Cultivo de tomate em estufa

Tipos de estufa para o cultivo de tomate e escolha do local para instalação

A denominação estufa ou abrigo deve ser utilizada quando o objetivo é o aquecimento do ambiente

A denominação estufa ou abrigo deve ser utilizada quando o objetivo é o aquecimento do ambiente

O cultivo de tomate em estufas é uma atividade relativamente nova no Brasil, mas encontra-se em franca expansão, sobretudo nos Estados do Sudeste e Sul. Este modo de produção necessita de cultivares bem adaptadas e que proporcionem o máximo rendimento de produtos de elevado padrão de qualidade. Embora o número de cultivares ainda seja limitada, o tomate, ao lado do pimentão, é a espécie que tem mostrado crescimento mais consistente e uma das alternativas mais rentáveis do setor.

A denominação estufa ou abrigo deve ser utilizada quando o objetivo é o aquecimento do ambiente. As plantas desenvolvem-se melhor em determinadas temperaturas e o frio, por sua vez, pode causar má germinação da semente e má absorção de nutrientes, pois o sistema redicular paralisa a sua atividade, provocando abortamento de flores e crescimento lento. Por outro lado, com calor excessivo as plantas transpiram mais e se desidratam com facilidade, inviabilizando o grão de pólen, além de outros problemas de ordens fisiológicas.

Tipos de estufas

Estufa modelo Capela

A estufa modelo Capela tem a estrutura semelhante a um galpão ou aviário, com as duas abas da cobertura inclinadas, formando um triângulo. Este modelo também é conhecido por treliça, justamente pela característica de sua forma. Funciona muito bem em regiões de altas precipitações de chuvas, porém tem pouca resistência aos ventos, exigindo uma estrutura resistente.

A altura mínima da estufa não deve ser inferior a dois metros por duas razões: para comportar as plantas de porte alto como o tomate e formar um espaço para melhor controle do ambiente. Quanto maior for o volume de uma estufa na mesma área, os controles de temperatura e umidade relativa do ar serão mais facilitados. Indica-se deixar um espaço de dois a três metros entre uma estrutura a outra.

Estufa modelo Arco

É o modelo mais evoluído das estufas de madeira. Sua forma autoportante oferece grande resistência ao vento. O teto abaulado obtém um excelente aproveitamento da luz solar. Toda a estrutura de formato semicircular permite facilidade de fixação, como, também, sua troca rápida. Este modelo é fornecido pré-fabricado em ferro galvanizado. O custo geralmente é superior aos de outras estufas.

Estufa modelo Londrina


A estufa modelo Londrina é construída basicamente de esteios e arames. Uma característica desta estufa é que a água da chuva penetra no seu interior em locais já pré-determinados no projeto.

Escolha do local

Segundo a professora e doutora Rumy Goto, coordenadora do Curso Cultivo de Tomate em Estufa, elaborado pelo CPT – Centro de Produções Técnicas, existem vários fatores que merecem destaque ao se escolher o local para a instalação das estufas:

Topografia: O local deve ser preferencialmente plano. Assim, toda a área terá uma uniformidade de temperatura. Isto é importante sobretudo quando se quer cultivar plantas exigentes em luz, como o tomate, pepino e outras. O terreno plano também facilita a irrigação e o manejo durante o cultivo.

Vento:
Em regiões de ventos fortes, as estufas devem estar protegidas para evitar que os plásticos sofram danos, elevando os custos de produção. Para isto, é necessário construir quebra-ventos, com a finalidade de diminuir a velocidade do vento. A sua instalação deve ter de 8 a 10 metros de distância da estufa para que não haja interferência de luz. No entanto, convém ressaltar que os ventos são importantes, pois contribuem para o arejamento das plantas, principalmente nos períodos de temperatura elevada, ou em dias de umidade relativa do ar alta.

Luminosidade: A área destinada à construção da estufa deve receber um bom nível de insolação. Recomenda-se que seja longe de bosques. O local deve receber o maior número possível de horas de sol, pois muitas culturas são extremamente exigentes à luz.

Por: Paula Tibúrcio

Cursos Relacionados

Curso Hidroponia - Cultivo de Tomate Curso Hidroponia - Cultivo de Tomate

Com Prof. Carlos Alberto G. de Moraes e Prof. Marcelo...

R$ 398,00 à vista ou em até 12x de R$ 33,17 sem juros no cartão

Frete Grátis 2 ou mais Cursos
Saiba mais
Curso Cultivo de Tomate em Estufa Curso Cultivo de Tomate em Estufa

Com Prof.ª Dr.ª Rumy Goto

R$ 398,00 à vista ou em até 12x de R$ 33,17 sem juros no cartão

Frete Grátis 2 ou mais Cursos
Saiba mais
Curso Produção de Tomate Seco em Conserva e Shiitake Desidratado Curso Produção de Tomate Seco em Conserva e Shiitake Desidratado

Com Prof. Dr. Paulo Stringheta e Prof. Pedro Meloni

R$ 460,00 à vista ou em até 12x de R$ 38,33 sem juros no cartão

Frete Grátis 2 ou mais Cursos
Saiba mais
Curso Cultivo Orgânico de Tomate, Pimentão, Abóbora e Pepino Curso Cultivo Orgânico de Tomate, Pimentão, Abóbora e Pepino

Com Prof. Dr. Jacimar Souza

R$ 398,00 à vista ou em até 12x de R$ 33,17 sem juros no cartão

Frete Grátis 2 ou mais Cursos
Saiba mais

Deixe seu comentário

Avise-me, por e-mail, a respeito de novos comentários sobre esta matéria.

O CPT garante a você 100% de segurança e confidencialidade em seus dados pessoais e e-mail.
Seu comentário foi enviado com sucesso!

Informamos que a resposta será publicada o mais breve possível, assim que passar pela moderação.

Obrigado pela sua participação.

Comentários

Plantador

10 de nov de 2013

Seguirei esses passos... Uma estufa que eu fiz e gostei muito (para nós que moramos em apartamentos, essa quebra um galho), ela é barata de se fazer e cheia de tecnologia, para mim funcionou maravilhosamente, basta seguir os passos descritos: Tudo Em Volta: Estufa Agrícola Plantas Elétrica Caseira Para quem tiver interesse.

Mais Notícias sobre diversas áreas do conhecimento

Últimos

Mais Lidos

Atendimento Online
Quer Facilidade