WhatsApp SAC (31) 98799-0134 WhatsApp Vendas (31) 99294-0024 Ligamos para Você Ligue Agora (31) 3899-7000
0

Seu carrinho está vazio

Clique aqui para ver mais cursos.

Concentrados proteicos são os constituintes principais da alimentação dos peixes

A necessidade proteica dietária geralmente decresce com o aumento do tamanho e idade

A apresentação da ração deve ser proporcional ao tamanho da boca do peixe.

A apresentação da ração deve ser proporcional ao tamanho da boca do peixe.

As proteínas são os principais constituintes orgânicos dos tecidos dos peixes, compondo de 65 a 75% de sua matéria seca corporal. Portanto, correspondem ao nutriente de máxima importância no organismo animal em crescimento e são responsáveis pela formação de enzimas e hormônios.

Deve-se sempre lembrar que a necessidade proteica está diretamente relacionada com uma composição balanceada de aminoácidos, adequada para manter o crescimento. O professor Luiz Pezzato, no curso Nutrição e Alimentação de Peixes, desenvolvido pelo CPT – Centro de Produções Técnicas, ensina que “para a manutenção da maioria das espécies de peixes é necessário de 1 a 1,5 g de proteína/kg de peso vivo/dia.”.

A qualidade proteica da ração é definida, basicamente, por sua digestibilidade e conteúdo em aminoácidos essenciais, os quais condicionam um padrão equilibrado para síntese do nutriente. “O estado fisiológico dos peixes, a temperatura e a salinidade da água, a interação com outros nutrientes, e os processos tecnológicos de preparação de dietas podem alterar os requerimentos proteicos, ao afetar a digestão, absorção e utilização metabólica”, explica, no mesmo curso, o  professor Newton Castagnolli.

A apresentação da ração deve ser proporcional ao tamanho da boca do peixe. É preferível utilizar ração extrusada, que mantém o alimento flutuando por algum tempo, antes de cair na coluna d'água. A exigência de elevado teor de proteína pode ser vista como vantagem, no sentido de que os peixes seriam capazes de transformar um menor volume de alimentos em mais carne.

A suplementação inadequada desse nutriente na ração resulta na redução ou parada do crescimento e a perda de peso devido à utilização da proteína dos tecidos menos vitais para manter a função daqueles vitais. Por outro lado, se ocorre uma adição excessiva de proteína na dieta, somente uma parte será usada para a construção de novas, e o restante será convertido em energia para ser armazenada.

Por: Clara Peron.

Curso CPT - Nutrição e Alimentação de Peixes

Deixe seu comentário

Avise-me, por e-mail, a respeito de novos comentários sobre esta matéria.

O CPT garante a você 100% de segurança e
confidencialidade em seus dados pessoais e e-mail.
Seu comentário foi enviado com sucesso!

Informamos que a resposta será publicada o mais breve possível, assim que passar pela moderação.

Obrigado pela sua participação.

Últimos Artigos

Artigos Mais Lidos

Fique por dentro das novidades!