Resultados da busca para "plantas-invasoras"

Controle das plantas invasoras em pastagens: como fazer

Após o plantio da forrageira, normalmente, é necessário o controle de plantas invasoras ou daninhas. Geralmente, é feito com a limpeza periódica das plantas invasoras de pastagem, comumente chamadas de juquira, uma vez a cada 2 ou 3 anos. “Essa operação é mais eficaz no fim da época seca, para beneficiar o crescimento da pastagem no início das chuvas”, afirma Dr. Edson Ramos de Siqueira, professor do Curso a Distância CPT Formação e Manejo de Pastagem para Ovinos, em Livros+DVDs e Cursos Online.

Os métodos de controle de plantas invasoras no plantio direto

No plantio direto é de fundamental importância o controle das plantas invasoras, do contrário, se tornarão fortes competidoras por luz, água, nutrientes do solo, espaço físico e, além disso, poderão ainda servir de hospedeiras de doenças, nematoides e insetos.

Sistema hidropônico de cultivo de hortaliças e plantas medicinais

O sistema hidropônico de cultivo de hortaliças e plantas medicinais, condimentares e aromáticas, é a melhor alternativa para atender a um público cada vez mais exigente em relação a qualidade das plantas, higiene, ausência de resíduos de agrotóxicos e alto teor de princípios ativos. Nesse sistema, as plantas são cultivadas sem contato com o solo, utilizando apenas solução nutritiva para promover o seu crescimento. Com o uso de água de boa qualidade, as plantas não sofrem contaminação por organismos nocivos à saúde.

Produção comercial de Agapanto - propagação, cultivo, tratos culturais e cultivo em vasos

Planta ornamental, apesar de sua rusticidade, o Agapanto é uma nativa da África do Sul. Possui características de clima subtropical e é muito encontrado em jardins do sul e do sudeste por gostar e tolerar climas frios. Para se desenvolver satisfatoriamente, o Agapanto precisa de solo rico em matéria orgânica. O nome Agapanthus, em latim, significa "flor do amor" e chama mesmo a atenção no jardim, por suas hastes florais de quase 1 m de altura. No auge da beleza, que acontece durante a primavera e o verão, o Agapanto apresenta inflorescências globosas, compostas por inúmeras flores azuladas. A planta é perfeita na separação de plantas altas em jardins e também para embelezar paredes exeternas e muros.

Regras gerais para a colheita das plantas medicinais

As plantas medicinais, da mesma forma que outras plantas, como as hortaliças apresentam um ponto de colheita ideal, que é o momento de maior concentração de princípios ativos na planta. As substâncias com atividade terapêutica, ou princípios ativos, encontrados nas plantas, geralmente concentram-se em maior quantidade em um determinado órgão. Assim, em algumas plantas os princípios ativos estão em maior concentração nas folhas e hastes, em outras, estão nas flores.

Colheita das plantas medicinais: estádio do desenvolvimento, época do ano e hora do dia

A colheita das plantas medicinais varia conforme o órgão da planta que será coletado, seu estádio de desenvolvimento, a época do ano e a hora do dia, caso contrário, seus princípios ativos não serão bem aproveitados, prejudicando a sua função terapêutica. O estádio de desenvolvimento da planta medicinal é muito importante para que se determine o ponto de colheita, principalmente em plantas perenes e anuais de ciclo longo, em que a máxima concentração é atingida após certa idade e/ou fase de desenvolvimento.

Por que é importante acabar com as plantas invasoras no pasto?

As plantas invasoras são de espécies variadas e competem com a planta forrageira pelos fatores de crescimento: luz, água e nutrientes, como também por espaço. “Por não serem consumidas pelo gado, como as gramíneas cultivadas o são, sistematicamente, essas plantas se fortalecem com o tempo e sua população tende a crescer”, afirma Adilson de Paula Almeida Aguiar, professor do Curso a Distância CPT Manejo de Pastagens, em Livro+DVD e Curso Online.

Nutrição de plantas - principais nutrientes e funções

A nutrição mineral de plantas nos fornece informações sobre quais elementos são essenciais às plantas, quais suas funções, como são absorvidos, transportados e redistribuídos. As plantas são compostas por 70 a 90 % de água e o restante é o material seco. No material seco, observa-se que 90% ou mais é formada somente por três elementos: o carbono (C), o hidrogênio (H) e o oxigênio (O). O C vem do ar, o O do ar e da água e o H vem da água. Dessa maneira, observa-se que, na natureza, o solo é responsável por apenas 1% da composição da planta, mas isso não significa que ele é menos importante. Na verdade, todos os elementos que compõem a planta são essenciais.

Como preparar as plantas condimentares para a secagem

Geralmente, há uma recomendação geral para não se lavar as plantas condimentares antes da secagem. Isto é verdade, quando se trata de plantas que têm muito pelo e, por isso, retêm a água em sua superfície, como a hortelã e a sálvia. Da mesma forma, as flores também não devem ser lavadas, a não ser que você disponha de uma centrífuga para retirar o excesso de umidade antes de colocá-las para secar. Se o material está limpo, livre de resíduos e de terra, não precisa ser lavado.

Gramas e gramados - como fazer o controle de plantas daninhas

As plantas daninhas, como o Capim-pé-de-galinha, o Capim marmelada e o Capim braquiária, quando crescem, interferem no desenvolvimento da grama, causando prejuízos na produção, competindo com a cultura por água, luz e nutrientes, exercendo, em certas vezes, inibição química. Alguns estudos mostram que 20 a 30% da produção nacional de grama se perde por causa do ataque de plantas daninhas, além de elas serem hospedeiras de pragas e doenças. As práticas mais difundidas para o controle das plantas daninhas são: o arranquio, a capina, a roçada e, por fim, o controle químico.

Atendimento Online
Quer Facilidade