WhatsApp SAC (31) 98799-0134 WhatsApp Vendas (31) 99294-0024 Ligamos para Você Central de Vendas (31) 3899-7000
0

Seu carrinho está vazio

Clique aqui para ver mais cursos.

Torne realidade o sonho de viver do que você ama! 20% OFF nos cursos online + 5% OFF pagando no cartão

Campanha publicitária questiona sobre consumo de carne de cavalo

Carnes exóticas, como a dos equinos, são apreciadas em diferentes partes do mundo

 

 Basashi, sashimi de carne de cavalo crua, prato da culinária japonesa. Foto: Brasil Escola.

Milhares de pessoas que passaram esta semana por um shopping de São Paulo puderam responder à pergunta “você comeria carne de cavalo?”. A iniciativa faz parte da divulgação de uma campanha publicitária para divulgar o programa de uma emissora de TV paga.

O programa traz ao fundo um painel que simula o forno de frango, mas nos espetos estão cavalos, que ficam girando enquanto são assados. A ideia é mostrar diferentes tipos de alimentação, inclusive com exemplos brasileiros.

O consumo de carne de cavalo será um dos pontos discutidos, pois fica a dúvida para muita gente se esses animais servem como alimento ou se eles são de estimação. A campanha gerou polêmica e muitas caras feias, mas ingerir carnes exóticas” é muito comum, incluindo cavalo, cachorro e muitos insetos.

Em grande parte, o problema está ligado a questões religiosas ou culturais. O consumo de cachorro na China e em outros países asiáticos reduziu um pouco, mas é bastante comum, assim como o de muitos insetos. Enquanto no Brasil e em outros países, é normal comer carne bovina, na Índia o animal é considerado sagrado.

Por aqui, comer carne de cavalo não é um hábito, embora ela seja um pouco parecida com a de boi, apenas mais consistente que esta. No entanto, o Brasil já é o terceiro maior exportador de carne equina do mundo. São quase mil toneladas por ano, gerando uma receita de US$ 35 milhões. O quilo custa em média R$ 25 reais, dependendo dos cortes, que são bem parecidos com os do boi.

A carne de cavalo brasileira é vendida para a França, a Bélgica, a Itália, a Rússia, a Suíça e o Japão. Ela é usada para a fabricação de embutidos ou em pratos especiais vendidos em restaurantes de luxo. Muitos países ainda proíbem essa prática. Nos Estados Unidos, por exemplo, a venda só foi autorizada em 2006. E neste ano, mais de 200 mil animais devem ser sacrificados para o consumo da carne no país.

Por: Maria Clara Corsino.

Deixe seu comentário

Avise-me, por e-mail, a respeito de novos comentários sobre esta matéria.

O CPT garante a você 100% de segurança e
confidencialidade em seus dados pessoais e e-mail.
Seu comentário foi enviado com sucesso!

Informamos que a resposta será publicada o mais breve possível, assim que passar pela moderação.

Obrigado pela sua participação.

Últimos Artigos

Artigos Mais Lidos

Fique por dentro das novidades!