WhatsApp SAC (31) 98799-0134 WhatsApp Vendas (31) 99294-0024 Ligamos para Você Central de Vendas (31) 3899-7000
0

Seu carrinho está vazio

Clique aqui para ver mais cursos.

Black Friday 30%OFF nos cursos online 15% OFF nos cursos em livro+DVD + 5% OFF extra no cartão de crédito

Tanque de expansão e sala de resfriamento de leite: cuidados essenciais

O tanque de resfriamento de leite, também conhecidos como tanque de expansão, é um bom investimento para o produtor

Tanque de expansão e sala de resfriamento de leite: cuidados essenciais   Artigos CPT

O tanque de resfriamento de leite, também conhecidos como tanque de expansão, é um bom investimento para o produtor. Porém, como eles têm custo elevado, a escolha de um equipamento de qualidade é de fundamental importância, pois problemas como falta de acabamento sanitário, ineficiência do compressor, dificuldades em colocar o leite dentro do tanque entre outros podem comprometer o investimento.

“Com alguns cuidados, um tanque de resfriamento (ou de expansão) deve durar muito tempo, no mínimo dez anos”, explica Prof. Juliano Gomide Souza, do Curso CPT Instalação de Queijaria e Controle de Qualidade. É evidente que devemos buscar preços melhores, mas, em alguns casos, o custo inicial mais baixo pode significar custo por ano útil mais elevado e, nesse caso, o barato pode se tornar caro. Portanto, deve-se ter muita atenção quando da aquisição do tanque de resfriamento.

O tanque de resfriamento é um bom investimento para o produtor, porque em muitos casos pode ser instalado sem pagamento inicial, e ser pago pelas economias mensais ou até mesmo descontado em parte do pagamento do leite pela indústria.

O formato e a relação volume de leite/superfície do tanque de resfriamento facilitam a sua higienização. Um ponto crítico a ser considerado é a válvula de transferência do leite para os tanques móveis, onde ocorre o acúmulo de sujidade junto ao seu anel de borracha. Há tanques com mais de cinco anos de operação cujas válvulas nunca foram desmontadas para higienização, por falta de orientação. Outro ponto a ser considerado é o agitador, onde ocorre o acúmulo de pedra-de-leite.

A indústria deve fornecer aos produtores as ferramentas e detergentes adequados, além de treiná-los sobre como proceder, visando assegurar a qualidade do leite. Geralmente, os representantes desses equipamentos não se lembram de instruí-los quanto à metodologia da higienização, contribuindo, diretamente e, ou involuntariamente, para piorar a qualidade da matéria-prima e diminuir o rendimento dos produtos lácteos ou, em outras palavras, para o prejuízo do produtor e do industrial (PINHEIRO e SOUZA, 2004).

Sala de resfriamento


Não basta simplesmente adquirir o tanque de resfriamento e pronto. Diversos fatores devem ser avaliados antes da decisão do investimento. Os tanques podem ser de produtores individuais, tanques comunitários ou ainda tanques comunitários localizados em fazenda produtora de leite. Para produtores individuais ou produtores que possuem tanques comunitários, a sala de resfriamento deve-se localizar o mais próximo possível da ordenha. Um cuidado especial deve ser observado para que não haja contato direto com a sala de ordenha de modo a se evitar a contaminação oriunda dessa dependência. Neste caso, o transporte do leite poderá ser feito por tubulações de aço inoxidável, caso se disponha de equipamento para tal, ou através de latões, em muitos casos, utiliza-se um funil de inox com tampa, que facilita e agiliza esta operação.

Qualquer que seja o sistema adotado, a sala de resfriamento que abriga o tanque deve ter as seguintes especificações:


♦ O primeiro passo é definir se o leite será coletado diariamente, pois a partir daí saberemos o volume do tanque e a capacidade do compressor.
♦ A localização do tanque deve permitir fácil acesso ao caminhão de coleta, evitando o uso de mangotes longos, o ideal é que estes tenham de 3 a 4 metros.
♦ O abastecimento deve ser com água de boa qualidade e quantidade que permita uma boa pressão. Aconselha-se, antes da construção do abrigo, realizar uma análise da qualidade da água.
♦ O piso deve ser resistente a ácidos, álcalis e agentes sanitizantes usados na higienização do tanque. O tanque é aferido em função do nível do piso; por isto, o piso deve ser forte para aguentar o peso do tanque cheio de leite, sem deformação. O piso deve ainda apresentar uma fácil drenagem de água em todos os pontos, não permitindo seu acúmulo.
♦ Ter uma pia e pelo menos um ponto para mangueira é de fundamental importância.
♦ O espaço de pelo menos 50 cm ao redor do tanque deve ser observado para permitir circulação e limpeza.
♦ O ralo de coleta das águas servidas deve ser de fácil acesso e ser sifonado, não devendo ser posicionado debaixo do tanque ou da válvula de saída do leite.
♦ Os ângulos formados pelas paredes entre si e por estas com o piso não devem ter cantos vivos, para se evitar o acúmulo de sujeira e facilitar a higienização.
♦ É importante que a sala tenha dois níveis para facilitar a transferência do leite do nível mais alto, por exemplo, do estábulo quando for o caso, para o tanque.
♦ O ideal é a utilização de revestimento como o azulejo, nas paredes. Quando for utilizada apenas massa, esta não deve formar estruturas ásperas e rachaduras.
♦ Quando possível, é importante a instalação de um aquecedor de água para garantir a boa higienização do tanque.
♦ O sistema elétrico deve ser bem projetado para suportar os equipamentos, como o motor do compressor, lâmpadas etc. O material elétrico deve ser resistente à corrosão e estar devidamente isolado. Deve ser considerada a instalação de um estabilizador de tensão, além do aterramento do conjunto e a instalação de um pára-raios de baixa tensão para proteção do conjunto contra descargas atmosféricas.
♦ A(s) lâmpada(s) não deve(m) ser posicionada(s) em cima do tanque. Quando não for possível, elas devem ser protegidas contra estilhaçamento.
♦ O compressor e o condensador podem ficar junto ao tanque, montados em uma base única, que deve ser de material resistente, para garantir a vida útil do equipamento; esta base deve ser resistente também aos agentes de limpeza e sanitização. Esses equipamentos devem ser instalados próximos a uma abertura na parede, que permita a remoção imediata do ar quente para o exterior. É importante ressaltar que esta abertura não deve permitir a contaminação oriunda da parte externa.
♦ Quando da construção da sala que irá abrigar o tanque de resfriamento, é muito importante planejar o futuro, analisando as modificações que serão feitas e como evitar gastos desnecessários com estas mudanças, como inclinação do piso, altura do pé direito, material do telhado, largura da porta.

Quer saber mais sobre o Curso? Dê Play no vídeo abaixo:


 

Conheça os Cursos CPT da área Laticínios.
Por Silvana Teixeira.

Deixe seu comentário

Avise-me, por e-mail, a respeito de novos comentários sobre esta matéria.

O CPT garante a você 100% de segurança e
confidencialidade em seus dados pessoais e e-mail.
Seu comentário foi enviado com sucesso!

Informamos que a resposta será publicada o mais breve possível, assim que passar pela moderação.

Obrigado pela sua participação.

Últimos Artigos

Artigos Mais Lidos

Fique por dentro das novidades!