WhatsApp SAC (31) 98799-0134 WhatsApp Vendas (31) 99294-0024 Ligamos para Você Ligue Agora (31) 3899-7000
0

Seu carrinho está vazio

Clique aqui para ver mais cursos.

Produtos fitoterápicos - procedimentos de higiene

Os cuidados de higiene são especialmente importantes, quando se trata de produtos fitoterápicos que serão guardados, para serem utilizados em um período maior de tempo, como os xaropes e as tinturas

O manipulador dos fitoterápicos deve lavar e desinfetar as mãos, cuidadosa e frequentemente antes de começar o preparo dos produtos. Foto: reprodução.

O preparo de fitoterápicos requer um cuidado especial com a higiene, tanto de quem faz o preparo, quanto do ambiente, da matéria-prima (plantas e outros ingredientes) e dos utensílios utilizados. Os cuidados de higiene são especialmente importantes, quando se trata de produtos que serão guardados, para serem utilizados em um período maior de tempo, como os xaropes e as tinturas. Tomando-se os devidos cuidados de higiene, evita-se a contaminação dos produtos, aumentando seu tempo de validade e reduzindo o risco para a saúde de quem irá utilizá-los.

A contaminação dos produtos fitoterápicos pode vir:

- do manipulador, ou seja, da pessoa que prepara os produtos;
- da matéria-prima: plantas, água, açúcar, entre outros;
- do ambiente em que o produto é preparado e/ou armazenado;
- dos utensílios utilizados no preparo;
- dos vasilhames (vidros, potes, sacolas, entre outros) utilizados para embalar os produtos.

Vamos conhecer as medidas higiênicas a serem aplicadas no caso de cada tipo de agente.

Manipulador

“Uma das mais frequentes vias de transmissão de microrganismos para os alimentos é o manipulador, não apenas por bactérias patogênicas, como também por outros microrganismos indicadores de contaminação fecal”, afirmam os professores Celso Trindade e Maria Luiza Sartório, do curso Farmácia Viva – Utilização de Plantas Medicinais, elaborado pelo CPT – Centro de Produções Técnicas.

Toda pessoa que estiver trabalhando com a manipulação dos fitoterápicos deve manter rigorosa higiene pessoal, não devendo praticar atos não sanitários, tais como: coçar-se, introduzir os dedos nas orelhas, no nariz e na boca. Da mesma forma, deve manter as unhas aparadas, limpas, sem qualquer tipo de esmalte. Na hora do preparo, é recomendável utilizar um avental branco. Já os cabelos devem estar totalmente protegidos por lenços, toucas ou redes.

Higienização das mãos

O manipulador dos fitoterápicos deve lavar e desinfetar as mãos cuidadosa e frequentemente, antes de começar o preparo dos produtos, imediatamente após o uso dos sanitários, após a manipulação de material contaminado e todas as vezes que for necessário. O procedimento é o seguinte:

- lavar bem as mãos e os antebraços com água e sabonete neutro, de preferência, sabão - líquido próprio para mãos, demorando alguns minutos com as mãos ensaboadas;
- enxaguá-las em água corrente, de preferência quente;
- após o enxágue, enxugar com papel toalha;
- completar a higienização, sanitizando as mãos com álcool em gel;
- deixar o álcool secar naturalmente.

Ambiente e utensílios

Os equipamentos (fogão, liquidificador, entre outros), os utensílios (talheres, tábuas, panelas, tachos, peneiras, bacias, raladores, louças) e o local de preparação dos produtos devem ser mantidos limpos e sanitizados, antes de serem usados e depois de terminar o preparo. Na higienização de equipamentos, utensílios, bancadas e áreas, deve-se utilizar detergente neutro e o enxágue final deve ser feito com solução de hipoclorito de sódio a 200 ppm de cloro ativo ou álcool a 70°GL. As operações de limpeza e sanitização podem ser feitas em uma única etapa, utilizando-se, para tanto, um detergente clorado, que deve permanecer na superfície a ser higienizada por intervalo de tempo mínimo de 15 min. A solução de hipoclorito de sódio deve ser preparada, pouco antes da sua utilização, para conservar a atividade do cloro. É recomendado o uso de luvas para o seu manuseio e a embalagem do produto deve ser mantida sempre fechada.

Preparo da solução de cloro

O preparo das soluções de cloro para sanificação é realizado a partir de soluções comerciais de hipoclorito de sódio (NaOCl), que podem conter diferentes concentrações de cloro livre (5 a 20%). Para calcular a quantidade de cloro a ser adicionada à água, citamos como exemplo o seguinte cálculo, considerando que:

- 1 litro (L) = 1.000 mL;
- 1 kg = 1.000 g = 1.000.000 mg;
- 1 ppm = 1 mg/L;
- 100 ppm = 100 mg/L.

Se a solução comercial de hipoclorito contiver 10% de cloro livre, equivale dizer que contém: 10 g de cloro livre/100 mL ou 0,1 g de cloro livre/1 mL = 100 mg/1 mL. Portanto, para o preparo de uma solução com 100 ppm de cloro livre, mede-se 1 mL da solução comercial de hipoclorito a 10% e se dilui para 1 L com água. Na produção de fitoterápicos, são usadas soluções de cloro com diferentes concentrações, dependendo do que está sendo sanitizado. Assim, devem ser usadas as seguintes concentrações de cloro na operação de sanitização:

- utensílios e embalagens: 200 ppm de cloro ativo, durante 10 minutos;
- mesas, bancadas, equipamentos, azulejos, piso, entre outros: banhar com solução a 200 ppm de cloro ativo e deixar secar naturalmente.

Obs.: O uso de água sanitária não é aconselhável para clorar a água, porque contém outros compostos químicos como soda cáustica, alvejante, entre outros.

Os recipientes de vidro e suas tampas devem ser muito bem lavados com sabão neutro, em água corrente, além de serem cuidadosamente fervidos. Foto: reprodução.

Embalagens

Pasteurização dos Vidros

Os recipientes de vidro e suas tampas devem ser muito bem lavados com sabão neutro, em água corrente. As tampas de metal devem ser fervidas em água, por 10 minutos, com a finalidade de destruir microrganismos. Com a mesma finalidade, são fervidos os vidros, conforme os seguintes procedimentos:

- dispor os vidros em uma panela, de preferência, com fundo forrado com uma grade;
- cobrir os vidros totalmente com água e ferver durante 30 minutos (o tempo de fervura deve ser marcado assim que a água entrar em ebulição);
- conservar os vidros na água quente até o momento do seu enchimento.

Embalagens de plástico

Os potes de plástico, que podem ser empregados para embalar xarope e plantas secas, mesmo sendo novos, devem ser lavados e sanitizados, de acordo com os seguintes procedimentos:

- lavar os potes e as tampas com detergente neutro;
- enxaguá-los com água corrente;
- colocá-los de molho em solução de cloro a 200 ppm, por 15 min;
- deixar que sequem naturalmente sobre uma bancada, forrada com toalha de papel.

Confira mais informações, acessando os cursos da área Plantas Medicinais.

Por Andréa Oliveira.

Deixe seu comentário

Avise-me, por e-mail, a respeito de novos comentários sobre esta matéria.

O CPT garante a você 100% de segurança e
confidencialidade em seus dados pessoais e e-mail.
Seu comentário foi enviado com sucesso!

Informamos que a resposta será publicada o mais breve possível, assim que passar pela moderação.

Obrigado pela sua participação.

Comentários

Raimundo Francisco da Silva

20 de mar de 2019

Vocês ministram cursos presenciais de fitoterapia/plantas medicinais?

Resposta do Portal Cursos CPT

21 de mar de 2019

Olá Raimundo,

Agradecemos a visita e comentários em nosso site.

Nossos cursos são online ou a distância.

Atenciosamente,

Mariana Caliman Falqueto

Maria de fatima

7 de dez de 2018

Gostaria de saber se vocês têm o curso de higienização por tratamento térmico De ervas medicinais, quanto a durabilidade é se durante o armazenamento irá causar fungo ou não?

Resposta do Portal Cursos CPT

20 de dez de 2018

Olá Maria,

Agradecemos a visita e comentário em nosso site.

Nossas consultoras entrarão em contato para informações.

Atenciosamente,

Mariana Caliman Falqueto

Últimos Artigos

Artigos Mais Lidos

Fique por dentro das novidades!