Como produzir Queijo do Serro: coagulação, corte, retirada do soro, enformagem, salga e cura

Algumas técnicas utilizadas na Suíça, na França e na Itália, como a utilização do pingo, torna a produção de Queijo do Serro artesanal, aliando qualidade e sabor

 

Foi a cidade do Serro que irradiou a produção do Queijo do Serro por todo o Brasil. Ela fica localizada em uma região montanhosa na vertente oriental da Serra do Espinhaço, na região do Alto do Jequitinhonha, no estado de Minas Gerais. Desde os tempos passados, a sua produção envolve a verdadeira arte de combinar tempo, temperatura, peso das mãos, manejo de utensílios, dosagem de leite, coagulante e sal. Além disso, algumas técnicas utilizadas na Suíça, na França e na Itália, como a utilização do pingo, torna a produção deste queijo artesanal, aliando qualidade e sabor.

Etapas de produção:

Leite

Após a ordenha, o leite deve ser encaminhado para a queijaria e colocado no tanque de fabricação. Para que o pessoal envolvido no curral não tenha acesso ao interior da queijaria, para que sejam mantidas as condições de higiene, deve ser utilizado um funil com cano que entra da sala de queijo.

Adição da cultura

Para a produção do Queijo do Serro, deve ser adicionado o pingo, coletado durante a noite, extraído da fabricação do queijo do dia anterior. Este estará com alta atividade de microrganismos típicos desse queijo, que se desenvolverão na coalhada. Deve ser adicionado 0,5% de pingo em leite, ou seja, cerca de meio litro de pingo para cada 100 L de leite.

Coagulação

Deve ser adicionado coalho líquido ou em pó, na dose recomendada pelo fabricante, para que a coagulação ocorra, entre 30 e 40 min, à temperatura de 35 – 37ºC. Muitos produtores adicionam o coalho junto ao pingo. Em seguida, o leite deve ser bem agitado para homogeneizar estes ingredientes. Por fim, a mistura deve ser mantida em repouso, de 40 minutos a 1 hora.

Corte da massa

Ao se atingir o ponto de corte da massa, esta é cortada com auxílio da pá de corte. Deve-se bater a coalhada lentamente, até que a massa foque com o tamanho de grãos de milho. Em seguida, deve permanecer em repouso por 15 min. O corte deve ser realizado no momento apropriado; caso contrário, surgirão defeitos.

Retirada do soro

Depois do repouso, os grãos sedimentam para o fundo do tanque e o soro fica na superfície. Retire o excesso de soro para facilitar a coleta dos grãos para serem enformados. Esta retirada deve ser feita com auxílio de um balde, pegando somente o soro da parte de cima, sem que sejam coletados os grãos.

Enformagem

Para proceder à enformagem, o soro pode ser coletado diretamente no tanque com as formas. Outra forma é a coleta dos grãos com auxílio de um balde, vertendo seu conteúdo sobre uma tela de náilon para a retirada do excesso de soro. Em seguida, os grãos são acomodados na forma. Repita esta operação até que metade da coalhada seja utilizada. Em seguida, repita o mesmo procedimento, enchendo novamente as formas com a coalhada, para que fiquem bem cheias, e o queijo foque com o peso e a espessura recomendadas, ou seja, com cerca de um quilo.

Lavagem

Logo após a retirada do excesso de soro com as mãos, devem ser feitas lavagens sucessivas, passando água potável sobre os queijos. De forma geral, duas a três lavagens, de cada lado da forma, são suficientes para a retirada do excesso de soro. Após a lavagem, os queijos devem ser deixados para escorrer por alguns instantes.

Primeiramente, o queijo deve ser mantido por um período de, aproximadamente, 6 h, no processo de salga.

Primeiramente, o queijo deve ser mantido por um período de, aproximadamente, 6 h, no processo de salga, quando o excesso de sal deve ser retirado.

Salga

Depois que a água escorrer, deve ser espalhado sal grosso por toda a superfície do queijo. Em seguida, este deve ser mantido por um período de, aproximadamente, 6 h, quando o excesso de sal deve ser retirado. Depois, o queijo deve ser virado e um nova camada de sal espalhada sobre a outra superfície. Deste outro lado, o sal é mantido por mais 12 h. Como sobraram resíduos de sal do outro lado, a salga agora ocorre dos dois lados.

Retirada do sal

Passadas às 12 h de salga, o restante do sal pode ser retirado e os queijos podem ser levados para curar.

Cura

O Queijo do Serro fica curando, por um período de três a oito dias, para ser comercializado.  Durante a cura, o queijo deve ser lavado, em água, todos os dias; ou dia sim, dia não.

Com o queijo no formato ideal e sem as reentrâncias, deve-se passar uma lixa d’água, número 80.

Com o queijo no formato ideal e sem as reentrâncias, deve-se passar uma lixa d’água, número 80, para deixar o queijo ainda mais bonito e liso. 

Acabamento

Na véspera da comercialização, é indicado realizar o acabamento do queijo, passando- se, inicialmente, um ralador fino por toda sua superfície. Uma atenção especial deve ser dada às beiradas para que fiquem arredondadas. Com o queijo no formato ideal e sem as reentrâncias, deve-se passar uma lixa d’água, número 80, para deixar o queijo ainda mais bonito e liso. Deve-se utilizar lixa nova e, devidamente, sanitizada em solução de cloro a 100 ppm. Para finalizar, deve-se passar a mão por toda a superfície do queijo para que a massa formada pela lixa penetre nos buracos, tampando-os.

Por Andréa Oliveira.

Aprimore seus conhecimentos, acessando os Cursos CPT, da área Laticínios, elaborados pelo Centro de Produções Técnicas.

Entre os cursos, temos:

Curso CPT Produção de Queijo Artesanal do Serro e Canastra

Curso CPT Produção de Queijos Minas Frescal, Mussarela, Gouda

Curso CPT Produção de Queijo Minas Padrão, Prato e Provolone

Curso CPT Produção de Queijo Reino, Cottage, Coalho e Ricota

Curso CPT Produção de Queijos de Leite de Cabra

Cursos Relacionados

Curso Produção de Queijos Minas Frescal, Mussarela e Gouda Curso Produção de Queijos Minas Frescal, Mussarela e Gouda

Com Prof.ª Célia Ferreira

R$ 428,00 à vista ou em até 12x de R$ 35,67 sem juros no cartão

Frete Grátis 2 ou mais Cursos
Saiba mais
Curso Produção de Queijo Artesanal do Serro e Canastra Curso Produção de Queijo Artesanal do Serro e Canastra

Com Prof.ª Célia Ferreira

R$ 428,00 à vista ou em até 12x de R$ 35,67 sem juros no cartão

Frete Grátis 2 ou mais Cursos
Saiba mais
Curso Produção de Queijo Minas Padrão, Prato e Provolone Curso Produção de Queijo Minas Padrão, Prato e Provolone

Com Prof.ª Célia Ferreira

R$ 428,00 à vista ou em até 12x de R$ 35,67 sem juros no cartão

Frete Grátis 2 ou mais Cursos
Saiba mais

Deixe seu comentário

Avise-me, por e-mail, a respeito de novos comentários sobre esta matéria.

O CPT garante a você 100% de segurança e confidencialidade em seus dados pessoais e e-mail.
Seu comentário foi enviado com sucesso!

Informamos que a resposta será publicada o mais breve possível, assim que passar pela moderação.

Obrigado pela sua participação.

Outros artigos relacionados à área Formação Profissional em Laticínios

Últimos

Mais Lidos

Atendimento Online
Quer Facilidade