Resultados da busca para "tipo-de-infra-estrutura-na-construcao-de-curral"

Como se estrutura um conto infantil

A estrutura do conto é também um fator importante. Existem ótimos contos modernos que não correspondem à estrutura tradicional (introdução, desenvolvimento, clímax e conclusão), com sequências cronológicas, porém, ao menos no começo, é preferível escolher contos que tenham essa estrutura tradicional, até que o contador tenha pleno domínio técnico da narração, para constituir o ritmo e as marcações próprios de um conto moderno. A palavra conto é aqui utilizada em sentido amplo: conto, relato, mito, lenda, fábula, crônica.

Curral de manejo: o que é e para que serve?

O curral de manejo compreende a área cercada onde os bovinos chegam e ficam à espera de entrarem no local onde serão contidos para realização dos determinados procedimentos. Esse curral pode ser cercado por diferentes tipos de material, sendo os mais comumente empregados as réguas de madeira presas a esteios de madeira ou de cordoalhas presas a esteios de concreto.

Inseminação artificial em bovinos - curral de manejo

O curral de manejo dos bovinos a serem inseminados compreende à área cercada onde estes chegam e ficam à espera de entrarem no local onde serão contidos para realização dos respectivos procedimentos de inseminação artificial. Esse curral pode ser cercado por diferentes tipos de material, como as réguas de madeira presas a esteios de madeira ou de cordoalhas presas a esteios de concreto.

Inseminação artificial em bovinos - seringa, tronco de contenção e sala de apoio

A seringa é uma estrutura que normalmente é composta de várias réguas de madeira, fixadas em angulação variável com o tamanho do próprio curral de manejo de bovinos. Em outras palavras, a seringa é o local de afunilamento da cerca, em um dos cantos do curral de manejo, para fazer o gado entrar mais rapidamente. Essa estrutura conduz bois e vacas ao tronco coletivo ou ao embarcadouro. Entretanto, deve apresentar a área na forma de um trapézio, com um dos lados retos, ou semicircular, ou ainda se apresentar como ¾ de círculo, evitando, com isso, que os bovinos se comprimam para entrar no tronco.

Lógica de programação: top-down, modularização, estruturas de controle, confiabilidade, manutenibilidade e Portugol

Na programação estruturada, ao desenvolvermos um algoritmo, temos como objeto um produto final: o programa. Todavia, para termos essa transição, passamos por várias fases, no sentido cima para baixo, onde cada fase é documentada, e principalmente obtida por "refinamento" da fase anterior, até chegarmos a um nível de detalhamento que permita implementar o algoritmo diretamente na linguagem de programação. Este é o desenvolvimento top-down.

Cabeamento estruturado - características da sala de equipamentos

De forma geral, na infraestrutura de cabeamento estruturado deve existir somente uma sala de equipamentos para cada empresa, principalmente quando se considera que essa empresa ocupa somente um prédio. Por outro lado, quando se considera um edifício comercial, compartilhado com várias empresas, cada uma dessas empresas deverá possuir a sua própria sala de equipamentos, que deve ser localizada dentro das dependências da empresa. Devido ao fato de ser um local de acesso restrito, onde ficam todos os servidores da empresa e equipamentos de telecomunicações, nunca devem ser utilizados espaços comuns no edifício para instalar a sala de equipamentos, mesmo que a empresa ocupe um prédio inteiro.

Construção de estruturas para produção de peixes

O cultivo de peixes é constituído, basicamente, por três fases: a alevinagem, a recria, e a engorda, sendo que cada uma delas corresponde a um tipo específico de piscicultura. Para que cada fase seja bem conduzida, é necessário que o piscicultor conheça as formas de manejo e os cuidados que cada uma dessas etapas requer, visando manter as condições adequadas para o desenvolvimento dos peixes.

Produção de mudas ornamentais - estruturas para a implantação do viveiro

Um viveiro de mudas ornamentais deverá possuir, pelo menos, quatro áreas para a produção. São elas: área de semeio, área de enraizamento, área de estoque e área de espera. Dependendo do grau de organização e do objetivo, pode-se ter, ainda, uma quinta área que seria para exposição e comercialização. Para as plantas que se reproduzem via semente, temos as alternativas de semeá-las diretamente em recipientes ou em leitos de semeadura. Estes podem ser apenas canteiros preparados no nível do solo ou bancadas e estruturas com alturas de cerca de 70 cm, com uso de bandejas especiais ou tubetes de plástico rígido.

Como montar e operar um açougue - butique de carnes

De tempos para cá, a estrutura das casas de carnes tradicionais estão sendo bruscamente modificadas. Atualmente, sua estrutura física mais se parece com uma loja, uma butique, do que com o velho e tão conhecido açougue. Hoje elas são projetadas para valorizar as características dos produtos, em um ambiente convidativo e receptivo ao consumidor e o varejo soube se adaptar, e muito bem, aos novos tempos. O bom comerciante, sempre atento ao mundo moderno, sabe que um cliente é diferente do outro, nos gostos e hábitos, nas preferências e necessidades. O que esses clientes têm em comum é a opção pela qualidade dos produtos e do atendimento e por conta disto, está aprimorando sua prestação de serviços cada vez mais.

Cupins subterrâneos: métodos de controle

Os cupins subterrâneos só podem ser controlados evitando-se a sua entrada na estrutura. O tratamento do solo deve ser feito ao redor da estrutura infestada, junto aos seus alicerces e em áreas que contenham vãos estruturais (espaços vazios, frestas, canalizações hidráulicas e outros), procedimento este denominado de barreira química, que é fundamental para o controle de cupins subterrâneos.

Atendimento Online
Quer Facilidade