WhatsApp SAC (31) 98799-0134 WhatsApp Vendas (31) 99294-0024 Ligamos para Você Central de Vendas (31) 3899-7000
Fale com uma Especialista
0

Seu carrinho está vazio

Clique aqui para ver mais cursos.

Identificação de cio em vacas

Cio é o período no qual a vaca aceita a monta (receptividade sexual) que normalmente ocorre em novilhas depois da puberdade e que não estejam prenhez, e em vacas não prenhez

Identificação de cio em vacas - As vacas e novilhas quando entram em cio, mudam de comportamento, ficando agitadas e nervosas.

As vacas e novilhas quando entram em cio, mudam de comportamento, ficando agitadas e nervosas.

Depois que se adota a inseminação, o rebanho não terá mais o touro, a não ser em caso de opção por repasse. O touro, sem dúvida, é muito sensível ao cio, conseguindo detectá-lo com grande precisão. Assim, a detecção do cio, terá de ser feita de uma forma alternativa, surgindo a necessidade de técnicas para reconhecimento do cio entre as vacas.

Um recurso utilizado, principalmente em grandes rebanhos, é o rufião. Trata-se de um macho inteiro, que monta, mas não consegue fazer a penetração. Devem ser escolhidos animais de raças que apresentam grande libido, geralmente, as européias ou mesmo, zebuínos mestiços com raças européias.

Outra possibilidade é a utilização de fêmeas que repetem cio ou androgenizadas, ou seja, tratadas com hormônios masculinos.

Estas vacas que, inclusive, chegam a apresentar uma aparência masculinizada, são atraídas e fazem a monta em fêmeas no cio.

Mas a forma menos dispendiosa e mais simples de se detectar o cio é a observação de monta entre fêmeas. Vacas e novilhas quando entram em cio ficam agitadas e nervosas. Elas dão cabeçadas umas nas outras, e ficam se encostando. A fêmea que está para entrar no cio, geralmente tenta montar as outras fêmeas que estão na mesma situação. Se a fêmea não entrou em cio, ela não aceita a monta. Já as fêmeas em pleno cio, ao contrário, ficam paradas, deixando-se montar.

A observação desse comportamento é uma indicação certeira de manifestação de cio. Mas, é importante destacar que, no caso de fêmeas de raças zebuínas, ou mesmo quando são mestiças, mas com maior grau de sangue zebu, o comportamento de monta entre fêmeas é mais discreto, bem mais difícil de ser observado. O que se indica neste caso é a utilização de rufiões.

O intervalo médio de repetição de cio na vaca é de 21 dias, podendo variar de 17 a 24 dias. Na vaca, o cio dura de 10 a 18 horas, ou seja, a fêmea aceita a monta por 10 a 18 horas.

A observação das manifestações de cio deve ser feita duas vezes ao dia, de manhã bem cedo, entre seis e sete horas, e ao final da tarde, entre 18 e 19 horas. Durante aproximadamente meia hora, o campeiro ou o inseminador deve observar o lote, identificando as vacas que se deixaram montar. A vaca em cio é sistematicamente montada, várias vezes por dia. Por isso, meia hora de observação, duas vezes ao dia, é suficiente para a identificação.

 

Aprimore seus conhecimentos. Conheça os Cursos CPT da área Gado de Corte.

Acesse os links abaixo e aprenda mais sobre o assunto:


Como se relacionam os parasitas e os bovinos

Definição de inseminação artificial em bovinos

Zona de fuga e ponto de balanço em bovinos

Objetivos e vantagens da inseminação artificial em bovinos

A digestão nos bovinos

Localização e infraestrutura para confinamento bovino

Características dos bovinos para confinamento

Comportamento alimentar dos bovinos

O bem-estar animal na cadeia produtiva bovina

Casqueamento em bovinos

 

Deixe seu comentário

Avise-me, por e-mail, a respeito de novos comentários sobre esta matéria.

O CPT garante a você 100% de segurança e
confidencialidade em seus dados pessoais e e-mail.
Seu comentário foi enviado com sucesso!

Informamos que a resposta será publicada o mais breve possível, assim que passar pela moderação.

Obrigado pela sua participação.

Últimos Artigos

Artigos Mais Lidos

Fique por dentro das novidades!