WhatsApp SAC (31) 98799-0134 WhatsApp Vendas (31) 99294-0024 Ligamos para Você Central de Vendas (31) 3899-7000
Fale com uma Especialista
0

Seu carrinho está vazio

Clique aqui para ver mais cursos.

Fisiologia respiratória: ventilação pulmonar e transporte dos gases

Entender os conceitos e terminologias relativas à ventilação pulmonar, as relações entre ventilação e perfusão e o processo de transporte dos gases oxigênio e dióxido de carbono através da corrente sanguínea é fundamental para o médico veterinário

Fisiologia respiratória: ventilação pulmonar e transporte dos gases   Artigos CPT

Você conhece o processo de ventilação pulmonar? Saiba, então, que entender os conceitos e terminologias relativas à ventilação pulmonar, as relações entre ventilação e perfusão e o processo de transporte dos gases oxigênio e dióxido de carbono através da corrente sanguínea é fundamental para o médico veterinário, principalmente quando um de seus pacientes estivere apresentando problemas respiratórios.

“A ventilação pulmonar é a renovação do ar contido na porção condutora da via respiratória. Esse processo é também denominado respiração e é regido pelo movimento involuntário ou voluntário de inspiração e expiração”, explica Waleska de Melo, professora do Curso CPT Fisiologia Veterinária Sistemática.

Inspiração e expiração


O movimento de inspiração e expiração não ocorreria se não houvesse o envolvimento dos músculos respiratórios, a saber:

• Músculos intercostais: localizados na caixa torácica, entre as costelas dos animais.
• Músculo diafragma: divisor da caixa torácica e do abdômen.

Os músculos respiratórios realizam a contração e o relaxamento da caixa torácica fazendo com que o pulmão infle e se contraia para permitir a entrada e saída de ar durante as trocas gasosas.

Ventilação


- Ventilação total: é o volume de gás que entra ou sai das vias respiratórias e dos alvéolos pulmonares durante determinado período de tempo. O médico veterinário pode avaliar a ventilação total do animal em diferentes unidades de tempo - horas, dias - até conseguir fazer uma média da ventilação total do paciente.

- Ventilação por minuto: é o volume total de gás que entra ou sai das vias respiratórias e pulmão por minuto.
Volume total de gás: oxigênio + CO2 (dióxido de carbono). VE= f VT.

» CO2 é ácido e auxilia na manutenção do pH sanguíneo.
» O2 necessário para produção de energia aeróbia pelas células dos tecidos.

- Normoventilação: ventilação normal, movimentos respiratórios por minuto, realizada pelo animal em seu estado fisiológico. O valor de referência da normoventilação varia de acordo com a espécie. Na normoventilação, pressão arterial de CO2 (PaCO2 ) fica em torno de 40 mmHg.

- Hiperventilação: ventilação alveolar aumentada, além das necessidades metabólicas do organismo. Nesse caso, o valor da PaCO2 fica abaixo 40 mmHg. Por exemplo, quando o animal faz algum tipo de exercício físico e apresenta taquipneia ou respiração acelerada.

- Hipoventilação: ventilação alveolar diminuída, abaixo das necessidades metabólicas. Nesse caso, o valor da PaCO2 fica acima 40 mmHg.

- Alcalose respiratória: quadro clínico causado por hiperventilação + PaCO2 menor que 40mmHg. Uma vez que o dióxido de carbono está em menor quantidade no organismo, o pH sanguíneo tende a aumentar fazendo com que o sangue se torne mais alcalino.

- Acidose respiratória: quadro clínico causado por hipoventilação + PaCO2 maior que 40mmHg. O dióxido de carbono está em maior quantidade no organismo, o pH sanguíneo tende a aumentar fazendo com que o sangue se torne mais ácido.

- Ventilação do espaço morto: durante o processo de inspiração e expiração, um pouco de ar sempre fica armazenado no caminho que vai das vias aéreas até os alvéolos pulmonares. Esse ar não realiza a perfusão, por isso essa ventilação é denominada espaço morto. O ar fica em repouso e permanece nesse espaço entre as vias e o pulmão. O espaço morto abrange desde as narinas, fossas nasais, cavidade nasal, traqueia pulmões até brônquios e bronquíolos.

- Espaço morto fisiológico: os alvéolos pulmonares são ricos em vasos sanguíneos para realizar a perfusão do ar e as trocas gasosas. O espaço morto fisiológico é o volume de ar que chega até alvéolos e permanece neles contido, não realizando a perfusão capilar. Tanto o espaço morto, quanto o espaço morto fisiológico são condições perfeitamente normais ao organismo animal.

Atenção:


Durante o dia, a ventilação pulmonar do animal varia. Um mesmo animal pode passar por estados de normoventilação, hipoventilação e hiperventilação dependendo da necessidade metabólica do organismo. O sistema respiratório tem a capacidade de se adaptar, ajustando-se de acordo com as demandas metabólicas para manter a homeostase e, sobretudo, o pH sanguíneo que é em torno de 7.4.

Gostou do assunto? Leia também:


- Fisiologia respiratória animal: o que é, quais são seus componentes e funções?

Quer saber mais sobre o Curso? Dê Play no vídeo abaixo:


 

Conheça os Cursos CPT da área Medicina Veterinária.
Por Silvana Teixeira.

Deixe seu comentário

Avise-me, por e-mail, a respeito de novos comentários sobre esta matéria.

O CPT garante a você 100% de segurança e
confidencialidade em seus dados pessoais e e-mail.
Seu comentário foi enviado com sucesso!

Informamos que a resposta será publicada o mais breve possível, assim que passar pela moderação.

Obrigado pela sua participação.

Últimos Artigos

Artigos Mais Lidos

Fique por dentro das novidades!