WhatsApp SAC (31) 98799-0134 WhatsApp Vendas (31) 99294-0024 Ligamos para Você Ligue Agora (31) 3899-7000
0

Seu carrinho está vazio

Clique aqui para ver mais cursos.

Preço do açaí médio bate recorde no Pará

Produto nativo do estado possui base extrativista e familiar

 

 O açaí tem feito muito sucesso no Brasil e no mundo como alimento energético e na indústria cosmética. Foto: reprodução.

O açaí produzido e comercializado no Pará atingiu preço recorde este ano, apresentando alta acumulada de 25% de janeiro a maio. O açaí médio, tipo mais consumido, atingiu o valor de R$ 12,80. Segundo o Departamento Intersindical de Estatística e Estudos Socioeconômicos (Dieese), a alta aconteceu por causa do período de entressafra e do constante aumento da demanda em todo o país.

É comum, nesta época do ano, os preços subirem acima da média, representando um verdadeiro recorde. Os preços começaram a aumentar depois que intermediários começaram a comercializar o açaí nativo do Pará para outros estados. A fruta se popularizou e a demanda cresceu bastante, contribuindo ainda mais para o aumento dos preços.

Além de ser usado na alimentação, fazendo sucesso como um energético natural, o açaí também foi introduzido com sucesso na indústria cosmética. Inclusive passou a ser exportado para outros países. De acordo com o Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE), o Brasil produziu cerca de 124 mil toneladas de açaí em 2010, quando foi feito o último levantamento. Só o Pará foi responsável por 107 mil toneladas, 87% da produção nacional. Aproximadamente 70% do que é produzido no estado é consumido por ele. Outros 20% são exportados para os demais estados e 10% é para o exterior.

O açaí é um dos produtos incluídos no Plano Nacional de Promoção das Cadeias de Produtos da Sociobiodiversidade (PNPSB), criado em 2009. O programa do governo federal pretende valorizar e incentivar as atividades extrativas e produtivas sustentáveis, realizadas por comunidades tradicionais e agricultores familiares.

Por causa do programa, o governo estuda um reajuste do preço mínimo do açaí em 8% já para o mês de julho. O valor mínimo pago aos extrativistas passaria de R$ 0,83 o litro para R$ 0,90. Todos os participantes do programa têm direito a um benefício, sempre que o preço do mercado for inferior ao preço mínimo.

Por: Maria Clara Corsino.

Deixe seu comentário

Avise-me, por e-mail, a respeito de novos comentários sobre esta matéria.

O CPT garante a você 100% de segurança e
confidencialidade em seus dados pessoais e e-mail.
Seu comentário foi enviado com sucesso!

Informamos que a resposta será publicada o mais breve possível, assim que passar pela moderação.

Obrigado pela sua participação.

Últimos Artigos

Artigos Mais Lidos

Fique por dentro das novidades!