WhatsApp SAC (31) 98799-0134 WhatsApp Vendas (31) 99294-0024 Ligamos para Você Central de Vendas (31) 3899-7000
Fale com uma Especialista
0

Seu carrinho está vazio

Clique aqui para ver mais cursos.

Estafilococos, estreptococos e colibacilose na avicultura

As doenças bacterianas respiratórias causadas por estafilococos, estreptococos e colibacilose afetam tanto as aves criadas no sistema de manejo caipira melhorado quanto aves de corte e postura do sistema industrial

Estafilococos, estreptococos e colibacilose na avicultura   Artigos CPT

As doenças bacterianas respiratórias causadas por estafilococos, estreptococos e colibacilose afetam tanto as aves criadas no sistema de manejo caipira melhorado quanto aves de corte e postura do sistema industrial. “A ocorrência das infecções bacterianas, geralmente, reflete problemas de manejo ou higiene que propiciam a ocorrência de infecções oportunistas”, explica Marcelo Dias da Silva, professor do Curso CPT Avicultura – Produção e Principais Doenças.

Características gerais de doenças bacterianas causadas por estafilococos, estreptococos e colibacilose:


- São, geralmente, oriundas da flora e causam infecções em situações de queda de resistência (agentes oportunistas e secundários).
- Achados isolados em lotes não constituem preocupação, mas, em muitos casos tanto de postura como de corte, sugerem problemas de higiene.
- É necessário realizar os exames de cultura e antibiograma devido à presença de cepas resistentes a determinados antibióticos.

É recomendável fazer o exame antibiograma de rotina com certa frequência nas aves, antes mesmo de notarmos qualquer tipo de alteração.

Estafilococos, estreptococos e colibacilose


Esses microrganismos representam um grupo importante de bactérias que possuem em comum a característica de serem doenças oportunistas, ou seja, manifestam-se de modo secundário a um processo de micoplasmose, que fragiliza o sistema imune de determinado lote ou grupo de aves. Dessa forma, é comum que o produtor ou profissionais da indústria observe a ação de estafilococos, estreptococos e colibacilose apenas na linha de abate de aves, ao perceber, por exemplo, a presença de celulite de peito (inflamações no peito), inflamações articulares, abcessos, diarreia e a presença de granulomas nas regiões reprodutivas ou intestinal das aves.

A ação dessas bactérias está relacionada a uma questão de higiene ou à ocorrência de uma infecção primária imunossupressora. As perdas na linha de abate podem chegar a 20% ou 25% em lotes provenientes de uma mesma granja.

O médico veterinário deve se atentar para as instalações e para a presença de sujidades nos cantos e nos ventiladores do galpão, pois essas características são favoráveis à proliferação das bactérias. Trata-se de microrganismos que estão presentes na flora intestinal e na pele das aves, mas, diante de certas condições ambientais, tornam-se patogênicos e capazes de desencadear graves quadros clínicos.

Gostou da matéria? Saiba mais sobre o assunto na(s) matéria(s) abaixo:


O custo da alimentação para a avicultura Brasileira

Quer saber mais sobre o Curso? Dê Play no vídeo abaixo:


 

Conheça os Cursos CPT da área Medicina Veterinária.
Por Silvana Teixeira.

Deixe seu comentário

Avise-me, por e-mail, a respeito de novos comentários sobre esta matéria.

O CPT garante a você 100% de segurança e
confidencialidade em seus dados pessoais e e-mail.
Seu comentário foi enviado com sucesso!

Informamos que a resposta será publicada o mais breve possível, assim que passar pela moderação.

Obrigado pela sua participação.

Últimos Artigos

Artigos Mais Lidos

Fique por dentro das novidades!