WhatsApp SAC (31) 98799-0134 WhatsApp Vendas (31) 99294-0024 Ligamos para Você Central de Vendas (31) 3899-7000
Como podemos te ajudar?
0

Seu carrinho está vazio

Clique aqui para ver mais cursos.

Precisando mensurar metabólitos? Conheça a fotometria!

Fotometria é a metodologia mais utilizada para a mensuração de metabólitos na bioquímica clínica

Precisando mensurar metabólitos? Conheça a fotometria!

Você é estudante de medicina veterinária ou profissional da área e precisa urgentemente aprender a mensurar metabólitos e não sabe como? A dica é fotometria e quem vai abordar o tema é Waleska de Melo Ferreira Dantas, professora do Curso CPT Patologia Clínica Veterinária. De acordo com o especialista, “Fotometria é a metodologia mais utilizada para a mensuração de metabólitos na bioquímica clínica”. A fotometria pode ser feita empregando-se diversas técnicas, entre elas:


Fotometria de luz.
Fotometria de chama.
Fotometria através de métodos eletroquímicos (aparelhos íons seletivos).

Outra técnica utilizada na bioquímica clínica, também utilizada por muitos profissionais, é a eletroforese de proteínas, por meio da qual se faz a separação das frações proteicas presentes no sangue. A quantidade de proteínas no sangue aumenta quando o animal sofre processos agudos. Essas proteínas são denominadas proteínas de fase aguda.

Coleta de amostras para a fotometria


Material necessário para coletar amostras de sangue para exame bioquímico:

• Seringas estéreis.
• Tubos a vácuo com anticoagulante para obtenção de plasma.
• Tubos a vácuo sem anticoagulante para obtenção do soro sanguíneo.

Material necessário para coleta de amostras e análise bioquímica   Artigos CPT

Foto: Material necessário para coleta de amostras e análise bioquímica

O tubo a vácuo com anticoagulante permitirá a integridade da amostra de sangue para obtenção de plasma. O tubo a vácuo sem anticoagulante propicia a coagulação do sangue. Desse modo, é possível separar o soro da parte celular.

Em grandes animais, um equino por exemplo, o sangue para esse tipo de exame deve ser coletado através da via jugular externa, utilizando-se o sistema a vácuo. Para fazer análises bioquímicas, utiliza-se tubos sem anticoagulante e com anticoagulante.

Na imagem a seguir, o tubo de tampa cinza possui fluoreto de sódio, que permite a mensuração da glicose plasmática e do lactato.

Tubos para coleta de amostra para bioquímica clínica Artigos CPT

Foto: Tubos para coleta de amostra para bioquímica clínica

Já o tubo de tampa vermelha possui ativador de coágulo que permite posterior separação entre o soro e a parte celular do sangue. O tubo de tampa amarela, por sua vez, possui um gel separador de coágulo, que permanece entre a parte celular e o soro logo após a coagulação do sangue. Esse gel facilita a separação entre a parte celular e o soro, impedindo que as células sanguíneas utilizem os metabólitos presentes no soro para sua preservação.

Não há uma ordem correta em relação às cores dos tubos para a coleta do sangue, por isso, pode-se escolher qualquer um deles para iniciar o procedimento. É importante que o profissional responsável por esse procedimento faça a assepsia do canal da jugular com álcool 70% antes de dar início à coleta.

Em seguida, deve-se acoplar a agulha na parte externa do adaptador, fazer o garrote na veia jugular do animal para que ingurgite, manter bisel posicionado para cima e introduzir a agulha no paciente. Realizada essa etapa, acopla-se o tubo de coleta no adaptador para que o sangue flua devido ao efeito do vácuo. Quando o sangue alcançar a capacidade máxima e preencher todo o tubo, o sangue automaticamente para de fluir.

Coleta de sangue para bioquímica clínica em equinos Artigos CPT

Foto: Coleta de sangue para bioquímica clínica em equinos

A troca dos tubos deve ser feita sem retirar a agulha da via de acesso. Ao trocá-los, deve-se fazer uma leve homogeneização na amostra coletada. Terminada a coleta, é hora de retirar a agulha e limpar novamente a região da punção com álcool 70%.

Se acabou? Não, ainda não. O profissional deverá fazer novamente a homogeneização das amostras coletadas para que se misturem ao fluoreto de sódio, ao gel ativador de coágulo e ao anticoagulante que estão presentes nos tubos coletores. Desse modo, finaliza-se o exemplo prático de coleta de sangue a vácuo em grandes animais para bioquímica clínica.

Gostou do assunto? Leia mais:


- Vai coletar amostras de sangue animal? Conheça as vias de acesso!

Um pouco mais sobre o que encontrar no Curso CPT Patologia Clínica Veterinária? Assista ao vídeo!


 

Conheça os Cursos CPT da área Medicina Veterinária.
Por Silvana Teixeira.

 

Deixe seu comentário

Avise-me, por e-mail, a respeito de novos comentários sobre esta matéria.

O CPT garante a você 100% de segurança e
confidencialidade em seus dados pessoais e e-mail.
Seu comentário foi enviado com sucesso!

Informamos que a resposta será publicada o mais breve possível, assim que passar pela moderação.

Obrigado pela sua participação.

Últimos Artigos

Artigos Mais Lidos

Quer mudar de vida e ter sucesso profissional? Vamos te ajudar!