Controle de doenças do cupuaçu

Controle de doenças do cupuaçu

 

Devem ser feitas inspeções constantes no pomar, onde estão plantados os cupuaçuzeiros, com o objetivo de identificar as doenças mais comuns que o atacam, trazendo prejuízos ao fruticultor. Feito isso, deve-se imediatamente iniciar o controle para evitar maiores danos à cultura de cupuaçu. As doenças mais comuns do cupuaçu são a Vassoura-de-Bruxa, a Morte Progressiva, a Antracnose e a Queima-do-Fio.

Principais doenças:

Vassoura-de-Bruxa (Crinipellis perniciosa)

Percebe-se o ataque da Vassoura-de-Bruxa pela hipertrofia das partes meristemáticas ativas, com posterior secamento. Deve-se cortar as partes atacadas e executar a sua queima.

Morte Progressiva (Lasiodiplodia theobromae)

Doença conhecida como Morte Progressiva que provoca deformação da lenha e secamento dos ramos da planta de dentro para fora. Controla-se com pulverização à base de óxido de cobre.

Antracnose (Colletotrichum gloeosporioides)

Conhecida como Antracnose, esta doença caracteriza-se pelo surgimento de manchas necróticas nas folhas. Faz-se a pulverização, em plantas adultas, quinzenalmente, com fungicida cúprico a 3%, até a diminuição do ataque.

Queima-do-Fio (Pyricularia koleroga)

A Queima-do-Fio pode causar a morte do galho, quando forma micélio alongado em forma de fio, de coloração branca ou pardacenta. Deve-se podar os galhos com o problema e executar a pulverização com Mancozeb ou fungicida cúprico, de 15 em 15 dias, ambos a 0,2%.

Apodrecimento da Casca (Botryodiplodia sp.)

O Apodrecimento da Casca é uma doença provocada por fungo, que ataca os frutos maduros, atrofiando e escurecendo a casca na parte atacada. A polpa do fruto fica cinza e ressecada. Para o seu controle, recomenda-se a aplicação de fungicidas cúpricos, a 3%.

Aprimore seus conhecimentos, acessando os Cursos CPT, da área Fruticultura , entre eles o Curso Produção de Cupuaçu, elaborado pelo CPT – Centro de Produções Técnicas.

Por Andréa Oliveira.

Saiba mais sobre o cultivo de cupuaçu e o controle de pragas e doenças que o atacam, acessando os artigos abaixo:

O cupuaçu e seu cultivo

Controle de pragas do cupuaçu

Cursos Relacionados

Curso Produção de Quivi (Kiwi) Curso Produção de Quivi (Kiwi)

Com Prof. Ênio Schuck e Prof. Gervásio Silvestrin

R$ 398,00 à vista ou em até 12x de R$ 33,17 sem juros no cartão

Frete Grátis 2 ou mais Cursos
Saiba mais
Curso Produção de Acerola Curso Produção de Acerola

Com Prof. Dr. Flávio Alencar

R$ 398,00 à vista ou em até 12x de R$ 33,17 sem juros no cartão

Frete Grátis 2 ou mais Cursos
Saiba mais
Curso Produção de Cupuaçu Curso Produção de Cupuaçu

Com Prof. Pesquisadores da Ceplac

R$ 398,00 à vista ou em até 12x de R$ 33,17 sem juros no cartão

Frete Grátis 2 ou mais Cursos
Saiba mais

Deixe seu comentário

Avise-me, por e-mail, a respeito de novos comentários sobre esta matéria.

O CPT garante a você 100% de segurança e confidencialidade em seus dados pessoais e e-mail.
Seu comentário foi enviado com sucesso!

Informamos que a resposta será publicada o mais breve possível, assim que passar pela moderação.

Obrigado pela sua participação.

Comentários

Raimundo Inácio Pinheiro

27 de ago de 2015

No meu sítio os cupuaçuzeiro mais antigo estão muito atacados pela vassoura de bruxa, o que eu tenho que fazer? Cortar o pé todo ou cortar em uma média para ele volte a crescer. por favor me explique com todo detalhe porque aqui onde moro tudo é muito difícil para que a pessoa seja bem informado sobre este assunto.

Resposta do Portal Cursos CPT

27 de ago de 2015

Olá, Raimundo!

Agradecemos sua visita e comentário em nosso site. A vassoura-de-bruxa continua sendo um sério problema para agricultores e pesquisadores, que têm buscado um meio de combater a praga. Uma das formas de controle é enxertar mudas de plantas resistentes à vassoura-de-bruxa em plantas sensíveis à doença. Para isso, aproveita-se a raiz da planta doente, que é unida por uma fita ao caule da planta resistente, formando, assim, uma nova planta sadia.

Essa e outras técnicas, no entanto, têm um custo elevado e nem sempre apresentam bons resultados. Por isso, é muito importante controlar a vassoura-de-bruxa enquanto ela está no início, já que praga se espalha rapidamente através do vento e da água.

A contaminação se dá quando os esporos, fase reprodutiva do fungo, se fixam na superfície dos ramos ou frutos em crescimento. Em seguida, eles lançam filamentos chamados hifas que penetram as células do vegetal. Inicialmente, os fungos vivem uma fase em que ficam como se estivessem dormentes e quase não se multiplicam.

Enquanto isso, na tentativa de salvar o ramo infectado, a planta começa a enviar mais nutrientes e hormônios de crescimento para essa região. Isso provoca um crescimento anormal das folhas e, um mês depois da infecção, forma-se a chamada vassoura verde, como é conhecida a etapa inicial da doença.

Num determinado momento, a planta parece se dar conta de que o ramo está perdido e tenta recuperar para as suas partes sadias os nutrientes acumulados na parte doente. Mas é tarde demais. O fungo realiza o contra-ataque, acelerando a morte da vassoura verde. Com o ressecamento do ramo, agora transformado em vassoura-de-bruxa, a planta não consegue resgatar os nutrientes a tempo.

Para mais informações recomendamos que entre em contato com um Engenheiro Agrônomo.

Atenciosamente,

Ana Carolina dos Santos

DARCY MAIA DA SILVA

5 de jun de 2014

Boa noite! Eu tenho alguns cupuaçus plantados e tenho observado, que o fruto nasce e quando começa a crescer, aparece furos na fruta,gostaria de saber se isto é algum tipo de doença.

Resposta do Portal Cursos CPT

9 de jun de 2014

Olá, Darcy!

Agradecemos sua visita e comentário em nosso site.

No que se refere às pragas, alguns parasitas atacam as folhas da planta causando perfurações no limbo. A lagarta Elbella patrobas, também ataca as folhas. A larva de Nyssodrystes sp aloja-se no interior do fruto. Outra praga que ocorre no cupuaçu, é a broca dos galhos, que é um cerambicideo, Ecthoea quadricornis.

Em qualquer caso de ataque de pragas, é prudente consultar um técnico para identificação e recomendação de controle do mesmo.

Atenciosamente,

Ana Carolina dos Santos

Outros artigos relacionados à área Fruticultura

Últimos

Mais Lidos

Atendimento Online
Quer Facilidade