Atividades físicas para diabéticos - exercícios como prevenção e tratamento

Para os diabéticos atividades físicas, como caminhada, natação e ciclismo, são excelentes, pois utilizam oxigênio em suas reações para favorecer a queima de glicose e gordura.

 

 

As atividades físicas para diabéticos podem contribuir tanto para a prevenção quanto para o tratamento do diabetes, doença que acomete de 5 a 9 milhões de brasileiros. Ainda assim, quando os exercícios são realizados sem acompanhamento, há risco de sérias complicações para os pacientes. A prática errônea dos exercícios está associada à ocorrência de complicações, agravando os quadros de hipertensão ou de doenças cardíacas, articulares e neurológicas.

A avaliação física ou cardiorrespiratória constitui uma das etapas mais importantes, ao se iniciar um programa de esportes. Os resultados não servem apenas para classificar a condição do diabético, mas como ponto de partida para a prática de exercícios, já que identificam a intensidade, a frequência, a duração e o tipo de esforço que estão fora da margem de risco para cada paciente.

"Fatores como histórico familiar, doenças (principalmente as relativas à visão, aos rins, coração e neurológicas), tratamentos e medicamentos em uso, hábitos alimentares, tabagismo, níveis de triglicérides, colesterol e hemoglobina glicosilada formam os principais itens do banco de dados de cada diabético", afirma a professora Mara Silveira Pereira, do Curso Atividades Físicas para Diabéticos, elaborado pelo CPT - Centro de Produções Técnicas.

As modalidades físicas mais aconselháveis são caminhada, corrida, natação, hidroginástica, ciclismo, dança e ginástica aeróbica de baixo impacto. Para o diabético estas atividades são excelentes, pois utilizam oxigênio em suas reações para favorecer a queima de glicose e gordura. Além disso, a longo prazo, a pessoa ganha maior resistência e melhora suas funções cardiorrespiratórias.

Já os exercícios mais condenados, que apresentam risco de sérias complicações ao paciente diabético, são aqueles que favorecem lesões nos pés, os esportes de contato - como o boxe e as lutas marciais, que podem comprometer a visão e desencadear uma hemorragia retiniana. Maratona, alpinismo, mergulho em profundidade e halterofilismo também são desaconselhados.

Vale relembrar que a aptidão física pode ser considerada uma condição corporal na qual o indivíduo possui energia, vitalidade e as habilidades motoras suficientes para realizar as tarefas diárias e participar de atividades recreativas, sem fadiga excessiva. Como ressalta o senso comum, fazer exercícios é bom para a saúde. Atualmente, não mais se discutem os benefícios do esporte, mas, sim, qual a forma mais correta de praticá-los, visando alcançar ou manter a saúde.

No diabético, por exemplo, existe a necessidade de um monitoramento adequado, para evitar, durante a atividade física, estados de hipoglicemia e coma hipoglicêmico (choque insulínico), ou vice-versa, hiperglicemia e, consequentemente, entrada em estado de torpor ou até mesmo em coma diabético, sendo este menos grave e de ocorrência mais comum. Por isso, o monitoramento deverá ser inicialmente realizado antes, durante e após atividade física.

O horário de utilização de insulina lenta, rápida ou ultrarrápida, cabe ao médico, assim como a dosagem, o local de aplicação e o horário da ingestão de carboidratos, bem como a quantidade. A prática da atividade física acompanhada de dieta bem elaborada reduz esse perfil e melhora a saúde geral do diabético, reduz a pressão arterial, melhora a fórmula sanguínea e, dentro desta, as taxas de colesterol e de açúcar.

A atividade física possui um grande potencial no tratamento do diabetes, por permitir:

-Conscientizar o diabético da importância da prática de exercícios e manter uma vida ativa para promover a saúde;
-Reconhecer e saber avaliar os efeitos das diferentes formas de atividades físicas sobre a glicemia sanguínea, de acordo com variáveis como horário, tipo de exercício, volume, intensidade;
-Saber realizar os ajustes alimentares e/ou medicamentosos, para manutenção da homeostasia metabólica, durante e após as práticas físicas;
-Tanto a falta quanto o excesso de exercícios podem ser danosos ao organismo, especialmente tratando-se de pessoas com problemas metabólicos, como os diabéticos.

Aprimore seus conhecimentos, acessando os Cursos CPT, da área Esporte.

Por Andréa Oliveira.

Acesse os links abaixo e conheça mais sobre Atividades Físicas para Diabéticos:

14 vantagens dos exercícios físicos

Exercícios mais adequados para os diabéticos

Medidas preventivas para a prática de atividades físicas

Principais exercícios aeróbicos para diabéticos

Principais funções dos exercícios aeróbicos

Cursos Relacionados

Curso Atividades Físicas para Diabéticos Curso Atividades Físicas para Diabéticos

Com Prof.ª Mara Silveira

R$ 368,00 à vista ou em até 12x de R$ 30,67 sem juros no cartão

Frete Grátis 2 ou mais Cursos
Saiba mais
Curso Massagem Desportiva Pré-competição Curso Massagem Desportiva Pré-competição

Com Prof. Marcelo Quaranta

R$ 398,00 à vista ou em até 12x de R$ 33,17 sem juros no cartão

Frete Grátis 2 ou mais Cursos
Saiba mais

Deixe seu comentário

Avise-me, por e-mail, a respeito de novos comentários sobre esta matéria.

O CPT garante a você 100% de segurança e confidencialidade em seus dados pessoais e e-mail.
Seu comentário foi enviado com sucesso!

Informamos que a resposta será publicada o mais breve possível, assim que passar pela moderação.

Obrigado pela sua participação.

Outros artigos relacionados à área Esporte

Últimos

Mais Lidos

Atendimento Online
Quer Facilidade