WhatsApp SAC (31) 98799-0134 WhatsApp Vendas (31) 99294-0024 Ligamos para Você Ligue Agora (31) 3899-7000
0

Seu carrinho está vazio

Clique aqui para ver mais cursos.

Principais microrganismos que atacam a madeira

Os xilófagos degradam a madeira, porque reconhecem nos polímeros naturais da parede celular uma fonte de nutrição

Ataque em madeiras

Os organismos deterioradores da madeira podem ser classificados em xilófagos e não xilófagos

Os organismos deterioradores da madeira podem ser classificados em duas categorias distintas. A primeira diz respeito àqueles organismos não xilófagos, ou seja, não se alimentam da madeira, mas podem causar a sua deterioração. Entre eles, podem estar aqueles eventuais, como aves, roedores e o próprio homem, além dos habituais, como alguns perfuradores marinhos, insetos e também aves, tendo este último como exemplo típico o pica-pau. A segunda categoria de organismos deterioradores é a dos xilófagos, ou seja, aqueles que se alimentam da madeira.

“Do ponto de vista econômico, os xilófagos são os mais importantes, devendo, portanto, ser abordados de forma mais detalhada. Eles degradam a madeira, porque reconhecem nos polímeros naturais da parede celular uma fonte de nutrição, sendo que alguns destes possuem sistemas enzimáticos específicos, capazes de metabolizá-los em unidades digeríveis”, afirma o professor Tarcísio da Silva Oliveira, do curso Secagem e Tratamento de Madeira na Fazenda, elaborado pelo CPT – Centro de Produções Técnicas.

 

Esses organismos podem ser divididos em três grupos distintos, que são os microrganismos, representados por:

- Fungos, bactérias e flagelados simbiontes;

- Xilófagos marinhos, representados pelos crustáceos e moluscos;

- Insetos, representados pelos cupins e brocas.

 

Fungos emboloradores

 

Macroscopicamente, a madeira embolorada apresenta na superfície uma formação pulverulenta, de coloração variada, facilmente removível da camada superficial. Tal camada pulverulenta é destacada pela formação de uma massa de esporos coloridos na superfície da madeira. Esses bolores são comuns em toras recém-abatidas e em peças de madeira serrada, durante o período inicial da secagem. São encontrados ainda em madeiras mantidas em altos teores de umidades ou seca em ambientes com umidade relativa, acima de 90%.

 

Células de paredes finas, tais como aquelas do parênquima axial e radial, podem ser destruídas nos estágios mais avançados de desenvolvimento. Com exceção da resistência ao impacto, que poderá ser reduzida, as demais propriedades mecânicas são pouco afetadas. A permeabilidade também aumenta significativamente, sendo consequência da destruição de membranas e torus das pontuações. Um aspecto importante, em tais organismos, é a capacidade que algumas espécies têm de tolerar altas concentrações de preservativos.

 

Fungos manchadores

 

Mancham a madeira porque possuem hifas coloridas, ou produzem substâncias coloridas, que são lançadas no meio. Podem destruir membranas das pontuações, por ação mecânica, ou podem penetrar nos espaços existentes ou abertos por bactérias. O dano físico causado ao substrato é pequeno, com exceção da resistência ao impacto, causando, no entanto, problemas de natureza estética, reduzindo drasticamente o valor comercial da madeira.

 

Esses fungos, normalmente, atacam toras recém abatidas de madeiras de coloração clara, como as espécies do gênero Pinus, e também de folhosas. Eles ocorrem também em peças de madeiras secas, submetidas a uma condição de reumedecimento. Normalmente, as suas hifas penetram profundamente na madeira, alimentando-se de substâncias de reservas, existentes nos lúmens das células. Como os fungos emboloradores, estes também toleram vários tipos de substâncias preservativas.

 

Normalmente, a infestação por fungos manchadores, sendo a mancha azul a mais conhecida e importante, ocorre nas primeiras horas após o abate da árvore. As hifas caminham em direção ao interior da madeira por meio do parênquima lenhoso, destacando o detalhe das células de traqueídeo do raio, completamente intactas.

 

Bactérias

 

O ataque de bactérias é comum em madeiras submersas por algumas semanas ou meses, ou ainda submetidas à condição de anaerobiose, como em estacas ou fundações. O fator mais importante para a instalação desses organismos é o elevado teor de umidade. O ataque da madeira por esses organismos se dá de forma muito lenta, podendo levar anos para que alterações consideráveis possam ocorrer.

 

Inicialmente, o ataque se restringe aos materiais de reservas das células radiais, dirigindo-se, em seguida, para o próprio raio, que em estágio mais avançado de ataque, pode atingir outros elementos anatômicos como fibras e traqueídeos. Tem-se, também, registrada a ocorrência bastante frequente de ataque bacteriano, associada ao ataque por fungos, nas paredes celulares de peças de madeira, mantidas em contato com o solo.

 

Macroscopicamente, o ataque aparece como manchas pequenas, distribuídas ao acaso na superfície da madeira, podendo, nos estágios avançados, ocorrer o amolecimento nestas áreas. As bactérias são frequentemente encontradas nas pontoações, existindo forte evidência de possuírem um sistema enzimático, capaz de destruir a membrana das pontoações. Tais organismos são capazes de inativar preservativos. Um exemplo conhecido é o da Pseudomonas creosotensis, que é capaz de detoxificar o creosoto em estacas marinhas, permitindo o ataque de moluscos e crustáceos xilófagos, em peças de madeira preservadas, expostas ao mar.

 

Um dos mais importantes grupos de organismos destruidores de materiais celulósicos, incluindo a madeira, são os térmitas ou cupins. Foto: reprodução

Insetos

 

Os insetos pertencem à classe Insecta do filo Arthropoda. Essa classe é dividida em mais de trinta ordens, das quais somente cinco são importantes na deterioração de madeira. Por serem as ordens mais importantes economicamente, serão abordadas aqui somente a Isóptera e a Coleóptera. Vejamos:

 

Isóptera: Um dos mais importantes grupos de organismos destruidores de materiais celulósicos, incluindo a madeira, são os térmitas ou cupins. Esses insetos, sociais, são encontrados em ampla faixa do ambiente terrestre e são distribuídos pelas regiões mais quentes do mundo. Eles vivem em colônias com as atividades distribuídas pelas castas. Em uma colônia típica, existem quatro castas: rainha, reprodutores, soldados e operários. A rainha tem a função de depositar ovos, os reprodutores contribuem para a dispersão da espécie e para o estabelecimento de novas colônias, com os soldados tendo a função de defesa dessas dos invasores, já os operários são os que constroem os ninhos, atacam a madeira e alimentam as outras castas.

 

Coleóptera: Essa é a maior ordem de insetos, compreendendo mais de 40% dos insetos conhecidos, com cerca de 350.000 espécies descritas. Variam de tamanho, desde aqueles menores que 1,0 mm, até 200 mm de comprimento, podendo ser encontrados em todos os ambientes habitados por outros insetos. Várias família possuem espécies xilófagas, sendo as mais importantes as famílias Cerambycidae, Scolytidae, Platypodidae, Bostrychidae, Lyctidae e Anobiidae.

 

Xilófagos Marinhos

 

No ambiente marinho, existem vários grupos de organismos que causam a biodeterioração e a destruição de estruturas de madeiras construídas nesses locais. Normalmente, os xilófagos marinhos são divididos em dois grupos representados pelos organismos incrustantes e aqueles perfuradores. Os primeiros somente se fixam nos substratos, nos estágios iniciais de desenvolvimento, permanecendo por toda a vida.

 

As cracas são os animais que ocorrem com maior frequência, com carapaças altamente calcificadas, aderindo aos cascos das embarcações, causando inúmeros problemas. O segundo grupo dos xilófagos marinhos não somente se fixam na madeira, mas também perfuram e se alimentam desta.

 

A maioria dos perfuradores penetra no substrato apenas para proteção, mas aqueles pertencentes à subfamília Xylophagainae e às famílias Teredinidae (Moluscos), Liminoriidae e Sphaeromatidae (Crustáceos) utilizam esta perfuração como fonte de nutrientes. Os perfuradores, junto a outros da família Pholadidae, que não utilizam a madeira como alimento, são os mais importantes organismos envolvidos na deterioração de madeira no mar. Vejamos:

 

Crustáceos: Em regiões temperadas e subtropicais, o gênero Limnoria é o mais agressivo. Nas condições de nosso país, destaca-se o Sphaeroma. O Limnoria é um crustáceo de tamanho pequeno, de comprimento até 3 mm e largura de 1 mm. O Limnoria é o único crustáceo que ataca a madeira preservada com creosoto.

 

Moluscos: Existem dois grupos importantes, em termos de intensidade de ataque, que são os Foladideos e os Teredinideos. Para os dois grupos, a forma de infestação é a larva, que poderá servir de alimento para outros animais, caso não infestem a madeira. Os Foladideos, representados principalmente pelo gênero Martesia, são organismos pequenos, de até 4 cm, que utilizam a madeira apenas como substrato, podendo, portanto, serem encontrados em outros materiais, constituindo problema mesmo em madeira preservada.

 

Os teredinídeos, representados principalmente pelo gênero Teredo, são organismos compridos, podendo atingir até 2,0 m, e utilizam tanto o plancton quanto a madeira como alimento. Essa família é a mais importante economicamente, entre as demais famílias de moluscos.

 

Confira mais informações, acessando os cursos da área Produtos Florestais.

 

Por Andréa Oliveira

 

 

Deixe seu comentário

Avise-me, por e-mail, a respeito de novos comentários sobre esta matéria.

O CPT garante a você 100% de segurança e
confidencialidade em seus dados pessoais e e-mail.
Seu comentário foi enviado com sucesso!

Informamos que a resposta será publicada o mais breve possível, assim que passar pela moderação.

Obrigado pela sua participação.

Comentários

Jhonatan Rafael Piffer Ramos

3 de abr de 2019

Olá! Primeiramente parabéns pelo ótimo artigo construído! Gostaria de saber, na área de micologia, se os fungos das espécies Aspergillus e Trichoderma se encaixam nos fungos manchadores. Grato!!

Resposta do Portal Cursos CPT

4 de abr de 2019

Olá Jhonatan,

Agradecemos a visita e comentário em nosso site.

Veja esse artigo que fala sobre essas espécies de fungos : http://www.scielo.br/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S0044-59672003000300013

Atenciosamente,

Mariana Caliman Falqueto

Hudson Dias Tavares

27 de fev de 2019

O artigo esta ótimo. Excelente conteúdo. Porém falta informações cruciais como a data e local de publicação. grande abraço

Resposta do Portal Cursos CPT

28 de fev de 2019

Olá, Hudson!

Agradecemos sua visita e comentário em nosso site.

Atenciosamente,

Lorena Tolomelli

Marisa Bartoli

23 de dez de 2018

Encontro pelo guarda-roupas, asas de insetos pequenas e transparentes, depois encontro bichinhos mortos como se fossem larvas, e depois encontro um pó mais grossinho de madeira.

Resposta do Portal Cursos CPT

26 de dez de 2018

Olá Marisa,

Provavelmente o seu guarda-roupas está sendo atacado por cupins. Aconselho que busque ajuda de uma dedetizadora, com a finalidade de sanar o problema e evitar que tais insentos ataquem outros móveis da sua casa.

Atenciosamente,
Victor Sampaio

Francisco Canindé Soares da Silva Filho

1 de abr de 2018

Muito interessante o artigo.

Resposta do Portal Cursos CPT

2 de abr de 2018

Olá Francisco,

Ficamos felizes que tenha gostado do nosso conteúdo.

Atenciosamente,

Ana Carolina dos Santos

Davi Guedes de araujo

12 de set de 2017

muito bom esse assuntos sobre fungos, estou trabalhando no segmento de higienização e hidratacao de madeitas e couros, gostaria de saber mais sobre o fungo xilofagos, e guais são os fungos que deteriorar o couro, obrgd.

Resposta do Portal Cursos CPT

13 de set de 2017

Olá, Davi.

Agradecemos sua visita e comentário em nosso site. Cadastramos seu e-mail para receber nossos boletins informativos.

Atenciosamente,

Renato Rodrigues.

Kelly Jackeline Silva do Valle

16 de ago de 2017

Olá,meu seminário da faculdade,preciso de uma amostra de madeira atacada por um crustáceo,vocês teriam uma ideia de como achar está,sem ter q ir ao litoral. Dês de já agradeço.

Resposta do Portal Cursos CPT

16 de ago de 2017

Olá, Kelly.

Agradecemos sua visita e comentário em nosso site. Infelizmente não sabemos te informar. 

Atenciosamente,

Renato Rodrigues.

José Rogério Ferreira

15 de jun de 2017

Pela primeira vez, estou tendo acesso a comentários sobre o ataque de insetos marinhos às embarcações com fundo de madeira. Parabéns pelos comentários. De que forma posso controlar esses insetos em canoas, de madeira. Atenciosamente. O próprio

Resposta do Portal Cursos CPT

16 de jun de 2017

Olá, José.

Agradecemos sua visita e comentário em nosso site. Ficamos felizes em poder ajudar!
Na preservação da madeira, você pode usar vários produtos químicos, como o arseniato de cobre amoniacal – ACA, arseniato de cobre cromatado – CCA, FCAP- sais de flúor, alcatrão, creosoto, naftenato de cobre, naftenato de zinco e o óxido de estanho tributílico – TBTO, por exemplo; sempre atentando-se ao nível tóxico dos produtos e se eles podem ser nocivo a seres humanos, animais e plantas.

Atenciosamente,

Renato Rodrigues.

Iracema

6 de jun de 2017

Boa noite ! Tenho uma traineira e não sei como acabar com os bichinhos que atacam a madeira , e gostaria de saber se tem algo que eu possa usar no fundo da minha traineira ? desde já agradeço ! Atenciosamente : Iracema Martins

Resposta do Portal Cursos CPT

16 de jun de 2017

Olá, Iracema.

Agradecemos sua visita e comentário em nosso site. Uma alternativa na preservação da madeira é o uso de óleos com tal finalidade. O uso de um óleo adequado fará com que ele penetre nos poros da madeira, mantendo-a resistente e retardando a absorção de água, que pode causar apodrecimento.

Atenciosamente,

Renato Rodrigues.

Susiane marcia santos dos santos

15 de mar de 2017

Eu achei interessante porque a gente acha muita coisa que desenvolvemos

Resposta do Portal Cursos CPT

16 de mar de 2017

Olá Susiane,

Agradecemos que tenha gostado do nosso conteúdo.

Atenciosamente,

Ana Carolina dos Santos

Últimos Artigos

Artigos Mais Lidos

Fique por dentro das novidades!