diagnosticada clinicamente em aves adultas, pois frequentemente causa diarreia, asas caídas, anorexia, palidez, produção reduzida e ovos deformados, podendo ainda apresentar necrose no coração, baço e fígado. Já nos casos agudos da pulorose, o fígado apresenta-se aumentado e de cor escura, os rins e baços mostram-se inchados. Nos casos subagudos, nota- se a presença de focos brancos no fígado, baço e coração, além de fígado inchado e pálido. Nas aves adultas, há a presença de diarreia e reduzido desempenho.

Controle

Previne-se por meio da aquisição de pintinhos advindos de matrizes sadias e de rações de formulação isenta de contaminantes. O tratamento, quando viável, é feito à base de antibióticos. Via de regra, aves atacadas por salmoneloses devem ser incineradas, pois poderá ocorrer contaminação de outros frangos e galinhas da propriedade e até mesmo do próprio homem.

 

Verminoses

Os vermes são parasitas internos, quase sempre alojados no intestino. Os de forma achatada, compridos e segmentados, são chamados cestoides ou tênias. Os cilíndricos são chamados ascáridas, popularmente conhecida como lombriga de intestino. As pequenas infestações em aves adultas são pouco problemáticas. Já as aves em crescimento, ficarão acometidas de anemia, tristeza, enfraquecidas, algumas com paralisia, além de elevada mortalidade. As sobreviventes terão o desenvolvimento retardado e diarreias constantes.

 

Controle

Manter, ao máximo, as normas de higiene das instalações e vermifugar de acordo com os programas específicos, levando-se em consideração os tipos de verme mais comumente presentes na propriedade.

 

Coccidiose

Causada por um grupo de protozoários, chamados eimérias, ao penetrar na mucosa intestinal das aves, causa lesões que podem levar à morte. As galinhas e frangos caipiras ficam tristes, sonolentas, de asas caídas e com calafrios. Dependendo do tipo de eiméria, as fezes podem se apresentar sanguinolentas.

 

Controle

A medida preventiva consiste em administrar coccidiostáticos nas rações, caso ela seja produzida na propriedade. Casos agudos devem ser tratados com coccidicidas de ação mais imediata.

Atenção!

O avicultor deverá estar atento também às doenças fúngicas, como a aspergilose, as micoses e as tinhas.

 

Confira mais informações, acessando os Cursos CPT da área Avicultura.

 

Pensando em você, cliente CPT, o Centro de Produções Técnicas disponibiliza gratuitamente um manual prático sobre as principais raças de galinha com fim comercial. Tudo elaborado em linguagem simples e ilustrações para melhor exemplificar o conteúdo.

Portanto, não perca tempo!

 

Por Andréa Oliveira

 

Faça já o Download Grátis
Faça já o Download Grátis Manual sobre as Principais Raças de Galinha com fim Comercial

Basta preencher os campos abaixo para receber o material por e-mail:

O CPT garante a você 100% de segurança e
confidencialidade em seus dados pessoais e e-mail.

Deixe seu comentário

Avise-me, por e-mail, a respeito de novos comentários sobre esta matéria.

O CPT garante a você 100% de segurança e
confidencialidade em seus dados pessoais e e-mail.
Seu comentário foi enviado com sucesso!

Informamos que a resposta será publicada o mais breve possível, assim que passar pela moderação.

Obrigado pela sua participação.

Comentários

Eliane Fonseca

10 de nov de 2019

Olá! Da primeira vez que descascou os três pintos um morreu pois não ficava em pé, caía,os outros dois cresceram mas um apareceu o problema nas pernas depois está vivo até hoje com 3 meses mas ele deita toda hora e engole com o pescoço meio torcido de vez em quando, o outro é normal. Isso pode ser genético?

Resposta do Portal Cursos CPT

11 de nov de 2019

Olá,Eliane 

Como vai?

Nesse caso, é importante que você procure um veterinário em sua região para que o mesmo possa orientá-lo de maneira mais eficiente.

Atenciosamente,

Erika Lopes

 

Sabrina Vieira cuatodio de souza

31 de out de 2019

Boa noite, duas galinhas da minha mãe morreram de ontem pra hoje, apresentavam febre, fraqueza, asas caídas, mal ficavam de pé, elas não ficavam em galinheiros próximos, administramos rifomicina mas não surtiu efeito. O que poderia ser?

Resposta do Portal Cursos CPT

6 de nov de 2019

Olá, Sabrina 

Como vai?

Neste caso, recomendamos que procure um medico veterinário na sua região para orientá-la melhor mais eficiente.

Atenciosamente,

Erika Lopes

Wenderson da Silveira Nunes

18 de set de 2019

Gostei do assunto, e gosto da parte da pecuária.

Resposta do Portal Cursos CPT

20 de set de 2019

Olá Wenderson da Silveira Nunes,

Agradecemos sua visita e comentário em nosso site.

Ficamos felizes em saber que gostou do artigo sobre doenças das galinhas caipiras. Em breve, uma das nossas consultoras entrará em contato com informações e esclarecimentos sobre os melhores cursos relacionados com a criação animal.

Atenciosamente,
Victor Sampaio

Solange Laurentino Barbalho

23 de ago de 2019

Gostei de saber.

Resposta do Portal Cursos CPT

27 de ago de 2019

Olá Solange Laurentino Barbalho,

Agradecemos sua visita e comentário em nosso site. Ficamos felizes em saber que gostou do nosso artigo.

Atenciosamente,
Victor Sampaio

Ferliche dos Santos Lino

18 de jul de 2019

Não encontrei orientação para uma doença em galinha.

Resposta do Portal Cursos CPT

19 de jul de 2019

Olá Ferliche dos Santos Lino,

Agradecemos sua visita e comentário em nosso site.

As doenças apresentadas no artigo são as que acometem as galinhas com maior frequência. Como não encontrou em nosso artigo sobre a doença que procura, o ideal é entrar em contato com um médico veterinário, para que ele possa diagnosticar corretamente o problema e prescrever o melhor tratamento.

Atenciosamente,
Victor Sampaio

Francisco Alves Faleiro

16 de jul de 2019

Obrigado por sua página.

Resposta do Portal Cursos CPT

17 de jul de 2019

Olá Francisco Alves Faleiro,

Agradecemos sua visita e comentário em nosso site.

Ficamos felizes em saber que gostou do artigo.

Atenciosamente,
Victor Sampaio

Juquecio

18 de mar de 2019

Gostaria de saber que doença e que deixa as galinhas com asaudades asas caídas? E como tratar da doença

Resposta do Portal Cursos CPT

18 de mar de 2019

Olá, Juquecio!

Agradecemos a visita e comentário em nosso site. Para maiores informações, sugerimos que procure um especialista na área.

Atenciosamente,

Lorena Tolomelli

Antônio Carlos

2 de fev de 2019

Meus pintinhos tem caroços pretos na cara que parecem verrugas e muitos estão morrendo como eu posso combater essa doença?

Resposta do Portal Cursos CPT

4 de fev de 2019

Olá Antônio,

Agradecemos a visita e comentário em nosso site. Para mais informações sugerimos que consulte um médico veterinário.

Atenciosamente,

Mariana Caliman Falqueto

Alexandro Trindade de ca

27 de jan de 2019

Meu galo e novo mais anda triste e fraco o o peito bem magro o que será e pasa pós outras

Resposta do Portal Cursos CPT

28 de jan de 2019

Olá Alexandro,

Agradecemos a visita e comentário em nosso site. Para mais informações sugerimos que consulte um especialista da área.

Atenciosamente,

Mariana Caliman Falqueto

Adriana

23 de jan de 2019

Olá! Meu nome é Adriana Cruz sou de Novo Repartimento-PA e tenho uma pequena criação de galinhas na roça. Tá bem por aqui mas tem uma doença chamada de mau-de-ano que sempre ocorre por nossa região e quando começa passa geral !!! Sou nova na área de criação e não quero ver isso acontecendo com os meus. O que posso fazer para evitar que não aconteça nem com os meus e nem com o dos outros?

Resposta do Portal Cursos CPT

23 de jan de 2019

Olá Adriana,

Agradecemos a visita e comentário em nosso site.

Sugerimos que consulte um veterinário. Ele vai saber como proceder para precaver a doença.

Atenciosamente,

Mariana Caliman Falqueto

Últimos Artigos

Artigos Mais Lidos

Fique por dentro das novidades!