WhatsApp SAC (31) 98799-0134 WhatsApp Vendas (31) 99294-0024 Ligamos para Você Central de Vendas (31) 3899-7000
0

Seu carrinho está vazio

Clique aqui para ver mais cursos.

Black Friday 30%OFF nos cursos online 15% OFF nos cursos em livro+DVD + 5% OFF extra no cartão de crédito

Tomates em estufa - adubação química

Análise química do solo para adubação.

Deve-se fazer a análise do solo em um laboratório idôneo e, após o resultado, calibrar o solo para adequá-lo à necessidade da cultura.

A exigência da cultura do tomate em termos nutricionais. Em termos de V%, esta deve estar entre 70 a 80% e o nível de fósforo deve atingir 200 a 250mg dm-3 e de potássio 40 mmolc dm-3 (nomenclatura atualizada para unidades).

Dessa forma, deve-se fazer a análise do solo em um laboratório idôneo e, após o resultado, calibrar o solo para adequá-lo à necessidade da cultura. Além da correção da acidez com incorporação de calcário, deve-se fazer a adubação orgânica.

Como adubação química básica, sempre colocar toda a quantidade calculada para o fósforo, dividindo em fósforo solúvel, como o superfosfato simples, e uma parte com termofosfato, acrescido de boro e zinco, como fonte de fósforo com uma liberação mais lenta.

O potássio poderá ser dividido, colocando uma parte na adubação básica e o restante em coberturas periódicas. Dessa forma, o aproveitamento é maior, principalmente no início da floração e frutificação.

Já a adubação nitrogenada deve ser feita com muito cuidado, pois, dependendo da qualidade do composto orgânico, esta poderá até ser bem reduzida quando aplicada em forma de cobertura.

Por essas questões é que se aconselha fazer sempre o acompanhamento da cultura para saber se realmente o tomateiro apresenta deficiência de nitrogênio.

Se feita em excesso, pode causar problemas muitas vezes não controláveis, pois provoca uma vegetação excessiva, predispõe a planta a contrair mais doenças e atrai mais pragas, além de provocar desequilíbrio nutricional.

Outros artigos relacionados ao tema:

Tomates em estufa – partes do tomateiro e exigências climáticas.

Tomates em estufa – adubação orgânica.

Tomates em estufa – sintomas de deficiências minerais.

Tomates em estufa – irrigação.

Tomates em estufa – salinização.

Tomates em estufa – tutoramento.

Confira mais informações, acessando os cursos da área Horticultura.

Por Andréa Oliveira.

Deixe seu comentário

Avise-me, por e-mail, a respeito de novos comentários sobre esta matéria.

O CPT garante a você 100% de segurança e
confidencialidade em seus dados pessoais e e-mail.
Seu comentário foi enviado com sucesso!

Informamos que a resposta será publicada o mais breve possível, assim que passar pela moderação.

Obrigado pela sua participação.

Últimos Artigos

Artigos Mais Lidos

Fique por dentro das novidades!