Pragas do maracujá - controle da Mosca-das-Frutas, Mosca-do-Botão-Floral e Tripes

Pragas do maracujá - controle da Mosca-das-Frutas, Mosca-do-Botão-Floral e Tripes

 O controle da Mosca-das-Frutas é feito por meio de iscas atrativas, preparadas com água e melaço de cana.

Mosca-das-Frutas

A Mosca-das-Frutas ataca os frutos jovens ou maduros do maracujazeiro, depositando seus ovos sobre a casca que, ao eclodirem, darão origem às larvas. As larvas penetram no fruto, provocando o seu murchamento, antes de atingir a maturação, e muitas vezes destroem a polpa do fruto, inutilizando-o para o consumo.  Ao se transformar em pupa, ela faz um orifício no fruto, caindo no solo, quando se transforma em mosca na forma adulta.

CONTROLE

Seu controle é feito por meio de iscas atrativas, que são preparadas com 100L de água, sete litros de melaço de cana e um inseticida fosforado, indicado para esse fim, como o  Malation 500 CE a 0,35%, o Fention a 0,1% (R) e o Triclorfon 500 a 0,24% do produto comercial. Nas regiões onde o melaço é dificilmente encontrado, este pode ser substituído por um quilo de proteína hidrolisada ou cinco quilos de açúcar cristal. Podem ainda ser utilizados como atrativos 50L de garapa, diluídos em igual volume de água ou suco de fruta, especialmente maracujá, diluído em quatro vezes o seu volume em água.

Mosca-do-Botão-Floral

A Mosca-do-Botão-Floral é uma pequena mosca que, na fase adulta, tem a coloração preta brilhante. Faz sua postura no botão floral, que por sua vez cai antes da abertura da flor. No interior do botão, é possível verificar a presença da pequena larva, de cor branco-amarelada.

CONTROLE

Para o controle da mosca devem ser tomadas as seguintes providências:

-Usar frascos caça-moscas, na proporção de dois frascos por hectare, para detectar a presença do inseto na área de plantio. Utilizar como atrativo suco de maracujá a 5%, ou solução açucarada a 10%, ou melaço a 7%;
-Logo que sejam encontrados os primeiros adultos nos frascos, iniciar o controle com isca envenenada;
-A aplicação deve ser feita aspergindo a solução inseticida sobre a folhagem do
maracujazeiro, no período da manhã;
-Durante o período de maior emissão de botões florais, pulverizar a isca a cada sete dias;
-Pulverizar a isca apenas de um lado da linha. Deve-se alternar as linhas em cada aplicação;
-A aplicação deve ser feita em 20% das linhas de plantio da cultura, sendo que, em todas as aplicações, as plantas da bordadura da lavoura devem ser pulverizadas;
-Preparar a isca com 100 litros de água, sete litros de melaço ou 5 kg de açúcar, mais 200 ml de Fention;
-Recolher os botões florais caídos no chão;
-Estabelecer barreiras vegetais utilizando-se espécies não hospedeiras da mosca, como capins ou eucalipto.

Tripes

O Tripes ataca os botões florais e os frutos novos, causando o aparecimento de lesões superficiais na casca, depreciando a qualidade do produto.

CONTROLE

O controle pode ser conseguido por meio de pulverizações com Dimetoato a 0,10 a 0,15% (Perfekthion 400 CE a 0,15% ou Dimexion a 0,10 a 0,15%).

Aprimore seus conhecimentos, acessando os Cursos CPT, da área Fruticultura, elaborados pelo CPT – Centro de Produções Técnicas (CPT), entre eles o Curso Produção de Maracujá.

Por Andréa Oliveira.

Acesse os links abaixo e conheça mais sobre as Pragas e Doenças do Maracujá:

Controle preventivo

PRAGAS DO MARACUJÁ

Controle de pulgões, percevejos e lagartas

Controle da Broca-do-Maracujazeiro, Besouro-das-Flores e Besouro-do-Botão Floral

Controle de cupins e ácaros

Controle das abelhas domésticas e Irapuás

Como usar defensivos para o controle de pragas

DOENÇAS DO MARACUJÁ

Controle do Damping Off, Antracnose, Verrugose, Septoriose e Alternariose

Controle da Fusariose ou Murcha e Podridão-do-Colo

Controle da Bacteriose

Controle de Nematoides

Medidas preventivas contra a Morte Prematura

Como usar defensivos para o controle de doenças

Cursos Relacionados

Curso Produção de Mamão Curso Produção de Mamão

Com Prof. Especialistas do Frupex

R$ 398,00 à vista ou em até 12x de R$ 33,17 sem juros no cartão

Frete Grátis 2 ou mais Cursos
Saiba mais
Curso Produção de Banana Curso Produção de Banana

Com Prof. Especialistas do Frupex

R$ 398,00 à vista ou em até 12x de R$ 33,17 sem juros no cartão

Frete Grátis 2 ou mais Cursos
Saiba mais
Curso Produção de Limão Taiti Curso Produção de Limão Taiti

Com Prof. Dr. Dalmo Lopes de Siqueira

R$ 398,00 à vista ou em até 12x de R$ 33,17 sem juros no cartão

Frete Grátis 2 ou mais Cursos
Saiba mais
Curso Produção de Goiaba Curso Produção de Goiaba

Com Prof. Pesquisadores da Goiabrás

R$ 398,00 à vista ou em até 12x de R$ 33,17 sem juros no cartão

Frete Grátis 2 ou mais Cursos
Saiba mais
Curso Produção Comercial de Frutas em Pequenas Áreas Curso Produção Comercial de Frutas em Pequenas Áreas

Com Prof. Dr. Dalmo Lopes de Siqueira

R$ 398,00 à vista ou em até 12x de R$ 33,17 sem juros no cartão

Frete Grátis 2 ou mais Cursos
Saiba mais
Curso Produção de Mudas Frutíferas Curso Produção de Mudas Frutíferas

Com Prof. Dr. Dalmo Lopes de Siqueira

R$ 398,00 à vista ou em até 12x de R$ 33,17 sem juros no cartão

Frete Grátis 2 ou mais Cursos
Saiba mais

Deixe seu comentário

Avise-me, por e-mail, a respeito de novos comentários sobre esta matéria.

O CPT garante a você 100% de segurança e confidencialidade em seus dados pessoais e e-mail.
Seu comentário foi enviado com sucesso!

Informamos que a resposta será publicada o mais breve possível, assim que passar pela moderação.

Obrigado pela sua participação.

Comentários

Sandyele

19 de fev de 2018

Como é feita a reprodução da mosca do botão floral?

Resposta do Portal Cursos CPT

19 de fev de 2018

Olá Sandyele,

Agradecemos sua visita e comentário em nosso site.

As larvas de Dasiops spp se alimentam do botão floral ou da própria flor consumindo as anteras ou o ovário, causando a caída de flores e botões, afetando assim a produção da planta. No caso da pitaya os danos podem ser detectados facilmente já que as flores afetadas tomam uma cor rosada; em casos como o maracujá, os frutos também se arrugam e ao abrir-se as larvas estão dentro. Existem diferentes mecanismos de controle para estas moscas, entre os quais estão o controle cultural, o controle biológico, o controle autocida e o controle químico.

Controle cultural: Os frutos afetados pelas moscas devem ser coletados das plantas e do solo para evitar que as larvas saiam e se transformem em pupa no solo, estes frutos devem ser descartados longe do lote produtivo e devem ser enterrados. Também se pode ancinhar a base das plantas fazendo o controle mecânico das larvas.

O uso de armadilhas para o monitoramento das moscas permite determinar um limite de ação para tomar decisões para o seu controle. Existem dois tipos de armadilhas-chaves que podem ser instaladas nos cultivos. Uma delas é a armadilha Jackson para a C. Capitata a qual consiste em dispor um gel ou um algodão com um feromônio atraente (Trimedlure) para atrair os machos. A outra é a armadilha McPhail para o gênero Anastrepha a qual contém um atraente alimentício (proteína hidrolisada); esta atrai tanto os machos como as fêmeas. Estas armadilhas são dispostas dentro do cultivo a uma altura inferior a 1.5 m; na Colômbia o ICA recomenda que para fazer o monitoramento se precise de uma destas por cada hectare cultivado.

Atenciosamente,

Ana Carolina dos Santos

Selma regina de oliveira

11 de dez de 2017

Ola ,tenho pés de maracujá doce ja deu muitas frutas no ano passado (2016).Só que esse ano a carga do maracujázeiro estava linda .Mas infelizmente para o meu desespero começaram a murchar os frutos e cairam .Li uma reportagem sobre as armadilhas fiz varias e constatei a mosca do maracuja em todas elas .Por favor me diga qual o inseticida que devo usar para combater essas moscas ,estou muito triste com essa praga ,por favor me ajudem. Att,Selma regina. Obrigada.

Resposta do Portal Cursos CPT

11 de dez de 2017

Olá, Selma.

Agradecemos sua visita e comentário em nosso site. Na matéria você encontra a forma de controlar a mosca das frutas.

Atenciosamente,

Renato Rodrigues.

Pábula

17 de abr de 2017

Qual o melhor horario para pulverizar os pé de maracuja para não prejudicar as mamangavas...

Resposta do Portal Cursos CPT

18 de abr de 2017

Olá Pábula,

Agradecemos sua visita e comentário em nosso site. O melhor horário para a pulverização do maracujá é pela manhã ou no fim da tarde.

Atenciosamente,

Ana Carolina dos Santos

Sharly Marques

15 de abr de 2017

Onde encontrar o inseticida para combater a mosca e agasalha de preta do maracujá?

Resposta do Portal Cursos CPT

17 de abr de 2017

Olá Sharly,

Agradecemos sua visita e comentário em nosso site. Recomendamos que consulte em casas agrícolas em sua região.

Atenciosamente,

Ana Carolina dos Santos

Fatima

19 de mar de 2017

Bom dia. Estou com problemas nos botões das flores maracuja. Bichinhos bem pequenininho nos botões eles estão fazendo secar os botões. Meu pé de maracujá estão cheios flores e outros de botões. Mas não produz o fruto. Ou então seca os botões. O que faço para acabar pulgões . Posso jogar caltrim. Joguei água com fumo de cigarro acabou as sussusarana. Agora é isto nos botões.: ( :( O que faco??? Obrigada.

Resposta do Portal Cursos CPT

20 de mar de 2017

Olá Fátima,

Agradecemos sua visita e comentário em nosso site. Para mais informações recomendamos que procure um consultor agrícola em sua região, para que o mesmo possa analisar e informar o melhor tratramento.

Atenciosamente ,

Ana Carolina dos Santos

reginaldo oliveira

1 de mar de 2017

Eu não tenho esperança em maracujá e não consigo controlar a mosca do botão .

Resposta do Portal Cursos CPT

2 de mar de 2017

Olá Reginaldo,

Para lançar-se mão das medidas de controle para mosca-das-frutas devem-se realizar amostragens da população na área. Para tal utilizam-se frascos caça-moscas (2 a 4 por hectare), que consistem de garrafas pet transparentes com três orifícios laterais. Nelas são colocados 20 mL da isca. Esta solução é composta de um estimulante alimentar, que pode ser o suco da fruta (25%), ou açúcar (5%), ou melaço (5%), ou proteína hidrolizada (1%), mais inseticida (3%) e água.

A amostragem deve ser semanal e o período crítico é a frutificação.

O nível de controle para as mosca-das-frutas é de 0,5 mosca/armadilha.

O controle da mosca do botão ainda não está definido, porém é indicado um controle semelhante ao da mosca-das-frutas.

Para as lagartas desfolhadoras em pequenas áreas recomenda-se frequentes catações com posterior destruição de ovos e lagartas.

As práticas culturais utilizadas no controle cultural são:

. Catação de frutos caídos e posterior enterrio em valas, cobrindo-os com um telado de malha fina e terra. O telado permite a passagem dos inimigos naturais, mas não permite a de mosca-das-frutas;

. Catação, sempre que possível, dos botões florais;

. Instalação de barreiras vegetais com a utilização de espécies não hospedeiras da mosca-do-botão-floral (ex. capim ou eucalipto);

. Poda e queima dos ramos atacados por brocas. Erradicação das plantas severamente atacadas;

. Erradicação de plantas com sintoma de virose, transmitida pelo pulgão. Deve-se evitar o plantio de espécies hospedeiras desta praga nas imediações do pomar;

. Catação das posturas, ninfas e adultos de percevejos, bem como a eliminação de plantas daninhas hospedeiras (melão-de-são-caetano) e evitar o plantio de chuchu e bucha nas proximidades;

. Plantio de espécies mais atrativas para as abelhas melíferas nas proximidades do pomar e que floresçam durante todo o período de floração do maracujazeiro;

. Localização e remoção de ninhos de arapuás para longe do pomar;

. Colocação de madeira mole ou tocos de árvores para as mamangavas nidificarem. O plantio de ornamentais (ipomea, hibiscos, urucum, etc) que floresçam no período em que o maracujazeiro não está florescendo, poderá manter as mamangavas na área da cultura. A instalação do pomar próximo as matas ou a preservação de matas nas proximidades favorecerão a presença delas.

O controle biológico natural é realizado pelos seguintes inimigos naturais:

. Pentatomidae - Alcaeorrynchus grandis, Oplomus catene, Apeteticus bifidus, Podisus spp.

. Reduviidae - Heza sp.

. Vepidae - Polistes spp., Polybia spp., Syndeca sp.

. Braconidae - Opius spp.

. Pteromalidae - Pteromalus spp.

O controle biológico aplicado pode ser realizado com o uso de Bacillus thurigiensis va. Kurstaki em lagartas desfolhadoras de pequeno tamanho. Também se tem o uso de Baculovirus (NPV) específico, no controle de desfolhadoras de pequeno tamanho (usa-se 80 lagartas infectadas/ha).

No controle da mosca-das-frutas utilizam-se iscas tóxicas de 15 em 15 dias sobre parte da planta ou em armadilhas. Quando aplicada sobre a planta recomenda-se alternar as plantas ou linhas. Também pode ser realizada apenas em um lado da planta. As plantas das bordas do pomar devem receber isca sempre. As aplicações devem ser feitas em intervalos de sete dias e nas fases de pré-maturação do fruto em intervalos de três a cinco dias. Quando chover após a aplicação, a operação deve ser repetida. A isca deve ser aplicada na superfície inferior das folhas, do lado da espaldeira onde o sol incide pela manhã e no início da manhã ou final da tarde. É composta de 5 kg de melaço ou açúcar mascavo ou 500 mL de proteína hidrolisada e inseticida em 100 L de água.

Para redução dos prejuízos causados pelas abelhas melíferas e arapuás recomenda-se a coleta de 10% das flores que irão abrir no período da tarde por volta das 10:30 e 12:00 e acondicionamento em recipientes arejados. Tais flores serão utilizadas na polinização artificial das demais flores a partir das 14:30.

No controle químico devem-se utilizar produtos seletivos para proteção dos inimigos naturais e polinizadores, e as pulverizações realizadas pela manhã. Um engenheiro agrônomo deverá ser requisitado para avaliação e indicação do controle químico. As pulverizações devem ser realizadas no período da manhã para preservação dos polinizadores.

Atenciosamente,

Ana Carolina dos Santos

Antonio Carlos daSilva

10 de jan de 2017

Eu tenho 5 pés de maracujá no meu quintal em inicio de crescimento e tenho visto que as folhas estão sendo furadas. Que doença é esta se é uma doença.

Resposta do Portal Cursos CPT

10 de jan de 2017

Olá Antônio,

Agradecemos sua visita e comentário em nosso site. Para mais informações, recomendamos que consulte um técnico agrícola em sua região para mais informações.

Atenciosamente,

Ana Carolina dos Santos

José Aurilio de Oliveira

16 de nov de 2016

Ad folhas do maracujazeiro estão ficando enrrugadas, como faço pra mandar uma foto e o q devo fazer?

Resposta do Portal Cursos CPT

16 de nov de 2016

Olá José Aurílio,

Agradecemos sua visita e comentário em nosso site. Para mais informações recomendamos que consulte um casa agrícola para mais informações.

Atenciosamente,

Ana Carolina dos Santos

Reny Cammarano

24 de fev de 2016

Adorei...realmente simplificou tudo. Não havia lido e agora estou preocupada porque pulverizei o maracujá com pikapau um veneno que a casa de aves me deu... Será q vai morrer...e estão tão lindos... Os pés...

Resposta do Portal Cursos CPT

25 de fev de 2016

Olá Reny,

Seria inetessante esperar um tempo e acompanhar como a planta vai reagir. Mas, não é recomendadoi que use este tipo de produto em sua plantação.

Atenciosamente,

Ana Carolina dos Santos

francisco

13 de mar de 2015

Como acabar com as moscas branca do maracujá??

Resposta do Portal Cursos CPT

16 de mar de 2015

Olá, Francisco!

Agradecemos sua visita e comentário em nosso site. O maracujazeiro sofre ataque de diversos insetos, sobretudo de moscas-das-frutas. No ataque de moscas-das-frutas, recomenda-se a catação manual e o enterro dos maracujás atacados.

No controle químico, de 15 em 15 dias, use isca tóxica composta de 500 gramas de açúcar mascavo, inseticida e 10 litros de água. O inseticida deve ser registrado para a cultura do maracujá, cujo receituário precisa ser elaborado por um engenheiro agrônomo.

Como alternativa, faça em uma garrafa PET três aberturas laterais de 2 centímetros de altura por 2 centímetros de largura, acima do nível do líquido. Preencha o frasco com solução atrativa com uma parte de suco de uva e três de água até o volume de 500 mililitros, ou com 35 mililitros de melaço em 465 mililitros de água.

Tampe a garrafa e amarre com arame na planta. Troque o líquido a cada 15 dias.

Atenciosamente,

Ana Carolina dos Santos

Outros artigos relacionados à área Fruticultura

Últimos

Mais Lidos

Atendimento Online
Quer Facilidade