WhatsApp SAC (31) 98799-0134 WhatsApp Vendas (31) 99294-0024 Ligamos para Você Ligue Agora (31) 3899-7000
0

Seu carrinho está vazio

Clique aqui para ver mais cursos.

Principais cuidados na ordenha de vacas

Para evitar a contaminação do leite, três aspectos de grande importância no processo de ordenha devem ser considerados: a higiene do ordenhador, da vaca e do material utilizado

Para evitar a contaminação do leite, três aspectos de grande valia no processo de ordenha devem ser considerados: a higiene do ordenhador, da vaca e do material utilizado

 

Uma boa ordenha começa com a condução das vacas, que deve ser feita com muita tranquilidade, sem berros ou tapas, evitando-se situações estressantes que possam prejudicar a descida do leite. Da mesma forma, é importante manter uma rotina de trabalho bem disciplinada, seguindo os horários pontualmente, repetindo cada etapa, de forma igual, com as vacas ocupando sempre os mesmos locais de ordenha, já que gostam muito de rotina.

O tratamento digno ao bovino é parte fundamental do processo orgânico de produção de leite. O pecuarista só tem a ganhar com isso.

Um outro aspecto fundamental na ordenha é a higiene para reduzir as contaminações bacterianas do leite e prevenir a mastite.

Dessa forma, três aspectos de grande importância no processo de ordenha devem ser considerados: a higiene do ordenhador, da vaca e do material utilizado.

Higiene do ordenhador

O ordenhador deve lavar previamente as mãos com água e sabão, continuando, ao longo da operação, a dar atenção à higiene delas, lavando-as todas as vezes que se ausentar da sala de ordenha.

Higiene do material

Da mesma maneira, botas e aventais deverão ser lavados, sempre que ocorrer respingo de dejetos durante a ordenha.

Higiene da vaca

O úbere deverá estar seco, os tetos limpos e secos. Se os tetos estiverem sujos, devem ser lavados com água corrente, sem que o úbere seja molhado, para não haver contaminação. Higienizado o local, têm-se início as etapas seguintes da ordenha.

Cada teto deverá ser testado com a caneca de fundo escuro, para a verificação de sinais de mastite clínica. A seguir, deve ser feita a assepsia deles com uma solução de pré-dipping, usando um aplicador apropriado, em que cada teto é mergulhado na solução até que fique totalmente banhado.

Depois, cada teto deve ser enxugado com papel toalha descartável, de uso individual.

Por Andréa Oliveira.

Conheça o Curso CPT Produção de Leite Orgânico

Deixe seu comentário

Avise-me, por e-mail, a respeito de novos comentários sobre esta matéria.

O CPT garante a você 100% de segurança e
confidencialidade em seus dados pessoais e e-mail.
Seu comentário foi enviado com sucesso!

Informamos que a resposta será publicada o mais breve possível, assim que passar pela moderação.

Obrigado pela sua participação.

Últimos Artigos

Artigos Mais Lidos

Fique por dentro das novidades!