WhatsApp SAC (31) 98799-0134 WhatsApp Vendas (31) 99294-0024 Ligamos para Você Ligue Agora (31) 3899-7000
0

Seu carrinho está vazio

Clique aqui para ver mais cursos.

Calda Bordalesa: o que é, para que serve e como utilizar?

A calda bordalesa é um fungicida permitido na Agricultura Orgânica por ser o sulfato de cobre um produto pouco tóxico, e por melhorar o equilíbrio nutricional das plantas

Calda Bordalesa: o que é, para que serve e como utilizar? - Artigos Cursos CPT

A calda bordalesa é um fungicida que surgiu no século passado, na região de Bourdeaux, na França, para o controle de míldio em videiras. Ela resulta da mistura de sulfato de cobre com cal virgem, diluídos em água. O seu uso é permitido na Agricultura Orgânica por ser o sulfato de cobre um produto pouco tóxico, e por melhorar o equilíbrio nutricional das plantas. A preparação mais comum da calda bordalesa se dá na proporção de 1 parte de cal virgem e 1 parte de sulfato de cobre para 100 partes de água.

Segundo Luiz Geraldo Santos, professor do Curso a Distância CPT Cultivo Orgânico de Hortaliças em Estufa, em Livro+DVD e Curso Online, “A quantidade de cada ingrediente vai depender do volume final de calda pretendido. Como exemplo, vamos propor as quantidades para encher um pulverizador costal de 20 litros. Para utilizar em culturas sob estufa, reduzir a 30% as doses dos ingredientes”.

Produção da calda bordalesa - Ingredientes/Quantidade


Sulfato de cobre - 200 g
Cal virgem - 200 g
Água - 20 L

I- O sulfato de cobre

O sulfato de cobre se dissolve lentamente na água. Por isso deve-se colocar 200 g do produto em um saquinho de pano ralo, em um balde com 5 litros de água. O saquinho deve ficar suspenso, próximo à superfície da água, para facilitar a dissolução. Para dissolver mais rapidamente o sulfato de cobre, pode-se utilizar água morna ou colocá-lo na água na noite anterior.

II- A cal

A cal virgem deve ser de boa qualidade para reagir totalmente com a água. Os 200 gramas de cal são colocados no fundo de um balde com pouca água para haver reação rápida. Se não houver aquecimento da mistura em menos de 30 minutos, a cal não deve ser usada, pois é de má qualidade. Quanto mais rápida é a reação, melhor é a cal. Depois de a cal ter reagido com a água, formando uma pasta rala, deve-se completar o volume de água até 5 litros, cuja mistura terá uma aparência de leite de cal, bem homogênea.

III- A mistura

A mistura das duas soluções deverá ser feita despejando-se a mistura com sulfato de cobre sobre a de cal, nunca o contrário. A mistura deverá ter um aspecto denso, onde a cal não se decanta. Após mexer algumas vezes, coar a mistura e despejar no pulverizador, completando o volume até 20 litros.

Cuidado com a calda ácida

Para evitar queima das folhas das plantas, caso a calda esteja ácida, deve-se fazer um teste com um canivete ou faca de ferro, pingando sobre a lâmina uma gota da calda. Se, após três minutos, no local da gota se formar uma mancha avermelhada, é sinal de que a calda está ácida. Deve-se então adicionar mais leite de cal, até que a mistura fique neutra.

Recomendações de uso em estufas


Recomendações do uso da calda bordalesa em estufas - Artigos Cursos CPT

- Tomate: a calda pode ser aplicada, quando a plantinha estiver com 4 folhas. Controla a requeima, a pinta-preta e a septoriose.

- Batatinha: aplicar a partir de 20 dias após a germinação. Controla a requeima e a pinta-preta.

- Cebola: contra a mancha púrpura e outras manchas das folhas, diluir 3 partes da calda em 1 parte de água.

- Alho: usar a mesma recomendação para a cebola. Contra a ferrugem, usar calda sulfocálcica.

- Beterraba: para mancha da folha (Cercospora beticola), usar 3 partes de calda para 1 de água.

- Alface e chicória: para míldio e podridão de esclerotínia, usar 1 parte de calda para 1 parte de água.

- Couve e repolho: para míldio e alternaria em sementeira, diluir 1 parte de calda para 1 parte de água.

- Abobrinha e pepino: para míldio e outras manchas foliares, diluir 1 parte de calda em 1 parte de água.

As doenças de hortaliças geralmente ocorrem em condições de alta umidade do ar. Portanto, quando as condições do ambiente forem favoráveis às doenças, fazer aplicações semanais. Caso contrário, pulverizar quinzenalmente ou mensalmente.

Recomendações de uso em pomar


Recomendações do uso da calda bordalesa em pomar - Artigos Cursos CPT

- Caqui: para cercosporiose e mycosphaerela, usar 1,5kg de cal virgem para 0,3 kg de sulfato de cobre e 100 litros de água.

- Figo: para ferrugem, fazer tratamento de inverno com calda sulfocálcica. Durante a vegetação da brotação, até a maturação, deve-se pulverizar a calda bordalesa (1:1:100) periodicamente, a cada 10 a 15 dias.

- Cítricos (laranja, limão, mexerica entre outros): para verrugose e melanose da laranja doce, após uma safra em que a incidência da doença foi grande, fazer 2 pulverizações - a primeira antes da florada, a segunda quando 2/3 das pétalas tiverem caído. Quando a incidência é baixa, pulverizar uma vez após a florada. Nessas pulverizações deve-se adicionar óleo mineral , porque o cobre matará os fungos que atacam as cochonilhas, podendo haver o aumento destas.

- Goiaba: para ferrugem, pulverizar periodicamente de setembro a dezembro, quando as condições de clima são mais favoráveis: alta umidade do ar e temperaturas amenas.

- Rosáceas (Abricó, ameixeira, amendoeira, cerejeira, macieira, marmeleiro, nectarina, nespereira e pessegueiro): entomosporiose - pulverizar com caldabordalesa ou calda sulfocálcica após a poda, até o início da formação dos frutos.

- Mangueira: antracnose - pulverizar a primeira vez em fins de junho, antes do florescimento, em cobertura total, devendo molhar a copa uniformemente. A segunda pulverização deve ser feita durante o florescimento. A partir daí, fazer outras pulverizações entre 15 a 20 dias, de acordo com as condições do tempo (alta umidade e baixa temperatura), e intensidade da doença.

- Morangueiro: pulverizar, até a floração, com calda sulfocálcia. Depois substituir por calda bordalesa. Para antracnose: 0,5% de calda bordalesa + 1,5 litros de calda sulfocálcica em 100 litros de água, alternada com calda sulfocálcica.

Aumente seus conhecimentos sobre o assunto. Acesse as matérias CPT abaixo:


- Biofertilizante líquido: o que é e como aplicar nas plantas?
- Bokashi orgânico: o que é, como preparar e como aplicar

Quer saber mais sobre o Curso CPT? Dê Play no vídeo abaixo:


Conheça os Cursos a Distância CPT, em Livros+DVDs e Cursos Online, da área Agricultura Orgânica.
Por Silvana Teixeira.

Salvar

Deixe seu comentário

Avise-me, por e-mail, a respeito de novos comentários sobre esta matéria.

O CPT garante a você 100% de segurança e
confidencialidade em seus dados pessoais e e-mail.
Seu comentário foi enviado com sucesso!

Informamos que a resposta será publicada o mais breve possível, assim que passar pela moderação.

Obrigado pela sua participação.

Comentários

Antonio Augusto de Castro Bisneto

9 de set de 2019

Em uma videira doméstica, com 6 pés de uva, plantei 18 roseiras ao redor. Elas substituem a calda bordalesa, ou devo utilizá-la?

Resposta do Portal Cursos CPT

10 de set de 2019

Olá Antônio Augusto de Castro,

Agradecemos sua visita e comentário em nosso site.

O ideal é que utilize a calda bordalesa, que será fundamental para prevensão de fungos nas videiras, e também, nas roseiras.

Atenciosamente,
Victor Sampaio

Roberto Coerba

7 de set de 2019

Por favor no caso de videira como aplico calda bordalesa, semanalmente, mensalmente, durante que período.

Resposta do Portal Cursos CPT

9 de set de 2019

Olá Roberto Coerba,

Agradecemos sua visita e comentário em nosso site.

Para saber o tempo de aplicação da calda bordalesa, será necessário procurar um engenheiro agrônomo, para que ele verifique os danos que as videiras estão tendo e o grau de infestação. Só após esta visita será possível determinar o período e frequência de pulverização.

Atenciosamente,
Victor Sampaio

Ubiratan Cesar Barbosa

20 de ago de 2019

Esta calda bordalesa também serve para eliminar caramujos das plantas?

Resposta do Portal Cursos CPT

20 de ago de 2019

Olá Ubiratan César Barbosa,

Agradecemos sua visita e comentário em nosso site.

Não há estudos que comprovem a eficiência da utilização da calda bordalesa no combate aos caramujos. Para combater tal praga, o ideal é utilizar iscas molusquicidas.

Atenciosamente,
Victor Sampaio

Disleia Maria da Silva

17 de ago de 2019

Comprei um produto chamado titanium Cobre para usar no maracujá após a poda. Queria saber qual a quantidade produto devo usar por Bomba costal de 20 litros. Esse produto tem a mesma função da calda bordalesa? Obrigada

Resposta do Portal Cursos CPT

19 de ago de 2019

Olá Disleia Maria da Silva,

Agradecemos sua visita e comentário em nosso site.

O ideal é que você procure informações junto a loja onde o produto foi adquirido, pois não possuo conhecimento sobre tal produto. Na loja, o técnico responsável, irá indicar a melhor dosagem, e também, se o produto é semelhante a calda bordalesa.

Atenciosamente,
Victor Sampaio

Jussara Gonçalves dos Santos

24 de jul de 2019

Olá! Onde encontro o aparelho para aplicar calda bordalesa?

Resposta do Portal Cursos CPT

25 de jul de 2019

Olá Jussara Gonçalves dos Santos,

Agradecemos sua visita e comentário em nosso site.

Você encontrará as pulverizadores em lojas de produtos agropecuários. Na loja, o pessoal irá te indicar o melhor modelo, caso a aplicação seja realizado em ramos onde ocorreu a poda, você poderá utilizar o pincel para fazer a aplicação.

Atenciosamente,
Victor Sampaio

Rafael

19 de jul de 2019

Boa tarde. Posso utilizar essa calda em uma palmeira imperial para cicatrização? Em um trabalho com trator, o trator "machucou" a palmeira, e gostaríamos de recuperá-la.

Resposta do Portal Cursos CPT

22 de jul de 2019

Olá Rafael,

Agradecemos sua visita e comentário em nosso site.

Como aconteceu a lesão na palmeira, a utilização da calda bordalesa é fundamental para evitar que fungos e algumas bactérias ataquem a planta.

Atenciosamente,
Victor Sampaio

MARCELO DUARTE

28 de jun de 2019

Olá! Gostei muito do artigo sobre o uso de calda bordalesa no controle fúngico. No entanto, surgiu uma dúvida: Para preparar a calda, posso usar o sulfato de cobre pentahidratado (cobre-25,0%).

Resposta do Portal Cursos CPT

1 de jul de 2019

Olá Marcelo Duarte,

Agradecemos sua visita e comentário em nosso site.

O sulfato de cobre utilizado para a produção da calda bordalesa é o pentahidratado.

Atenciosamente,
Victor Sampaio

Renato Nogueira

21 de jun de 2019

Muito obrigado pela informação referente a calda bordalesa no cultivo da melancia... Surgiu uma nova dúvida aqui sobre o processo de irrigação com gotejamento e a frequência de uso do plantio a colheita .. Pode me ajudar em mais essa informação..

Resposta do Portal Cursos CPT

24 de jun de 2019

Olá Renato Nogueira,

Agradecemos o seu retorno.

Em relação a sua dúvida em relação a irrigação por gotejamento, a frequência e tempo de irrigação, varia muito de cidade para cidade e também, ao tipo de solo. Neste caso, o ideal é procurar por um técnico na área, para que ele lhe passe a informação mais adequada.

Atenciosamente,
Victor Sampaio

Renato Nogueira

20 de jun de 2019

Olá, Tenho uma plantação de melancia e gostaria de saber se posso usar a calda bordalesa e qual a frequência de aplicação.

Resposta do Portal Cursos CPT

21 de jun de 2019

Olá Renato Nogueira,

Agradecemos sua visita e comentário em nosso site.

Você poderá utilizar a calda bordalesa 1 vez a cada 15 dias, como método de prevenção a doenças fungicas.

Atenciosamente,
Victor Sampaio

Rose Santana

22 de mai de 2019

Olá, Tenho um pé de graviola há 5 anos. Queria saber se posso usar a calda bordalesa nele e qual a proporção? Ele está com percevejos e as folhas com ferrugem. Ele floresce normalmente, mas não vai pra frente. Obrigada pela atenção.

Resposta do Portal Cursos CPT

23 de mai de 2019

Olá Rose Santana,

Agradecemos sua visita e comentário em nosso site.

Você pode utilizar a calda bordalesa, sem problemas, principalmente para combater a ferrugem. Em relação a quantidade, uma parte de água para uma da calda será o suficiente.

Já sobre a planta não conseguir segurar as flores, o problema pode estar relacionado a nutrição ou irrigação da planta.

Atenciosamente,
Victor Sampaio

Últimos Artigos

Artigos Mais Lidos

Fique por dentro das novidades!