WhatsApp SAC (31) 98799-0134 WhatsApp Vendas (31) 99294-0024 Ligamos para Você Central de Vendas (31) 3899-7000
0

Seu carrinho está vazio

Clique aqui para ver mais cursos.

Black Friday 30%OFF nos cursos online 15% OFF nos cursos em livro+DVD + 5% OFF extra no cartão de crédito

Convivência com cães pode aumentar resistência de bebês a doenças

Pesquisa sugere que ficar perto de bichos de estimação fortalece o sistema imunológico

 

 A proximidade entre cães e bebês pode ajudar a fortalecer o sistema imunológico da criança. Fot: Funpic/reprodução.

Um estudo publicado na revista americana Pediatrics sugere que os bebês de até um ano de vida que convivem com cães ou gatos desenvolvem menos infecções do que as que não possuem um bicho de estimação em casa. De acordo com a pesquisa, o contato com os animais nos primeiros meses de vida pode fortalecer o sistema imunológico da criança.

As razões para isso não foram explicadas na publicação. Entretanto, os médicos concluíram que os bebês que convivem com gatos e cachorros têm 30% menos chances de mostrar sintomas de infecções respiratórias, como tosse, rinite e febre. Mais de 50% delas também possuem menor possibilidade de ter infecções no ouvido.

A pesquisa foi feita com 397 crianças finlandesas, com nove até 52 semanas de vida. O estado de saúde delas foi analisado por um ano. De acordo com os médicos do Hospital Universitário Kuopio, na Finlândia, as crianças que tiveram contato com os animais ficaram mais saudáveis no período estudado.

Os médicos notaram que as crianças que convivem com cães, por até seis horas diárias dentro de casa, são mais resistentes a infecções do que aquelas cujas famílias deixam os animais do lado de fora ou não possuem bichos de estimação. Eles acreditam que a convivência com os gatos e os cães, principalmente com estes, ajuda a amadurecer o sistema imunológico, inclusive, reduzindo a duração das infecções.

Os resultados foram positivos mesmo depois que outros fatores, como tempo de amamentação, ficar em creche e outros fatores genéticos e ambientais, foram descartados. Os médicos afirmaram que os  bebês que possuem bichos de estimação precisam de menos antibióticos. No entanto, os pesquisadores destacaram que a análise aborda apenas o primeiro ano de vida e não inclui a convivência com outras crianças.

Por: Maria Clara Corsino.

Fonte: Agência AFP.

Deixe seu comentário

Avise-me, por e-mail, a respeito de novos comentários sobre esta matéria.

O CPT garante a você 100% de segurança e
confidencialidade em seus dados pessoais e e-mail.
Seu comentário foi enviado com sucesso!

Informamos que a resposta será publicada o mais breve possível, assim que passar pela moderação.

Obrigado pela sua participação.

Últimos Artigos

Artigos Mais Lidos

Fique por dentro das novidades!