WhatsApp SAC (31) 98799-0134 WhatsApp Vendas (31) 99294-0024 Ligamos para Você Central de Vendas (31) 3899-7000
Como podemos te ajudar?
0

Seu carrinho está vazio

Clique aqui para ver mais cursos.

Como converter a produção convencional em uma produção orgânica?

A prática da agroecologia é um processo que passa por um estilo de vida, isto é, transformar transformando-se

 
Como converter a produção convencional em uma produção orgânica?

A prática da agroecologia é um processo que implica adotar um estilo de vida, ou seja, transformar-se enquanto se transforma. Esse processo passa por várias dimensões ou etapas importantes. Uma delas refere-se à conversão ou período de transição, que é o intervalo de tempo variável necessário para que a propriedade migre do modelo convencional para o sistema agroecológico ou orgânico, constituindo-se assim em um agroecossistema, afirma o Prof. Dr. Jacimar Luis de Souza, do Curso CPT Cultivo Orgânico de Hortaliças – Sistema de Produção.


A conversão do manejo da produção agrícola convencional para a orgânica, apesar de começar com a eliminação total do uso de insumos químicos sintéticos, não se resume à simples substituição desses insumos por outros de origem biológica. Seu ponto de partida reside na identificação de uma cadeia de relações entre as diferentes atividades desenvolvidas no agroecossistema, com o objetivo de alcançar a sustentabilidade. Dessa forma, a definição dos processos de produção é conduzida por meio de um enfoque sistêmico, onde os subprodutos de uma atividade são aproveitados em outra, buscando fechar o ciclo de nutrientes, otimizar o fluxo energético e promover o equilíbrio entre as diversas espécies que habitam o ambiente.


Tanto o processo de conversão quanto o manejo de agroecossistemas orgânicos demandam profundos conhecimentos agronômicos e ecológicos, assim como uma compreensão detalhada das particularidades da propriedade rural, incluindo a qualidade e quantidade dos recursos humanos disponíveis na unidade de produção. Esses aspectos são essenciais para definir o esquema a ser seguido


Os sistemas orgânicos, que se fundamentam na substituição de insumos, embora proporcionem a produção de alimentos livres de resíduos tóxicos, frequentemente exibem uma alta dependência de insumos externos. Essa característica os torna geralmente menos sustentáveis quando comparados aos sistemas agroecológicos.


Na conversão, é recomendável que o planejamento se baseie na incorporação progressiva de novas áreas ao manejo orgânico. Na prática, tem sido observada uma diminuição crítica dos rendimentos físicos, especialmente nos dois primeiros anos. Este fato é atribuído, em grande parte, à falta de conhecimento sobre o manejo do agroecossistema e à baixa aplicabilidade técnica. As adversidades bióticas e abióticas enfrentadas pelas culturas, que eram controladas no sistema convencional pelo uso de agrotóxicos e outros recursos energéticos, tornam-se mais evidentes. Ao abandonar esses insumos e depender de um equilíbrio ecológico inexistente, uma série de desafios deve ser superada para restabelecer os níveis de produtividade física. Essas dificuldades são proporcionais ao grau de artificialização em que o sistema estava operando. Quanto mais artificializado, mais distante ele se encontra das condições de equilíbrio ecológico almejadas.


Gostou dessa matéria? Descubra tudo o que o Curso CPT tem a oferecer!      Assista ao vídeo abaixo!

Conheça o Curso Cultivo Orgânico de Hortaliças - Sistema de Produção.
Por: Thiago de Faria

Deixe seu comentário

Avise-me, por e-mail, a respeito de novos comentários sobre esta matéria.

O CPT garante a você 100% de segurança e
confidencialidade em seus dados pessoais e e-mail.
Seu comentário foi enviado com sucesso!

Informamos que a resposta será publicada o mais breve possível, assim que passar pela moderação.

Obrigado pela sua participação.

Últimos Artigos

Artigos Mais Lidos

Quer mudar de vida e ter sucesso profissional? Vamos te ajudar!