WhatsApp SAC (31) 98799-0134 WhatsApp Vendas (31) 99294-0024 Ligamos para Você Ligue Agora (31) 3899-7000
0

Seu carrinho está vazio

Clique aqui para ver mais cursos.

Artigos sobre a área Plantas Medicinais

Qual o melhor tipo de solo para plantar pimenta-do-reino?

Para cultura da pimenteira-do-reino deve-se escolher solos com propriedades físicas adequadas. “O mais importante a se considerar refere-se à reserva de nutrientes do solo, pois baixos teores de nutrientes podem ser corrigidos pelo uso adequado de fertilizantes e corretivos”, afirma Barachisio Lisboa Casali, professor do Curso CPT Produção e Processamento de Pimenta-do-Reino”.

Vai plantar pimenta-do-reino? Faça a análise do solo!

Para determinar a necessidade de correção da acidez dos solo e de adubação, deve ser feita uma análise química do solo. “Para a pimenta-do-reino, o solo deve ter pH na faixa de 5 a 6”, afirma Barachisio Lisboa Casali, professor do Curso CPT Produção e Processamento de Pimenta-do-Reino”. Para isso, é preciso coletar amostras do solo, em vários pontos da área e enviar uma amostra...

Fonte de renda e lucro certo? Cultive pimenta-do-reino!

A pimenta-do-reino produzida no Brasil é exportada para dezenas de países nas formas de pimenta preta, pimenta branca e pimenta verde ou em salmoura; sendo que a maior parte é de pimenta preta. É usada em larga escala como condimento, proporcionando sabor agradável e facilitando a digestão dos alimentos, sendo consumida também pelas indústrias de carnes e conservas e, ainda, nas...

Pimenteiras-do-reino têm de ser podadas? Sim! Saiba porque

Durante o crescimento, a pimenteira-do-reino emite várias brotações que, se deixadas crescer livremente, formarão uma touceira impossível de ser conduzida. “Deve ser feita a poda do broto terminal, quando a pimenteira atingir 1 m de altura. Essa prática tem como objetivo estimular a brotação dos ramos laterais de produção ou frutíferos”, afirma Barachisio Lisboa Casali, professor...

Aprenda a plantar cravo-da-índia

Para o plantio de cravo-da-índia, devem ser adquiridas sementes, conhecidas popularmente como cravão. Elas devem ser relativamente novas (até dois meses após a colheita) e mantidas por 24 horas submersas em água para a eliminação da polpa. O procedimento acelera o processo de germinação, que acontece em aproximadamente 10 dias.

Plantio e colheita da canela-em-pau

Especiaria tão antiga quanto o cravo-da-índia, a canela (Cinnamomum zeylanicum) é uma planta aromática medicinal, típica da Índia, do Sri Lanka e do Mianmar. Disseminada amplamente na Europa, a canela foi introduzida, no Brasil, pelos jesuítas europeus. Desde então, é utilizada com fins terapêuticos e culinários, como canela-em-pau (extraída da árvore) ou canela-em-pó (processada).

Aprendendo a plantar alecrim

Celso Trindade, um dos professores do Curso CPT Cultivo e Uso de Plantas Condimentares, destaca que as plantas condimentares são ingredientes indispensáveis nas cozinhas mais sofisticadas do mundo. Mas também podem e devem ser usadas no nosso dia-a-dia, transformando pratos comuns em deliciosas iguarias.

Saiba mais sobre plantio de babosa

A propagação da babosa (Aloe vera) ocorre por rebentos, ou seja, brotações na base, plantadas em local definitivo. A colheita acontece, antes da floração, e a extração caseira da resina é simples: basta deixar a folha da babosa pendurada por aproximadamente 2 dias. Embora existam centenas de espécies de babosa, a Aloe vera se destaca devido ao alto valor comercial.

7 ervas aromáticas usadas com fins medicinais

As ervas aromáticas, como alecrim, tomilho, manjericão, orégano, salsinha, cebolinha e coentro, enriquecem diversos pratos com aromas e sabores incríveis. Inclusive, algumas delas constituem uma das bases da gastronomia brasileira. Além disso, as plantas aromáticas ou ervas-de-cheiro podem ser usadas com fins medicinais, pois promovem benefícios à saúde humana.

Guia prático para plantar erva-doce

A erva-doce ou funcho (Foeniculum vulgare) é uma planta medicinal perene, que também pode ser cultivada anual ou bienalmente. Originária do Mediterrâneo, a erva-doce pode alcançar 2,5 metros, com folhas de até 40 centímetros e pequeninas flores aromáticas. Desde a época de nossas avós, a erva-doce é utilizada como tratamento natural de cólicas intestinais em bebês.

Fique por dentro das novidades!