WhatsApp SAC (31) 98799-0134 WhatsApp Vendas (31) 99294-0024 Ligamos para Você Ligue Agora (31) 3899-7000
0

Seu carrinho está vazio

Clique aqui para ver mais cursos.

Orquídeas - formas de propagação

Existem duas formas de propagação de orquídeas por meio de sementes: o processo simbiótico e o processo assimbiótico, este último feito em laboratório

 

 

Orquídeas - formas de propagação

 

 

Uma das maneiras mais fáceis de se reproduzir as orquídeas é por meio de mudas. As mudas de orquídea, formadas na parte superior do caule, logo produzem raízes. Quando elas chegarem ao comprimento de 8 a 10 cm, podem ser separadas da planta-mãe e colocadas em vasos individuais. Isso é feito retirando-se a muda com uma tesoura, previamente esterilizada, com bastante cuidado para não prejudicar a orquídea e propiciar a sua propagação.

“Cada muda deve ficar com, pelo menos, quatro pseudobulbos. É feita uma boa limpeza nas raízes, com água corrente, bem como a verificação se estas não estão velhas. Caso estejam, executa-se a poda”, afirma o professor Waldyr Fochi Endsfeldz, do Curso Cultivo de Orquídeas para Fins Comerciais ou Hobby, elaborado pelo CPT – Centro de Produções Técnicas.

Da mesma forma, retiram-se as bainhas secas e dá-se uma boa lavada nas folhas da muda, usando-se uma escova comum para as áreas maiores e uma escova de dente para as áreas menores. Agora, basta plantar a muda no vaso. Na maioria dos casos, as plantas reproduzidas florescem depois de 2 anos. Este método, para quem cultiva orquídeas em grande escala, com fins comerciais, é antieconômico.

Atenção!

A orquídea sente bastante quando se toca em sua estrutura. Portanto, só se faz o replante quando houver necessidade.

Atualmente, existem métodos de reprodução de orquídeas bastante revolucionários. A multiplicação por sementes, além de ser muito mais complexa, é também demorada, pois leva sete anos desde a fecundação da flor até a primeira floração. Entretanto, é isso é vantajoso para quem produz orquídeas em grande escala. O inconveniente, é que produz sempre uma grande variedade de orquídeas com novas características, pois elas não são todas iguais à planta-mãe.

Existem duas formas de se reproduzir orquídeas por meio de sementes: o processo simbiótico e o processo assimbiótico.

Propagação por simbiose

A natureza agiu de maneira sábia e inteligente para que as orquídeas se propagassem de modo racional. Após a fecundação de uma flor por uma abelha, borboleta ou outro agente polinizador qualquer, o seu ovário se intumesce, formando uma cápsula com sementes. Após um ano, ela amadurece, abre-se e solta as pequenas sementes que são levadas pelo vento. Somente germinam as sementes de orquídea cujo embrião são atacados por um fungo chamado Micorriza. Somente uma percentagem mínima de sementes vingarão e se tornarão adultas, ou seja, as que, casualmente, encontrarem em condições ideais de fixação, luz e umidade. Da fecundação até a floração, são necessários sete anos.

Propagação por assimbiose

Nesse processo, as sementes são germinadas dentro de laboratórios. Descoberto em 1922, pelo professor americano Lewis Knudson, o mesmo efeito produzido pelo fungo Micorriza foi produzido em laboratório. Este tipo de reprodução começa dentro de frascos, até ser repassado para os vasos. Na assimbiose, as plantas levam até 7 anos para florescerem, assim como na simbiose.

Outro processo de reprodução de orquídeas é o da cultura meristemática, descoberto pelo cientista francês Georges Morel. Ele possibilita a obtenção de centenas de novas mudas, em apenas um ano, a partir de uma simples gema de um broto, ainda de uma ponta de raiz ou de uma haste floral. Este processo, além da rapidez, tem como vantagem o fato de que as plantas serão idênticas à planta-mãe.

Aprimore seus conhecimentos, acessando os Cursos CPT da área Floricultura.

Por Andréa Oliveira.

Acesse os links abaixo e conheça mais sobre as orquídeas:

Nomenclatura

Classificação

Grupos

Estrutura

Comercialização

Como plantá-las em vasos, árvores ou cascas de árvore

Irrigação

Adubação

Luminosidade

CUIDADOS COM AS ORQUÍDEAS

Combate a pragas e doenças

Defensivos caseiros

ESPÉCIES DE ORQUÍDEAS

Acacallis cyanea Lindl

Cattleya bicolor Lindley

Cattleya elongata Barb.

Cattleya forbesii Lindley

Cycnoches chlorochilon Klotzsch

Cycnoches haagii Barb.

Dendrobium nobile

Fonte: www.orkideas.com.br

Deixe seu comentário

Avise-me, por e-mail, a respeito de novos comentários sobre esta matéria.

O CPT garante a você 100% de segurança e
confidencialidade em seus dados pessoais e e-mail.
Seu comentário foi enviado com sucesso!

Informamos que a resposta será publicada o mais breve possível, assim que passar pela moderação.

Obrigado pela sua participação.

Últimos Artigos

Artigos Mais Lidos

Fique por dentro das novidades!