WhatsApp SAC (31) 98799-0134 WhatsApp Vendas (31) 99294-0024 Ligamos para Você Central de Vendas (31) 3899-7000
0

Seu carrinho está vazio

Clique aqui para ver mais cursos.

Black Friday 30%OFF nos cursos online 15% OFF nos cursos em livro+DVD + 5% OFF extra no cartão de crédito

Doenças graves mais comuns em gatos

Quando negligenciadas, até as doenças mais comuns podem levar os gatos a óbito

Gato doente

Os gatos são animais cheios de presença, atitude e personalidade. Por conta disso, acabam dividindo opiniões, mas colecionam apaixonados pelo mundo todo. De acordo com o IBGE, nosso país possui quase 24 milhões de bichanos, espalhados por diversos lares como um dos principais animais de estimação.

Contudo, Alessandra Sayegh, professora do Curso CPT Primeiros Socorros para Cães e Gatos – Parada Respiratória e Cardíaca, Desmaios, Estado de Choque e Convulsões, alerta os tutores, pois algumas doenças comuns podem ser graves e necessitam de identificação e consulta com o veterinário para que a vida do felino não seja colocada em risco.

A seguir, fique por dentro das principais doenças graves que afetam os gatos e como previni-las:

Rinotraqueíte Infecciosa Felina

Muito comum entre os felinos, é popularmente conhecida como “gripe dos gatos” e ataca, principalmente, filhotes. É transmissível e possui tratamento que pode ser um pouco demorado. Os gatos doentes apresentam secreção nasal e ocular, dificuldade respiratória, espirros, febre e emagrecimento.

A melhor forma de prevenir a gripe dos gatos é evitar o contato com animais de rua ou com animais que apresentem sintomas da doença. Também há, como forma de prevenção, vacina contra a rinotraqueíte.

Cálculos e infecção no trato urinário

O trato urinário dos gatos pode ser acometido por uma grande diversidade de doenças. Dentre as mais comuns, estão os cálculos, que afeta, geralmente, gatos machos jovens ou de meia0idade e as infecções que podem atingir tanto machos quanto fêmeas. É possível perceber esse tipo de problema quando o gato urina fora da caixa de are, quando faz força para urinar, quando entra e sai da caixa de areia várias vezes e não urina, quando demonstra dor, depressão ou falta de apetite.

Para prevenir as doenças do trato urinário, tutores com mais de um animal têm que manter ao menos uma caixa de areia para cada. Alimentação úmida, estímulo à hidratação e evitar a obesidade também são formas de prevenção.

“AIDS felina” e “Leucemia felina”

Ainda desconhecidas pela grande maioria dos tutores, as doenças virais FIV (Vírus da Imunodeficiência Felina) e FeLV (Vírus da Leucemia Felina) são muito graves e necessitam de atenção especial. Gatos com FIV são incapazes de reagir às diversas doenças e podem morrer rapidamente ao contrair alguma enfermidade, ao passo que gatos com FeLV podem desenvolver tumores agressivos e morrer debilitados.

É possível realizar exames para verificar se o animal possui FIV ou FeLV. Para a segunda doença, há vacinação. Outra dica para prevenir-se contra as duas, é evitar o contato com animais de rua ou desconhecidos e testar cada novo gato que chegar à sua casa.

Insuficiência Renal Crônica

Gatos mais velhos, acima dos 9 anos de idade, são mais suscetíveis a apresentar insuficiência renal crônica. Essa doença ocorre quando os rins do animal perdem a capacidade de filtrar o sangue, o que acumula toxinas na corrente sanguínea. Animais doentes apresentam depressão, anorexia, emagrecimento, vômitos, diarreia, feridas na boca e fraqueza.

A melhor forma de prevenção é fornecer alimentação úmida e de boa qualidade para os gatos, além de estimulá-los a consumir água regularmente. Tutores também podem recorrer a exames para avaliar o estado dos rins do animal, especialmente após os 9 anos de idade.

Diabetes

Assim como nos humanos, a diabetes nos gatos ocorre quando não há produção ou quando a produção de insulina é insuficiente. Da mesma forma, o tratamento da doença é feito com injeções diárias de insulina e com alimentação controlada. Gatos com diabetes aumentar a ingestão de água, a quantidade de urina, apresentam cristais brilhantes nela, aumentam o apetite, se tornam apáticos e letárgicos.

Garantir uma alimentação de boa qualidade e realizar exames de sangue de forma regular é uma forma de prevenir a doença. O controle da alimentação também é importante para evitar que o gato fique obeso.

 


Conheça os Cursos CPT da Área PET:

Primeiros Socorros para Cães e Gatos – Parada Respiratória e Cardíaca, Desmaios, Estado de Choque e Convulsões
Primeiros Socorros para Cães e Gatos – Principais Acidentes
Banho e Tosa em Cães e Gatos – Infraestrutura, Banho e Tosa Higiênica

Fonte: Faz Fácil Bichos de Estimação – fazfacil.com.br/pet/
por Renato Rodrigues

Deixe seu comentário

Avise-me, por e-mail, a respeito de novos comentários sobre esta matéria.

O CPT garante a você 100% de segurança e
confidencialidade em seus dados pessoais e e-mail.
Seu comentário foi enviado com sucesso!

Informamos que a resposta será publicada o mais breve possível, assim que passar pela moderação.

Obrigado pela sua participação.

Últimos Artigos

Artigos Mais Lidos

Fique por dentro das novidades!