WhatsApp SAC (31) 98799-0134 WhatsApp Vendas (31) 99294-0024 Ligamos para Você Central de Vendas (31) 3899-7000
0

Seu carrinho está vazio

Clique aqui para ver mais cursos.

Conheça nossos Cursos Profissionalizantes (combos) com 40% de DESCONTO

Orquiectomia em carneiros: o que fazer após a exposição dos testículos?

Após a exposição, separe, em uma das mãos, o ducto deferente e o cordão espermático para facilitar a ruptura do mesórquio e do ligamento da cauda do epidídimo

Orquiectomia em carneiros: o que fazer após a exposição dos testículos?   Artigos CPT

Precisando estudar sobre castração de carneiros, mais especificamente após a exposição completa dos testículos a serem removidos? Pois bem, vamos lá: após a exposição, separe, em uma das mãos, o ducto deferente e o cordão espermático para facilitar a ruptura do mesórquio e do ligamento da cauda do epidídimo.

“Utilize uma tesoura para facilitar o procedimento e após a ruptura, faça a divulsão da túnica vaginal, empurrando-a para cima, a fim de expor o cordão espermático e facilitar a realização da ligadura”, explica Guilherme Costa Fausto, professor do Curso CPT Cirurgia de Grandes Animais. 


Divulsão da túnica vaginal e utilização da pinça de doyen para manter a túnica afastada do cordão

Fotos: Divulsão da túnica vaginal e utilização da pinça de doyen para manter a túnica afastada do cordão.

Depois de realizar a divulsão, prenda a túnica vaginal com uma pinça de doyen, fechando apenas uma cremallera, para que o tecido permaneça separado. Desse modo, é possível realizar a ligadura com segurança.

A ligadura deve ser dupla, feita com fio Catgut 4-0, com:


• 1 nó duplo;
• 2 nós simples.

Atenção:
É importante apertar os nós da ligadura de modo bem firme, até que o tecido ao redor do fio fique pálido.

Ligadura em cordão espermático de carneiro

Foto: Ligadura em cordão espermático de carneiro.

Após fazer a primeira ligadura, cruze os fios atrás do cordão espermático e faça uma nova ligadura em região proximal à primeira. Dessa maneira, a segunda ligadura é feita sem haver necessidade de cortar o fio. Novamente, na segunda ligadura, são feitos um nó duplo e dois nós simples.

Duas ligaduras proximais feitas durante orquiectomia em carneiro   Artigos CPT

Foto: Duas ligaduras proximais feitas durante orquiectomia em carneiro.

As duas ligaduras proximais devem formar uma “barriguinha” ou saliência com o nó de sutura. Essa característica proporciona maior segurança ao procedimento cirúrgico e evita que a ligadura falhe ou venha a se soltar durante o período pós-operatório. Depois de fazer a ligadura dupla, corte o excedente de fios. Agora já é possível remover o primeiro testículo. Após remover o primeiro testículo, retire a pinça de doyen, devagar, e confira se não há sangramento. Em seguida, repetiremos os mesmos procedimentos para remoção do segundo testículo do carneiro, contudo, nessa etapa, a técnica de hemostasia será feita com aparelho emasculador.

Atenção:
Na remoção do segundo testículo, utilizaremos o emasculador para fazer a hemostasia.

Gostou do assunto? Saiba mais na(s) matéria(s) abaixo:


- Orquiectomia equina: ruptura do mesórquio e ligamento da cauda do epidídimo

Quer saber mais sobre o Curso? Dê Play no vídeo abaixo:


 

Conheça os Cursos CPT da área Medicina Veterinária.
Por Silvana Teixeira.

Deixe seu comentário

Avise-me, por e-mail, a respeito de novos comentários sobre esta matéria.

O CPT garante a você 100% de segurança e
confidencialidade em seus dados pessoais e e-mail.
Seu comentário foi enviado com sucesso!

Informamos que a resposta será publicada o mais breve possível, assim que passar pela moderação.

Obrigado pela sua participação.

Últimos Artigos

Artigos Mais Lidos

Fique por dentro das novidades!