WhatsApp SAC (31) 98799-0134 WhatsApp Vendas (31) 99294-0024 Ligamos para Você Central de Vendas (31) 3899-7000
Fale com uma Especialista
0

Seu carrinho está vazio

Clique aqui para ver mais cursos.

Sistema urinário de gatos: inspeção e palpação

O exame semiológico do sistema urinário em felinos fêmeas também se inicia com a inspeção visual do animal. É preciso observar o comportamento do animal

Sistema urinário de gatos: inspeção e palpação   Artigos CPT

O exame semiológico do sistema urinário em felinos fêmeas também se inicia com a inspeção visual do animal. "É preciso observar o comportamento do animal, se está sentindo dor por meio de vocalização distinta, se ao caminhar dentro do consultório, assume com frequência posição de micção, tentar urinar e não consegue", explica Ana Carolina Silva Faria, professora do Curso CPT Fisioterapia e Reabilitação Animal.

De acordo com a queixa do proprietário, o médico deve verificar se o animal tem sialorreia, acúmulo de saliva na boca, e úlceras na cavidade oral que são indícios de acúmulo de ureia. Em seguida, é preciso observar a postura do animal e o escore corporal, pois gatos com problemas renais crônicos, com frequência, apresentam escore corporal baixo – magros ou até mesmo caquéticos - devido ao acúmulo de substâncias nocivas ao organismo, processos de desidratação e desenvolvimento de quadros anêmicos.

Observar se existe algum tipo de desconformidade abdominal próximo à região dos rins. Nas fêmeas, a uretra desemboca dentro da vulva. Desse modo, não é possível verificar se existe alteração no meato urinário em gatas. Além disso, as gatas possuem a vulva extremamente pequena.

Em seguida, o médico procede à palpação da cavidade abdominal pelos rins. A palpação bilateral dos rins pode ser feita com o animal em posição quadrupedal ou deitado em decúbito.

A palpação bilateral dos rins pode ser feita com o animal em posição quadrupedal ou deitado em decúbito

O médico deve lembrar que o rim direito, anatomicamente, está em posição mais cranial que o rim esquerdo. Caso o animal sinta dor, irá imediatamente contrair a musculatura do abdômen, impossibilitando ao médico continuar o exame de palpação. Nesses casos, também é comum que o animal tente fugir, morder ou arranhar o examinador por causa da sensação de desconforto. Em seguida, o médico deverá palpar a bexiga do felino. A posição da bexiga no abdômen é caudal ventral. É possível palpá-la com ambas as mãos, observando se está repleta, tensa e se há estímulo doloroso durante a palpação. Após a palpação da bexiga, finaliza-se o exame clínico do sistema urinário de felinos fêmeas.

A inspeção e palpação do sistema urinário de felinos machos, por sua vez, inicia-se observando todo o estado geral do animal, assim como o seu comportamento e a presença de alterações em sua conformidade, principalmente na região do abdômen, e se o animal assume com certa frequência a posição de micção.

Em felinos machos, é importante inspecionar a ponta do pênis, pois os gatos possuem a característica de desenvolver patologias denominadas doenças do trato inferior de felinos. Essas doenças costumam causar a obstrução da uretra peniana dos gatos. Durante a inspeção, o médico deve observar se há presença de urina com sangue, aumento de volume ou alterações visíveis. Em macho, assim como em felinos fêmeas, deve-se fazer a inspeção na cavidade oral, gengivas e língua, durante o exame do sistema urinário.

A segunda parte do exame é feita por meio da palpação de órgãos internos do sistema urinário. Em seguida, ocorre a palpação da bexiga, localizada ventralmente no abdômen. Durante a palpação da bexiga, quando essa está repleta devido à presença de algum tipo de obstrução, além de o animal sentir dor, é comum que ele urine imediatamente e libere o tampão causador da obstrução. Quando o tampão não é liberado, há necessidade de fazer cateterização vesical. Entretanto, nos felinos machos, a uretra é extremamente fina, além de apresentar diâmetro pequeno. Existe uma sonda uretral especial para felinos denominada Tom Cat, utilizada para cateterização vesical desses animais.

O animal precisa estar contido quimicamente para que o Médico Veterinário consiga expor o pênis do paciente e faça a passagem da sonda.

Quer saber mais sobre o Curso? Dê Play no vídeo abaixo:


 

Gostou do assunto? Leia a(s) matéria(s) abaixo:


O uso da termoterapia na fisioterapia e reabilitação animal

Conheça os Cursos CPT da área Medicina Veterinária.
Por Silvana Teixeira. 

Deixe seu comentário

Avise-me, por e-mail, a respeito de novos comentários sobre esta matéria.

O CPT garante a você 100% de segurança e
confidencialidade em seus dados pessoais e e-mail.
Seu comentário foi enviado com sucesso!

Informamos que a resposta será publicada o mais breve possível, assim que passar pela moderação.

Obrigado pela sua participação.

Últimos Artigos

Artigos Mais Lidos

Fique por dentro das novidades!