Tratos culturais que mais contribuem para a produtividade do café conilon

Adubação disponibiliza nutrientes em quantidades adequadas e equilibradas para atender às exigências nutricionais

Nos cultivos que estão na fase de produção, a análise foliar fornece indicações sobre o estado nutricional das plantas.

Nos cultivos que estão na fase de produção, a análise foliar fornece indicações sobre o estado nutricional das plantas.

A adubação do cafeeiro é uma das práticas que mais contribui para o acréscimo da produtividade.  Embora outros fatores, tais como variedade adequada, espaçamento, poda, irrigação, manejo do solo, controle fitossanitário, entre outros, também, sejam fundamentais para o sucesso do cultivo.

A adubação racional consiste em disponibilizar para a planta nutrientes em quantidades adequadas e equilibradas para atender às exigências nutricionais. As etapas da adubação compreendem a análise do solo, seguida pela correção da acidez e pela aplicação do adubo. As novas variedades de café Conilon são selecionadas para promover alto potencial produtivo, que por sua vez apresentam maior capacidade de extração de nutrientes do solo.

De acordo com o professor, Romário Gava Ferrão, no curso Como Produzir Café Conilon, projetado pelo CPT – Centro de Produções Técnicas para ser agregado aos cursos de Cafeicultura, “antes do plantio do cafezal é preciso coletar uma amostragem do solo para a análise dos níveis de fertilidade e, desse modo, efetuar as devidas correções, como a aplicação de calcário e a  recomendação das adubações”.

Cada área a ser amostrada deve apresentar características uniformes, sendo observados principalmente relevo, cor, textura, drenagem, histórico da área e cobertura vegetal. “De cada área, recomenda-se retirar uma amostra composta, formada por quinze a vinte subamostras, coletadas na camada de zero a 20 cm de profundidade”, explica Ferrão, pesquisador da INCAPER - Instituto Capixaba de Pesquisa, Assistência Técnica e Extensão Rural.

Em lavouras já instaladas, as amostragens devem ser feitas na faixa de solo onde são aplicados os adubos e corretivos. A cada dois anos, retira-se amostras compostas, na profundidade de 20 a 40 cm, tendo em vista a correção da acidez subsuperficial.

Nos cultivos que estão na fase de produção, a análise foliar fornece indicações sobre o estado nutricional das plantas. Nessa etapa é realizado a divisão da área em talhões uniformes. Essa  amostragem deverá ser feita no período da manhã, na fase de crescimento e granação dos frutos.

No pós-plantio, é feita a adubação de cobertura, que deve ser aplicada quando o solo estiver úmido, durante as chuvas/irrigações e após o pegamento das mudas. Nesse trato cultural, divide-se as doses de nitrogênio e potássio.

Por: Ariádine Morgan

Deixe seu comentário

Avise-me, por e-mail, a respeito de novos comentários sobre esta matéria.

O CPT garante a você 100% de segurança e confidencialidade em seus dados pessoais e e-mail.
Seu comentário foi enviado com sucesso!

Informamos que a resposta será publicada o mais breve possível, assim que passar pela moderação.

Obrigado pela sua participação.

Comentários

Fabiano Gomes de Castro Rodrigues

18/11/2013

Boa tarde, gostaria de saber, a respeito da amostra da terra parra análise do solo. Quando tem dois bloco de café, quantas amostra eu preciso tirar para a fazer análise em cada bloco. E qual os lugares no meio do café ?

Resposta do Portal Cursos CPT

08/12/2016

Olá, Fabiano!

Agradecemos sua visita e comentário em nosso site.

Antes do plantio do cafezal, deve-se efetuar a amostragem do solo para análise dos níveis de fertilidade e, deste modo, efetuar as devidas correções como a aplicação de calcário e a recomendação das adubações. Cada área a ser amostrada deve apresentar caracter?iticas uniformes, observando principalmente relevo, cor, textura, drenagem, histórico da área e cobertura vegetal. De cada área recomenda-se retirar uma amostra composta, formada por quinze a vinte subamostras, coletadas na camada de 0 a 20 cm de profundidade.

Em lavouras já instaladas, as amostragens devem ser feitas na faixa de solo onde são aplicados os adubos e corretivos. A cada dois anos, deve-se retirar amostras compostas, na profundidade de 20 a 40 cm, tendo em vista a correção da acidez subsuperficial.

Atenciosamente,

Ana Carolina dos Santos

marivaldo oliveira de almeida

06/11/2012

Como faço para receber o livro como produzir cafe conilon.

Resposta do Portal Cursos CPT

08/12/2016

Olá, Marivaldo!

Nossas consultoras entrarão em contato para mais informações sobre o Curso Como Produzir Café Conilon.

Atenciosamente,

Ana Carolina dos Santos

Cursos Relacionados

Curso Colheita, Preparo e Armazenagem de Café Curso Colheita, Preparo e Armazenagem de Café

Com Prof. Dr. Juarez de Souza e Silva

R$ 298,00 à vista ou em até 10x de R$ 29,80 sem juros no cartão + frete

Saiba mais
Curso Produção de Café Orgânico Curso Produção de Café Orgânico

Com Prof. Ivan Caixeta

R$ 298,00 à vista ou em até 10x de R$ 29,80 sem juros no cartão + frete

Saiba mais
Curso Como Produzir Café Conilon Curso Como Produzir Café Conilon

Com Prof. Aureliano Nogueira, Prof. Aymbiré Almeida, Prof. Jose Ventura e outros

R$ 258,00 à vista ou em até 10x de R$ 25,80 sem juros no cartão + frete

Saiba mais
Curso Passo a Passo para se Obter Café de Qualidade Curso Passo a Passo para se Obter Café de Qualidade

Com Prof. Dr. Daniel Marçal de Queiroz, Prof. Dr. Francisco de Assis Carvalho Pinto e Prof. Dr. Mauri Martins Teixeira

R$ 298,00 à vista ou em até 10x de R$ 29,80 sem juros no cartão + frete

Saiba mais

Mais Notícias sobre diversas áreas do conhecimento

Últimos

Mais Lidos

Atendimento Online
Quer Facilidade