Produção de biodiesel - Saiba tudo sobre o processo de craqueamento

O processo do craqueamento se dá pela quebra das moléculas do óleo vegetal e ocorre em ambientes com altas temperaturas, acima de 350ºC

O processo de craqueamento é uma das formas de se produzir o biodiesel

Produção de biodiesel por meio do processo de craqueamento

O processo de craqueamento de óleos vegetais é conhecido há muito tempo. A primeira vez que foi feito o craqueamento, ou pirólise, foi no século XIX. Especialmente como combustível, foram feitos estudos nas décadas de 1920 e 1930. Durante a Segunda Guerra Mundial, os chineses produziram combustível a partir do craqueamento do óleo de Tungue, um vegetal produzido em grande quantidade na China.

O processo de craqueamento
O processo de craqueamento consiste na quebra das moléculas do óleo vegetal, levando à formação de uma mistura de compostos químicos, com propriedades muito semelhantes às do diesel de petróleo, podendo ser usada diretamente em motores convencionais. Essa reação é realizada a altas temperaturas, acima de 350ºC, na presença ou ausência de catalisador.

Pesquisas sobre o craqueamento
Desde 2001, a equipe de pesquisadores do Laboratório de Materiais e Combustíveis – LMC - do Instituto de Química da Universidade de Brasília tem estudado o processo de craqueamento. Esse projeto se iniciou dentro de uma parceria da UnB com a Embrapa, justamente, para desenvolver um processo que pudesse ser levado para comunidades isoladas, fazendas e cooperativas, para tornar o agricultor autossuficiente de energia, ou seja, ele vai produzir a energia que vai usar em seus tratores e veículos, a partir de óleos vegetais, que, muitas vezes, estarão disponíveis na fazenda ou na região.

 

Durante os trabalhos de pesquisa, foi desenvolvido um protótipo que permite a produção de biodiesel em pequena escala, em um volume de 500L por dia. Outra questão que está sendo trabalhada é o desenvolvimento de novos catalisadores que permitem obter produto de melhor qualidade.

 

Além disso, estão sendo estudadas todas as potenciais fontes de óleo que existem no Brasil: fontes tradicionais, como soja, girassol, mamona; fontes alternativas, como nativas da Região Amazônica e do Centro-Oeste e, também, resíduos agroindustriais como gorduras animais.

 

Na fase inicial das pesquisas, o craqueamento térmico, ou pirólise dos óleos, é feito em um aparelho de destilação. O óleo é colocado dentro de um balão e aquecido em uma manta elétrica. Vapores começam a ser formados quando o óleo atinge temperatura próxima de 350°C.

 

O vapor formado pelo aquecimento do óleo entra em um tubo estreito, que passa dentro de um resfriador, onde circula água fria. Com o resfriamento do tubo, ocorre a condensação do vapor. O líquido resultante escorre para um recipiente. Este líquido é formado por várias substâncias, que foram separadas durante o aquecimento do óleo.


Para obter o combustível a partir desse líquido, é preciso separar as substâncias que o constituem. Para isso, ele é submetido a um processo de destilação fracionada para obter quatro frações com temperaturas de destilação diferentes.

Primeiro, coleta-se o líquido resultante da destilação, em temperatura inferior a 80°C, formado por substâncias mais leves, de menor peso molecular.

Depois, trocando-se o frasco, recolhe-se a fração que vaporiza em temperaturas entre 80 e 140°C. Depois, na fração de 140 a 200°C e, por último, na fração com temperatura acima de 200° C. Essa quarta fração, que contém substâncias mais densas, constitui o óleo combustível propriamente dito.

Depois de a equipe ter dominado o processo de obtenção de combustível pelo craqueamento em laboratório, foi iniciado o projeto de uma planta baixa, para produção em pequena escala, que possibilita a produção de até 5,0 L por batelada. O óleo vegetal ou a gordura e o catalisador são colocados no reator e aquecidos em temperatura de 350°C.

O aquecimento em altas temperaturas provoca a quebra do triglicérides, gerando a mistura de hidrocarbonetos, que vai sair do reator e passar para um segundo reator, onde haverá a presença de catalisadores (leito de catalisador), que irão melhorar a qualidade do combustível formado.

Por fim, o vapor é condensado em um trocador de calor, com uma serpentina e, ao final, obtém-se o biodiesel.

A partir dos resultados promissores obtidos, a equipe projetou e desenvolveu uma planta baixa, ou microusina, para craqueamento térmico de óleos vegetais.

Confira mais informações sobre o assunto no curso Produção do Biodiesel na Fazenda, elaborado pelo CPT – Centro de Produções Técnicas.

Conheça também os outros cursos da área de Biocombustíveis.

Cursos Relacionados

Curso Produção de Álcool Combustível na Fazenda Curso Produção de Álcool Combustível na Fazenda

Com Prof. Dr. Juarez de Souza e Silva

R$ 428,00 à vista ou em até 12x de R$ 35,67 sem juros no cartão

Frete Grátis 2 ou mais Cursos
Saiba mais
Curso Produção de Óleos Essenciais Curso Produção de Óleos Essenciais

Com Prof. Dr. Antônio Lelis Pinheiro

R$ 428,00 à vista ou em até 12x de R$ 35,67 sem juros no cartão

Frete Grátis 2 ou mais Cursos
Saiba mais
Curso Produção de Biodiesel na Fazenda Curso Produção de Biodiesel na Fazenda

Com Prof. Paulo Anselmo

R$ 338,00 à vista ou em até 12x de R$ 28,17 sem juros no cartão

Frete Grátis 2 ou mais Cursos
Saiba mais
Curso Cultivo de Pinhão-Manso para Produção de Biodiesel Curso Cultivo de Pinhão-Manso para Produção de Biodiesel

Com Prof. Nagashi Tominaga

R$ 425,00 à vista ou em até 12x de R$ 35,42 sem juros no cartão

Frete Grátis 2 ou mais Cursos
Saiba mais
Curso Produção de Óleo Vegetal Comestível e Biocombustível Curso Produção de Óleo Vegetal Comestível e Biocombustível

Com Prof. Edson Perez Guerra e Prof. Werner Fuchs

R$ 425,00 à vista ou em até 12x de R$ 35,42 sem juros no cartão

Frete Grátis 2 ou mais Cursos
Saiba mais
Curso Cultivo e Processamento de Coco Macaúba para Produção de Biodiesel Curso Cultivo e Processamento de Coco Macaúba para Produção de Biodiesel

Com Prof. Dr. Ângelo Mirisola

R$ 398,00 à vista ou em até 12x de R$ 33,17 sem juros no cartão

Frete Grátis 2 ou mais Cursos
Saiba mais

Deixe seu comentário

Avise-me, por e-mail, a respeito de novos comentários sobre esta matéria.

O CPT garante a você 100% de segurança e confidencialidade em seus dados pessoais e e-mail.
Seu comentário foi enviado com sucesso!

Informamos que a resposta será publicada o mais breve possível, assim que passar pela moderação.

Obrigado pela sua participação.

Mais Notícias sobre diversas áreas do conhecimento

Últimos

Mais Lidos

Atendimento Online
Quer Facilidade