Resultados da busca para "a-traira-tem-vermes"

Traíra, trairão e truta: saiba mais sobre a criação desses peixes

A traíra e o trairão são espécies tipicamente brasileiras, sendo o trairão originário da região norte. Suportam águas com baixos teores de oxigênio dissolvido e atingem a maturidade sexual por volta do segundo ano de vida. Reproduzem-se naturalmente nos viveiros, não havendo diferença sexual entre o macho e fêmea.

Peixes de água doce do Brasil - Trairão (Hoplias lacerdae)

O Trairão é um peixe de escamas maior que a traíra. Possui corpo cilíndrico. Sua coloração é quase negra, no dorso, já os flancos são acinzentados e o ventre esbranquiçado. Costuma conviver com vários indivíduos não chegando, no entanto, a formar grandes cardumes. Pode atingie 20 Kg e alcançar 1 m de comprimento. É uma espécie piscívora (alimenta-se de outros peixes), muito voraz.

Criação Orgânica de Cabras Leiteiras- ação do medicamento homeopático nos vermes

O controle da verminose é feito nas formas jovens dos vermes, por isso que se consegue acabar com os que estão em terra e que não completam o ciclo de vida. A verminose é uma das grandes causas de baixa de produção de carne e debilita os animais jovens, tornando-os susceptíveis a enfermidades por patologias infecciosas e ou nutricionais.

Criação Orgânica de Cabras - verminoses intestinais e seu controle

Problemas com vermes ocorrem com mais frequência em rebanhos leiteiros e afetam principalmente animais jovens, durante sua primeira estação no pasto. A imunidade aos nematoides gastrintestinais é adquirida de forma lenta e, normalmente, requer duas estações de pastejo antes que um nível considerável seja alcançado.

Minhocas: saiba mais sobre elas

As minhocas são vermes evoluídos que pertencem ao filo dos Anelídeos. Elas são animais que se caracterizam, em particular, por apresentarem os seus corpos segmentados, tanto interna, quanto externamente. Esses segmentos (somitos) assemelham-se a pequenos anéis, daí o fato de pertencerem ao filo Anélida. São da família Oligochaeta, isto é, apresentam poucas cerdas por segmento, daí o nome Oligo (poucos) e Chaeta (cerdas).

Carpas comuns e carpas coloridas (Nishikigois)

A palavra carpa vem do alemão Karpfen. É um peixe teleósteo de nome científico Cyprinus carpio (L.), da família da família Cyprinidae. Muito encontrado em lagos de água doce e rios da Ásia (mais especificamente da China), Europa e África, pode ser criado em vários ambientes, adaptando-se bem a tanques externos. Possui escamas cicloides bem grandes, podendo revestir todo seu corpo ou apenas alguns aglomerados em certos pontos, dependendo da variedade. Possui um corpo bastante arqueado no dorso e mais retilíneo na região ventral. Possui uma boca pequena, repleta de barbilhões curtos, ao invés de dentes. Os machos diferenciam-se das fêmeas pela grande nadadeira ventral. É um peixe ovíparo e come todo o tipo de alimento. Pode chegar a 1,2 m e 20 kg.

Peixes de água doce do Brasil - Traíra (Hoplias malabaricus)

A Traíra é um peixe de escamas. Possui corpo cilíndrico, boca grande, olhos grandes e nadadeiras arredondadas, exceto a dorsal. Sua coloração é marrom ou preta manchada de cinza. Possui dentes poderosos e afiadíssimos. Sua língua é áspera ao tato, o que a diferencia do trairão, que apresenta a língua lisa. É um peixe utilizado em açudes e represas como controlador de populações demasiadamente prolíficas, como tilápias e piabas. Tem alta resistência a locais com pouco oxigênio. Apesar do excesso de espinhas, em algumas regiões é bastante apreciado como alimento. Pode atingir 60 cm de comprimento e 4 K de peso.

Como criar minhocas

As minhocas são vermes evoluídos que pertencem ao filo dos Anelídeos. Elas são animais, que se caracterizam, em particular, por apresentarem os seus corpos segmentados, tanto interna quanto externamente. Esses segmentos (somitos) assemelham-se a pequenos anéis, daí o fato de pertencerem ao filo Anélida. São da família Oligochaeta, isto é, apresentam poucas cerdas por segmento, daí o nome Oligo (poucos) e Chaeta (cerdas).

Trato dos cães - banho antipulgas

Sempre que o animal tiver uma infestação de pulgas, recomende ao dono consultar o veterinário para que ele prescreva um vermífugo. As pulgas podem transmitir vermes e causar anemia, além de perturbar e até mudar, temporariamente, o comportamento do animal, que vai ficar mais irritado, impaciente e exausto de tanto se coçar. Alguns cães chegam até a se mutilar, causando ferimentos graves pela coceira, além de poder causar doenças.

Pulga - parasita externo causador de desconforto e transmissor de doenças aos cães

As pulgas, nome popular dado aos sifonápteros (Siphonaptera), são uma ordem de insetos sem asas. Parasitas externos, elas se alimentam do sangue de aves e mamíferos, principalmente cães, podendo perfeitamente transmitir perigosas doenças, como o tifo e a peste bubónica aos animais. Sua maior incidência se dá sobre animais de estimação, também chamados de hospedeiros, como o gato, o cachorro, entre outros. Por meio deles, as pulgas garantem sua alimentação e segurança, permanecendo toda a sua vida. Além das incômodas picadas, elas transmitem vermes, parasita hematófagos e podem induzir a processos alérgicos, diminuindo a qualidade de vida dos animais. Devido a sua grande habilidade de saltar, uma pulga é capaz de pular a um metro de distância (200 vezes o próprio tamanho), o que lhe permite passar de um hospedeiro a outro com a maior facilidade. Dependendo da espécie, seu tamanho pode chegar a 5 mm de comprimento. É interessante, então, tanto para donos de canis quanto para os manates de animais, que se saiba tudo sobre as pulgas, como se alimentam, como é o seu ciclo de vida, como evitar as infestações, as principais espécies de maior interesse dos médicos e veterinários e, também, como devem proceder as medidas de controle desse terrível parasita.

Atendimento Online
Quer Facilidade