WhatsApp SAC (31) 98799-0134 WhatsApp Vendas (31) 99294-0024 Ligamos para Você Ligue Agora (31) 3899-7000
0

Seu carrinho está vazio

Clique aqui para ver mais cursos.

Arraçoamento de alevinos de tilápias: como fazer

A tilápia é um peixe que possui estômago reduzido e, por isso, é recomendado que a alimentação com ração seja fracionada em várias vezes ao dia

Arraçoamento de alevinos de tilápias: como fazer   Artigos Cursos CPT

 

O ato de alimentar os alevinos não se restringe apenas ao lançamento da ração dentro dos tanques. É preciso conhecer a ração que será utilizada, a quantidade que deverá ser fornecida, a forma como será disponibilizada e ficar atento ao comportamento dos peixes em geral, principalmente nos momentos dos tratos, que diz muito a respeito da saúde e do desenvolvimento em geral.

A ração é responsável por mais de 50% do custo de produção de tilápias e um dos motivos do seu alto custo é o percentual de proteína bruta. Por outro lado, os peixes precisam receber proteína em maior quantidade para alavancar o desenvolvimento corporal, principalmente nas fases iniciais. A qualidade da ração pode ser avaliada pelo percentual de proteína bruta e pela sua digestibilidade.

“A tilápia é um peixe que possui estômago reduzido e, por isso, é recomendado que a alimentação com ração seja fracionada em várias vezes ao dia”, afirma Giovanni Resende de Oliveira, professor do Curso CPT Produção de Tilápias em Tanques Escavados.

Assim, os peixes nunca ficarão completamente saciados e estarão sempre dispostos a se alimentarem todas as vezes que houver fornecimento de ração. Além disso, o trato digestivo não ficará muito distendido e a digestão se tornará mais eficiente. Além disso, a tilápia, por ser um peixe de escamas, consegue alimentar bem durante todo o dia, tornando viável a estratégia de fracionar a alimentação diária de quatro a seis vezes ao dia.

O arraçoamento


A quantidade de ração a ser fornecida diariamente deve ser estimada com base nos dados de biometria que se refere ao processo de captura e pesagem de lotes de peixes para avaliar o desenvolvimento do lote. Para isso, será preciso periodicamente capturar lotes de peixes, pesá-los e dividir o valor do peso obtido pelo número de peixes para obter o peso médio por peixe. Em função desse peso, estima-se a quantidade de ração que deverá ser fornecida diariamente, conforme recomendação do fabricante da ração. Na fase da recria, a biometria deverá ser realizada a cada 15 dias.

Mas, o comportamento dos peixes também nos diz muito, porque nos possibilita ajustar a quantidade de alimentos em função da disposição dos peixes em consumir alimentos em cada momento, em dada dia. É recomendável fornecer um pouco menos de ração do que o calculado, para observar como os peixes irão consumir a ração. Se isso acontecer de forma rápida, significa que será preciso aumentar, ligeiramente, a quantidade a ser fornecida. Caso contrário, a quantidade de ração estará adequada. Se houver sobras, será indicativo de que a quantidade de ração deverá ser reduzida.

Em relação à qualidade da água, será necessário fazer acompanhamento dos indicadores, para que eventuais medidas possam ser tomadas, no sentido de garantir a melhor qualidade possível para o desenvolvimento dos peixes.

Aprimore seus conhecimentos sobre o assunto. Leia a(s) matéria(s) a seguir:


- Dica de ouro para quem vai escavar tanques? Compacte bem o solo!
- Como esvaziar tanques de terra para uma nova remessa de alevinos

Conheça os Cursos CPT da área Piscicultura.
Por Silvana Teixeira.

Deixe seu comentário

Avise-me, por e-mail, a respeito de novos comentários sobre esta matéria.

O CPT garante a você 100% de segurança e
confidencialidade em seus dados pessoais e e-mail.
Seu comentário foi enviado com sucesso!

Informamos que a resposta será publicada o mais breve possível, assim que passar pela moderação.

Obrigado pela sua participação.

Últimos Artigos

Artigos Mais Lidos

Fique por dentro das novidades!