WhatsApp SAC (31) 98799-0134 WhatsApp Vendas (31) 99294-0024 Ligamos para Você Ligue Agora (31) 3899-7000
0

Seu carrinho está vazio

Clique aqui para ver mais cursos.

Como combater ervas daninhas em jardins

A erva daninha é um dos principais inimigos de um belo jardim e a melhor coisa a fazer é exterminá-la sumariamente, tão logo se perceba sua presença

Como combater ervas daninhas em jardins   Artigos Cursos CPT

 

Algumas plantas indesejáveis nascem espontaneamente nos jardins, roubando espaço, luz, nutrientes e água das espécies cultivadas, crescendo rapidamente e chegando a destruí-las. “A erva invasora é um dos principais inimigos de um belo jardim e a melhor coisa a fazer é exterminá-la sumariamente, tão logo se perceba sua presença”, afirma Dr. Wantuelfer Gonçalves, professor do Curso a Distância CPT Como Montar uma Empresa de Manutenção de Jardins, em Livro+DVD e Curso Online. Conheça algumas espécies e aprenda como exterminá-las:

I- A setária (Setaria viridis) aparece geralmente quando a grama fica rala e, se não for cortada, pode crescer até alcançar um metro de altura. A setária multiplica-se por meio de sementes. As plantas dessa invasora devem ser arrancadas, uma a uma, cuidando-se para que sejam eliminadas também suas raízes.

II- O trevo (Oxalis stricta) pode estragar a aparência de seu gramado, embora possa ser considerado um enfeite enquanto não se torna uma invasora incidente e prejudicial. Produz pequenas vagens que, quando se abrem, espalham sementes para todos os lados. Todos os trevos têm bulbilhos em torno da base da planta, e cada bulbilho poderá dar origem a uma nova planta. No verão, os bulbilhos se desprendem e dividem-se em pedaços que se dispersam. Arrancam-se sempre as plantas dos trevos na primavera, antes que disseminem os bulbilhos. Se o jardineiro não tomar cuidado, poderá ocorrer infestação de trevo em todo o jardim. Quando se usa herbicida no combate ao trevo são necessárias várias aplicações do produto.

III- O plantago (Plantago major) tem folhas grandes, de 7,5 a 15 cm, que surgem em moitas baixas e arredondadas. Difunde-se com facilidade em terrenos férteis, e propaga-se por meio de sementes. Para combater o plantago, arranca-se as moitas, uma a uma, ou aplica-se herbicida na primavera e no outono.

IV- O alho-bravo (Allium vineale) desenvolve-se em solos argilosos, férteis e úmidos, multiplicando-se por sementes ou bulbos que se formam abaixo da superfície do terreno. O alho bravo é combatido aparando-se o gramado com frequência e aplicando-se herbicida no fim do outono e no início da primavera.

V- A círsio (Cirsium arvense) atinge até 1,2 m de altura, se não for logo eliminada. Vegeta bem em solos argilosos e férteis, reproduzindo-se por sementes ou raízes subterrâneas. Para combater o círsio, corta-se fundo, bem abaixo da coroa da raiz, e aplica-se herbicida na primavera e no outono.

VI- O capim-marmelada ou papuã (Brachiaria plantaginea) é uma planta anual que forma touceiras e pode chegar a 80 cm de altura. As plantas dessa invasora são retiradas com a ferramenta tipo firmino. Em casos extremos, aplica-se herbicida, exceto em áreas com gramas Batatais e São Carlos, que podem ser seriamente afetadas pelo produto citado.

VII- A serralha ou chicória (Sonchus oleraceus) é uma planta anual, leitosa, da família das compostas, com folhas superiores inteiras e inferiores partidas. A serralha é combatida, retirando-se as plantas com uma ferramenta tipo firmino. Em casos extremos, aplica-se herbicida.

VIII- A grama-seda ou capim-de-burro (Cynodon dactylon) é uma planta perene, da família das gramíneas, que pode chegar a 50 centímetros de altura. Apresenta folhas lisas na face inferior e ásperas na outra face. A grama-seda é comum em canteiros, terrenos baldios e gramados e espalha-se por meio de raízes rastejantes. Procura-se retirá-la com garfo, em solos leves, ou abafá-la com plástico preto, em outros tipos de solos. Pode também ser tratada com herbicida e pela aparação sistemática do gramado. Em certos casos, as ervas são retiradas com uma ferramenta tipo firmino.

IX- O picão-preto ou piolho-de-pedra (Bidens pilosa) é uma planta anual da família das compostas, podendo crescer até a altura de 1,20 m e reproduz-se por sementes. Esta invasora, se não for prontamente controlada, espalha-se rapidamente em canteiros e quintais. O seu controle é feito pelo arranque das plantas com as mãos, antes que elas produzam sementes. Em certos casos, utiliza-se a ferramenta tipo firmino, ou aplica-se herbicida.

X- A tanchagem (Plantago major) aparece em gramados, canteiros e caminhos. A tanchagem reproduz-se por meio de sementes que se mantêm no solo por muitos anos. Combate-se essa invasora com herbicidas.

XI- A corda-de-viola (Ipomoea sp.) é uma planta que se reproduz facilmente por sementes ou através do rebrotamento das raízes. Trata-se de uma invasora que possui raízes profundas e rastejantes. De difícil controle na lavoura, é facilmente controlada em jardins, arrancando-se a planta com suas raízes, ou enrolando seus ramos em varetas de bambu, para aplicar herbicida, sem danificar as outras plantas. Se não houver inspeções frequentes, a corda-de-viola invadirá todo o jardim.

XII- Erva-de-passarinho é o nome dado a várias espécies de plantas da família das lorantáceas, epífitas e semiparasitas, de folhagem persistente. Após sua identificação, o importante é afastá-la dos jardins, pomares e hortas. Trata-se de um perigoso parasita. As raízes logo envolvem a planta hospedeira, enquanto os haustórios, suas raízes adventícias sugadoras, perfuram a superfície da casca, penetrando nos canais de seiva da planta atacada, de onde retiram nutrição e umidade. Tão terrível é esta planta que nem os passarinhos, que se alimentam de suas sementes, são capazes de destruí-las. Quando expelidas sobre os galhos das árvores, aderem e sucede-se a germinação. Suas hospedeiras preferidas são as leguminosas, os hibiscos, as videiras e as mangueiras viçosas. A erva-de-passarinho apresenta, como única maneira de combate, a poda cuidadosa das plantas hospedeiras e a queima de todas as folhas e galhos podados, para que não ocorra nova infestação.

É importante também verificar periodicamente o terreno em volta das plantas, para acabar com essa praga, antes que ela infeste as plantas que se quer proteger.

Conheça os Cursos a Distância CPT, em Livros+DVDs e Cursos Online, da área Jardinagem e Paisagismo.
Por Silvana Teixeira.

 

Deixe seu comentário

Avise-me, por e-mail, a respeito de novos comentários sobre esta matéria.

O CPT garante a você 100% de segurança e
confidencialidade em seus dados pessoais e e-mail.
Seu comentário foi enviado com sucesso!

Informamos que a resposta será publicada o mais breve possível, assim que passar pela moderação.

Obrigado pela sua participação.

Comentários

Maria Izabel Santos Dos Santos

10 de out de 2019

Qual o ano que foi publicado este artigo?

Resposta do Portal Cursos CPT

11 de out de 2019

Olá Maria Izabel dos Santos,

Agradecemos sua visita e comentário em nosso site.

O artigo em questão foi publicado na data de 20/02/2017.

Atenciosamente,
Victor Sampaio

Últimos Artigos

Artigos Mais Lidos

Fique por dentro das novidades!