WhatsApp SAC (31) 98799-0134 WhatsApp Vendas (31) 99294-0024 Ligamos para Você Ligue Agora (31) 3899-7000
0

Seu carrinho está vazio

Clique aqui para ver mais cursos.

Resultados da busca para "potografia-de-tambaqui" ()

Piscicultura: Pacu e Tambaqui

Além de possuírem características que vão desde excelente capacidade de adquirir peso, até rusticidade e qualidade de se adaptar, o Pacu e o Tambaqui possuem carne sólida e de agradável sabor, o que favorece muito a venda destes peixes.

Peixes de água doce do Brasil - Tambaqui (Colossoma macropomum)

O Tambaqui é um peixe de escamas, com corpo romboidal, alto, achatado e serrilhado no peito. Apresenta uma dentição poderosa, adaptada para quebrar as duras castanhas que fazem parte de sua dieta. Em suas brânquias, podem ser observados espinhos longos e finos. Possui nadadeira adiposa curta, com raios na extremidade, dentes molariformes e rastros branquiais longos e numerosos. Sua coloração é parda, na metade superior, e preta, na metade inferior do corpo, mas pode variar para mais clara ou mais escura dependendo da cor da água. Tem a carne bastante apreciada. Pode alcançar 90 cm de comprimento e atingir 30 Kg.

Vai criar pacu e tambaqui? Faça em tanques-rede!

O cultivo de peixes em tanque-rede é uma pratica que tornou-se uma realidade econômica em diversos países há mais de uma década; no Brasil foi recentemente introduzida como alternativa para os proprietários rurais situados em áreas à margem de grandes barragens de usinas hidroelétricas. O corpo d’água no qual serão colocados os tanques-redes deve ter profundidade superior a cinco metros para permitir que os gases (amônia) produzidos pela decomposição das fezes e das sobras de ração se difundam evitando, assim, que ocorram efeitos deletérios aos peixes como redução no crescimento, menor eficiência alimentar e até casos de elevada mortalidade

Pacu e Tambaqui são nativos do Brasil, lucrativos e fáceis de criar

O Pacu e o Tambaqui são peixes nativos do Brasil, que vem sendo cada vez mais utilizados na piscicultura nacional. Das espécies nativas, são as mais lucrativas e fáceis de criar. São tradicionalmente consumidos pela população brasileira nos seus locais de origem, onde, por terem carne saborosa, fazem parte dos pratos típicos.

Pacu e Tambaqui: tipos de ração

No Brasil, os peixes nativos vêm sendo cada vez mais cultivados. É o caso do Piaractus mesopotamicus (Pacu) e do Colossoma macropomum (Tambaqui). Isso porque são peixes tradicionalmente consumidos pela população brasileira nos seus locais de origem (cidades próximas ao pantanal ou ao rio Paraná), pois têm carne saborosa, compondo parte dos pratos típicos da região.

Peixes redondos: a nova opção de consumo e produção nacional

Considerados como os novos queridinhos do Brasil, devido ao constante aumento da demanda por alimentos nutritivos e saudáveis, cresce a produção e o consumo dos chamados peixes redondos no País nos últimos anos. Entram aqui, pescados como o tambaqui, o pirapitinga, o pacu e seus híbridos, peixes estes que têm em sua composição 20% de proteína e aminoácidos essenciais em quantidades e proporções ideais para atender às necessidades orgânicas.

Úmida ou seca? Qual a melhor ração para peixes?

Em geral, as rações para peixes podem ser completas ou complementares. As rações completas visam atender todas as exigências nutricionais dos peixes, tanto em termos de proteína e energia (caloria) como também de vitaminas, minerais, aminoácidos e ácidos graxos polinsaturados. As pesquisas com exigências nutricionais para o pacu indicam que a quantidade de proteína para as fases de alevinagem e engorda está definida; porém dados confiáveis sobre as exigências de energia, minerais e vitaminas ainda não estão disponíveis

Piscicultura: alimentação balanceada garante o sucesso do empreendimento

No Brasil, a piscicultura, como atividade rural, surgiu há cerca de 70 anos, no Estado de São Paulo, com a introdução do cultivo da carpa comum, truta arco-íris e a tilápia. Esse cultivo só se consolidou na década de 80, com o desenvolvimento da tecnologia da desova induzida para o pacu e o tambaqui. Tal fato viabilizou os processos produtivos com o escoamento de produção em larga escala.

Criação de tilápias, de resolução de problema ambiental à principal atividade comercial

A piscicultura é uma atividade muito antiga, os chineses já a praticavam há vários séculos antes de Cristo. A criação de espécies exóticas, como a carpa, a tilápia e a truta a de espécies nativas, como o pacu e o tambaqui, vêm crescendo a cada dia.

Peixes de água doce do Brasil - Pacu (Piaractus mesopotamicus)

O Pacu é um peixe de escamas pequenas e numerosas. Sua coloração é cinza-escura, no dorso, e amarelo-dourada, no ventre, podendo variar devido o ambiente. Tem corpo comprimido, alto e em forma de disco, apresentando quilha ventral com espinhos, cujo número pode variar de 6 a 70. Seus dentes são molariformes. Possui carne muito saborosa, por isso é muito pescado. É uma espécie que vem sendo muito utilizada na piscicultura e para a formação do híbrido Tambacu em cruzamento com o Tambaqui. Pode alcançar mais de 70 cm de comprimento e pesar até 20 Kg.

Fique por dentro das novidades!