WhatsApp SAC (31) 98799-0134 WhatsApp Vendas (31) 99294-0024 Ligamos para Você Central de Vendas (31) 3899-7000
Fale com uma Especialista
0

Seu carrinho está vazio

Clique aqui para ver mais cursos.

Compostagem de cama de aviário: aprenda a fazer

Na compostagem de cama de aviário utiliza-se 3 a 4 lotes de frangos. Os materiais mais utilizados são camas de capim, palhas e casca de café (melhores que serragem e palha de arroz)

Compostagem de cama de aviário: aprenda a fazer   Artigos CPT

No processo de compostagem de cama de aviário é utilizada a cama que tenha recebido de 3 a 4 lotes de frangos. Menos que isso, resulta em uma cama pobre em nitrogênio; e mais que isso, resulta em uma cama encharcada, com muito nitrogênio e pouco carbono. “Os materiais mais utilizados nesse tipo de compostagem são camas de capim, palhas e casca de café, os quais se mostram melhor que serragem e palha de arroz”, explica Professor Marcelo Dias da Silva, do Curso CPT Compostagem de Carcaças e Outros Resíduos de Origem Animal.

Processo da compostagem


- Amontoam-se as camas em local com piso impermeável para que o chorume não seja drenado para o solo, e onde o material fique protegido de chuva. O chorume pode ser coletado e armazenado para utilizações posteriores, por exemplo, umedecer o material da compostagem quando necessário.
- A cada dois dias, a pilha feita com a cama deve ser revirada.
- Se a umidade estiver muito baixa, o material deve ser umedecido.
- Após cerca de 45 dias, a temperatura vai diminuir e o reviramento passa a ser a cada 5 dias.

Representação gráfica do processo de compostagem de cama de aviário Artigos CPT

Foto: Representação gráfica do processo de compostagem de cama de aviário

Após 90 dias, o material estará humificado e pronto para ser usado. Para isso, ele deverá apresentar as seguintes características:


- Deverá ter cheiro de terra, cor escura e nenhum mau odor.
- O volume da pilha corresponderá à metade da pilha original.

O período de execução desse processo está sujeito a condições como umidade, clima da região e manejo correto do material da compostagem, por isso, recomenda-se o uso de termômetro para identificação do tempo correto. A experiência de campo permite mostrar que em cada região o tempo demandado no processo de compostagem varia de acordo com a umidade, e se houver ferramentas disponíveis, como termômetro e condições técnicas, é possível realizar uma análise mais precisa do produto final, como questão microbiológica.

A montagem da compostagem obedece às seguintes etapas:


- Cobre-se o fundo da composteira com uma camada de 30 cm de material seco (ex.: maravalha). Esse material é utilizado para evitar o contato direto das carcaças com o piso.
- Sobre a primeira camada, acrescenta-se outra camada de 15 cm de cama de aviário ou palhada.
- Dispõem-se as carcaças com 15 cm de distância entre elas e da parede.

Composteira de cama de aviário Artigos CPT

Foto: Composteira de cama de aviário Artigos CPT

- Cobrem-se as carcaças com a cama. Se necessário, umedecer o material com água e sobrepor com 15 cm de material seco (maravalha, palha).
- Vai montando outras camadas repetindo o processo e, à medida que as pilhas vão subindo, colocam-se ripas na entrada da composteira, permitindo a correta aeração e umidificação do material, além da correta proporção de carbono e nitrogênio.

Atenção:


A ação da compostagem inicia após o fechamento da composteira. É preciso considerar o tempo correto para que ocorra a decomposição e maturação pelos microrganismos.

Carcaças espalhadas sobre a cama de aviário ou palhada dentro da composteira. Umedecendo o material.

Fotos: Carcaças espalhadas sobre a cama de aviário ou palhada dentro da composteira. Umedecendo o material.

Compostagem - reações


Nas camadas de compostagem, ocorrem reações anaeróbicas no interior da carcaça e aeróbicas no meio externo.


- Os fluidos e gases do processo anaeróbico oriundos das carcaças passam para o meio aeróbio e são decompostos pelos microrganismos, transformando-se em CO2 e H2O.
- Na primeira fase, ocorrem reações de oxidação intensas que elevam a temperatura no interior da compostagem, atingindo, em pouco tempo, de 55oC a 65o. Nessa fase, os microrganismos predominantes vão variar de acordo com a etapa da compostagem:

» Acima de 40oC, predominam os termofílicos que aceleram a decomposição da matéria orgânica.
» Acima de 60oC, morrem todos os patógenos, promovendo a esterilização do material.

- Normalmente, a temperatura se eleva rapidamente nos dois primeiros dias de compostagem, seguindo elevada por cerca de dez dias. Fatores como matéria-prima, clima, entre outros, impactam nesse tempo. Estudos mostraram que, para correta eliminação de patógenos, é importante que a temperatura se mantenha acima de 60oC por três dias.
- Quando a temperatura ultrapassa 65oC, a maioria dos microrganismos morrem, incluindo os que promovem a decomposição, iniciando a 2a fase, denominada maturação, que ocorre com a redução da temperatura. Nessa fase, predominam os microrganismos mesofílicos (fungos e actinomicetos), que continuarão degradando a matéria.
- Na terceira etapa ocorre a humificação, ou seja, a transformação da matéria orgânica em adubo orgânico.

No gráfico a seguir, a descrição das reações acima podem ser mais bem compreendidas:


- Reações

» 1a etapa: composto imaturo.
» 2a etapa:bioestabilização.
» 3a etapa: humificação.

Fases da compostagem Artigos CPT

Foto: Fases da compostagem Artigos CPT

Quer saber mais sobre o Curso? Dê Play no vídeo abaixo:


 

Conheça os Cursos CPT da área Medicina Veterinária.
Por Silvana Teixeira.

Deixe seu comentário

Avise-me, por e-mail, a respeito de novos comentários sobre esta matéria.

O CPT garante a você 100% de segurança e
confidencialidade em seus dados pessoais e e-mail.
Seu comentário foi enviado com sucesso!

Informamos que a resposta será publicada o mais breve possível, assim que passar pela moderação.

Obrigado pela sua participação.

Últimos Artigos

Artigos Mais Lidos

Fique por dentro das novidades!