Goiaba - principais variedades e mercado

As inúmeras variedades de goiaba oferece bons resultados não só com a comercialização no mercado interno, mas também no mercado externo com boas perspectivas de negócios

Goiaba - principais variedades e mercado

Há mais de 130 espécies de goiabeiras no mundo, entretanto a mais cultivada mundialmente é a Psidium guajava L. Essa frutífera se adapta bem a regiões de clima tropical, mas não se sabe ao certo se sua origem é asiática ou americana. No Brasil, o cultivo de goiaba, visando a escala comercial, desenvolve-se de Norte a Sul. Só os estados de São Paulo e Pernambuco respondem, juntos, por 85% da produção nacional. Isso se deve ao fato de a goiaba ser uma das principais matérias-primas das indústrias de processamento.

O mercado:

Quando cultivada sob irrigação, a goiabeira pode produzir mais de uma safra por ano, além de possuir inúmeras variedades. Portanto, trata-se de uma cultura que oferece bons resultados não só com a comercialização no mercado interno, mas também no mercado externo com boas perspectivas de negócios com a Europa e América do Norte.

“A Dinamarca, o Canadá, a Suécia, a Holanda, a Alemanha e, principalmente, a Inglaterra e a França já vêm importando goiabas brasileiras para o consumo in natura”, afirmam os especialistas da GOIABRÁS e professores do Curso Produção de Goiaba, elaborado pelo CPT - Centro de Produções Técnicas.

Principais variedades:

A grande maioria dos pomares implantados no Brasil é formada por plantas que se originaram de sementes, o que provocou a grande variedade de frutos produzidos. As goiabas destinadas ao mercado externo devem ser, preferencialmente, de polpa com coloração branca e de aspecto atraente, com peso médio e tamanho de acordo com a classificação desejada, além de resistentes ao transporte e armazenamento.

Para as áreas irrigadas do Nordeste brasileiro, são recomendadas as cultivares White Selection of Florida e a Pentecostes. Já para o estado de São Paulo, são recomendadas as cultivares Pedro Sato, Pedra Branca; Branca de Valinhos; Branca de Kumagai, ou simplesmente Kumagai; e Ogawa Branca. Estas cultivares são produzidas nas regiões de Valinhos e Araçatuba, estado de São Paulo, com o objetivo de abastecer os mercados interno e externo, para o consumo in natura.

As variedades de polpa vermelha, como a Ruby Supreme, Red Selection of Florida, Pirassununga Vermelha, seleção IPA B-22, Sassaoka, Rica e Paluma estão sendo difundidas e cultivadas, em maior ou menor escala, em algumas regiões produtoras. Entretanto, o mercado internacional dá preferência aos frutos de polpa branca. As variedades de polpa vermelha têm melhor aceitação no mercado interno.

Aprimore seus conhecimentos, acessando os Cursos CPT, da área Fruticultura.

Por Andréa Oliveira.

 

 

Cursos Relacionados

Curso Produção de Banana Curso Produção de Banana

Com Prof. Especialistas do Frupex

R$ 398,00 à vista ou em até 12x de R$ 33,17 sem juros no cartão

Frete Grátis 2 ou mais Cursos
Saiba mais
Curso Produção de Goiaba Curso Produção de Goiaba

Com Prof. Pesquisadores da Goiabrás

R$ 398,00 à vista ou em até 12x de R$ 33,17 sem juros no cartão

Frete Grátis 2 ou mais Cursos
Saiba mais
Curso Produção Comercial de Frutas em Pequenas Áreas Curso Produção Comercial de Frutas em Pequenas Áreas

Com Prof. Dr. Dalmo Lopes de Siqueira

R$ 398,00 à vista ou em até 12x de R$ 33,17 sem juros no cartão

Frete Grátis 2 ou mais Cursos
Saiba mais

Deixe seu comentário

Avise-me, por e-mail, a respeito de novos comentários sobre esta matéria.

O CPT garante a você 100% de segurança e confidencialidade em seus dados pessoais e e-mail.
Seu comentário foi enviado com sucesso!

Informamos que a resposta será publicada o mais breve possível, assim que passar pela moderação.

Obrigado pela sua participação.

Comentários

Gilvan Araújo

6 de mai de 2016

Desejo iniciar plantio e aceito matérias relacionadas.

Resposta do Portal Cursos CPT

6 de mai de 2016

Olá Gilvan,

Agradecemos sua visita e comentário em nosso site. Para mais informações cadastramos seu e-mail para receber nosso boletim informativo.

Atenciosamente,

Ana Carolina dos Santos

Outros artigos relacionados à área Fruticultura

Últimos

Mais Lidos

Atendimento Online
Quer Facilidade