WhatsApp SAC (31) 98799-0134 WhatsApp Vendas (31) 99294-0024 Ligamos para Você Central de Vendas (31) 3899-7000
0

Seu carrinho está vazio

Clique aqui para ver mais cursos.

Rotação de cultura é uma das principais armas contra doenças do algodoeiro

As culturas mais indicadas para o programa de rotação são amendoim, girassol e milho, pois alcançam bons preços no mercado

 

As principais doenças do algodão são a mancha de ramulária, a ramulose, o mofo branco e os nematóides.

 

O produtor de algodão precisa estar bem atento ao manejo e aos controles preventivos. A maioria das doenças não tem controle curativo e, dependendo do patógeno, as perdas podem chegar a mais de 80%. Grande parte dos que afetam a cultura não é sensível aos produtos químicos ou aos outros tipos de medida curativa.

Uma vez que a doença se instala no algodoeiro, não há muito que fazer e as perdas podem ser quase totais. Por isso, as armas do produtor não são as aplicações químicas mas, sim, o planejamento, o manejo e a rotação de culturas, como explica Nelson Dias Suassuna, pesquisador da Embrapa Algodão.

“Infelizmente, nem todos os produtores seguem as táticas corretas de manejo e o resultado é que têm a sua área produtiva reduzida gradativamente. Uma vez instalada a doença no algodoeiro, o produtor deve plantar outras culturas e esperar para que no futuro ele possa voltar a plantar algodão naquela área. Por isso, a rotação de cultivos é importante”, alerta Suassuna.

As principais doenças do algodão são mancha de ramulária, a ramulose, o mofo branco e os nematóides. De acordo com Patrícia Tristão, tutora do Portal de Informação do CPT – Centro de Produções Técnicas, “as culturas mais indicadas para o programa de rotação são amendoim, girassol e milho, pois essas alcançam bons preços no mercado. Deve-se ressaltar, também, que os objetivos de uma agricultura sustentável é o desenvolvimento de sistemas agrícolas que sejam produtivos, conservem os recursos naturais e protejam o ambiente”.

Nessa perspectiva, as práticas culturais e de manejo, como a rotação de culturas, o plantio direto, e as práticas conservacionistas, são muito aceitáveis, pois além de controlarem a erosão do solo e as perdas de nutrientes, mantêm e/ou melhoram a produtividade.

Por: Ariádine Morgan

Deixe seu comentário

Avise-me, por e-mail, a respeito de novos comentários sobre esta matéria.

O CPT garante a você 100% de segurança e
confidencialidade em seus dados pessoais e e-mail.
Seu comentário foi enviado com sucesso!

Informamos que a resposta será publicada o mais breve possível, assim que passar pela moderação.

Obrigado pela sua participação.

Últimos Artigos

Artigos Mais Lidos

Fique por dentro das novidades!