WhatsApp SAC (31) 98799-0134 WhatsApp Vendas (31) 99294-0024 Ligamos para Você Central de Vendas (31) 3899-7000
0

Seu carrinho está vazio

Clique aqui para ver mais cursos.

Torne realidade o sonho de viver do que você ama! 20% OFF nos cursos online + 5% OFF pagando no cartão

O sistema fechado simples na criação de larvas de camarão

O sistema fechado simples de cultivo de larvas de camarão poderá ser instalado em qualquer galpão previamente construído desde que não haja contaminação por produtos tóxicos ou excesso de pó.

O sistema fechado simples na criação de larvas de camarão

 

Local de instalação

O sistema fechado simples de cultivo de larvas de camarão poderá ser instalado em qualquer galpão previamente construído desde que não haja contaminação por produtos tóxicos ou excesso de pó. Quando não houver essa disponibilidade, pode-se construir uma estufa confeccionada com armação de bambu e coberta com lona plástica. A área mínima deve ser de 15 m².

Tanques de eclosão

Serão utilizadas caixas de polietileno brancas com capacidade para 35 a 50 litros. As caixas serão enchidas com 25 litros de água salobra a 5% ou com água doce. A oxigenação será medida e mantida por meio de pedra porosa. Devem ser colocadas, no máximo, duas fêmeas de camarão por caixa.

Tanques de cultivo

As larvas de camarão serão distribuídas em duas caixas de cimento/amianto (135 x 113 cm) com capacidade para 1.000 litros e um volume útil de, aproximadamente, 850 litros preenchidos com água salobra (12%). Será acoplado um filtro biológico para os dois tanques. Estes deverão ser impermeabilizados com tinta Epoxi preta.

Termostatos e aquecedores manterão a temperatura da água em torno de 30°C. A aeração será mantida constante por meio de oito pedras porosas distribuídas ao redor do tanque. Estas estarão conectadas a uma mangueira de aeração de 15 mm de diâmetro, fixada na borda do tanque”, afirma o professor Wagner Cotroni Valenti, do Curso CPT Cultivo de Camarões de Água Doce, elaborado pelo Centro de Produções Técnicas.

A saída da água dos tanques de cultivo dos camarões será realizada por meio de um tubo de PVC, com diâmetro de 1”1/2, unido a um cotovelo articulado para permitir um fácil controle de nível, bem como a interrupção do fluxo durante o manejo. Um tubo de PVC de 4” telado com 125 ou 250 µm, removível, será adaptado a esta tubulação, impedindo a passagem das larvas de camarão e náuplios de Artêmia para o filtro. Junto a esse tubo, serão colocadas duas pedras porosas, impossibilitando, dessa forma, o acúmulo de detritos sobre a tela.

Tanques de Artêmia

A alimentação das larvas de M. rosenbergii consiste em fornecer, diariamente, náuplios recém-eclodidos de Artêmia. Esses náuplios eclodirão em garrafas de polietileno cortados (garrafão de água), com capacidade para 20 litros, e volume útil de 15 litros. Os tanques serão preenchidos com água salobra a 5% ou com “água de Artêmia”.

A aeração e a iluminação deverão ser mantidas constantes durante todo o processo de eclosão dos náuplios. O ar será fornecido por uma pedra porosa em cada tanque e a quantidade de luz deverá ser de 1000 lux, que se obtém com 2 lâmpadas fluorescentes de 20 W instaladas a uma distância de aproximadamente 20 cm.

Filtro biológico

O cultivo de camarões será realizado utilizando o sistema de recirculação, que permite reutilizar a água durante todo período de desenvolvimento das larvas de camarão. Este consiste, basicamente, na passagem da água por um filtro biológico, no qual se desenvolve bactérias responsáveis pela metabolização dos compostos nitrogenados, por meio do processo de nitrificação.

O sistema fechado com recirculação permite reduzir os custos com água e energia, pois mantém constante a temperatura, além de melhorar a estabilidade nos níveis de amônia e nitrito. O filtro será projetado para transformar, de forma eficiente, os subprodutos nitrogenados (amônio e nitrito) resultantes da excreção das larvas e da decomposição da matéria orgânica, evitando que atinjam níveis tóxicos.

O filtro biológico será constituído de caixa de cimento amianto, com capacidade de 250 litros (80 x 60 cm), subdividida em câmaras, por meio de placas de polietileno, e preenchidas com fragmentos de conchas de moluscos marinhos, algas calcárias ou corais com diâmetro aproximado de 5 mm. Estas serão utilizadas como substrato pelas bactérias. Sobre a primeira câmara do filtro biológico será colocado um filtro mecânico com a finalidade de remover resíduos, evitando o acúmulo de material orgânico entre os fragmentos de conchas.

A aeração do sistema de filtro será realizada por meio de pedras porosas de 15 cm, localizadas em cada câmara sob o substrato de conhas, para uma oxigenação mais uniforme.

A circulação será iniciada com a subida da água filtrada pelos seis tubos de PVC de 3/4”, impulsionada por “air-lift”, sendo conduzida até a superfície dos tanques de larvicultura. Devido ao princípio dos vasos comunicantes, ocorrerá, simultaneamente, a saída da água dos tanques de cultivo por meio dos tubos de PVC de 1”1/2 que, portanto, será levada ao filtro por gravidade.

Filtro mecânico

Esse tipo de filtro impede que partículas orgânicas e inorgânicas caiam no filtro biológico e interfiram nos processos de metabolização da amônia. O filtro mecânico será constituído por uma caixa (50 x 12 cm), feita com placas de polietileno ou de madeira (impermeabilizada com Epoxi), com fundo telado de malha de 80 µm.

Sistema de aeração

Todo o ar necessário para oxigenação das caixas, tanques e filtro biológico será proveniente de uma pequena rede instalada no laboratório de larvicultura abastecida por uma compressor radial de 0,5 cv de potência. o sistema de aeração será construído com mangueira de 1”1/4, com redução para cano de PVC de 1”, fixados na parede ou na armação de bambu da estufa.

Cada tanque de larvicultura e o filtro biológico possuirão uma derivação em conexão tipo (T) de 3/4”, dotados de registros de esfera. Em cada terminal, serão conectados tubos de PVC de 3/4” com 20 cm de comprimento e com saída para mangueiras de aeração de 5 mm.

O fluxo de ar para oxigenação será proporcionado por pedras porosas localizadas dentro de cada caixa, tanques e filtro biológico.

Aprimore seus conhecimentos, acessando os Cursos CPT, da área Piscicultura.

Por Andréa Oliveira.

 

Deixe seu comentário

Avise-me, por e-mail, a respeito de novos comentários sobre esta matéria.

O CPT garante a você 100% de segurança e
confidencialidade em seus dados pessoais e e-mail.
Seu comentário foi enviado com sucesso!

Informamos que a resposta será publicada o mais breve possível, assim que passar pela moderação.

Obrigado pela sua participação.

Comentários

Ricardo das virgens Rodrigues

19 de mai de 2019

Gostaria de saber se vcs tem alguma materia sobre criação de larvas de camarões marinho atualizadas

Resposta do Portal Cursos CPT

3 de jun de 2019

Olá Ricardo Rodrigues,

Agradecemos sua visita e comentário em nosso site.

Em breve, uma das nossas consultoras entrará em contato com informações e esclarecimentos em relação ao curso que atenderá às suas expectativas.

Atenciosamente,
Victor Sampaio

jorge sekulic

2 de mai de 2018

gostaria comorar curso criacao larva camarao no sistema biofluxo

Resposta do Portal Cursos CPT

2 de mai de 2018

Olá Jorge,

Nossas consultoras entrarão em contato com mais informações sobre o Curso a Distância Cultivo de Camarões de Água Doce.

Atenciosamente,

Ana Carolina dos Santos

Ivan Delmar Montengro

17 de ago de 2017

Nesse curso vem ensinando amontar os tanques que bombas usar quantidades de camarão por tanue

Resposta do Portal Cursos CPT

17 de ago de 2017

Olá, Ivan.

Agradecemos sua visita e comentário em nosso site. Nossas consultoras entrarão em contato com mais informações sobre o Curso.

Atenciosamente,

Renato Rodrigues.

Últimos Artigos

Artigos Mais Lidos

Fique por dentro das novidades!