Ovo ajuda a prevenir doenças

Quantidades moderadas de ovo combatem anemia e doenças do coração

 

Os ovos são fontes de ferro, zinco, vitaminas A, E e do complexo B. Foto: DeviantART.

Talvez você já esteja cansado das divergências a respeito do ovo. Algumas vezes, ele faz bem, em outros momentos, ele faz mal. Pesquisas científicas já divulgaram resultados sobre os riscos oferecidos pelo ovo à saúde, como o aumento do colesterol, enquanto outras atestam os benefícios do alimento na cura e na prevenção de várias doenças. Mas, enfim, ele é mocinho ou vilão?

De concreto, o que muitos nutricionistas afirmam é que o ovo pode ser os dois, dependendo da quantidade ingerida e do modo de preparo. De fato, isso vale para quase todos os alimentos. Não existe nenhum deles que seja totalmente ruim ou que faça milagres para a saúde.

O ovo é rico em selênio, zinco, vitaminas E e A, do complexo B, ácido fólico e ferro. Os primeiros ajudam a prevenir o envelhecimento, enquanto as vitaminas do complexo B, o ácido fólico e o ferro são importantes para ajudar mulheres que desejam engravidar, fortalece o sistema imunológico e combate à anemia.

As quantidades desses nutrientes podem variar de acordo com o animal de origem do ovo (de galinha, pato ou codorna, por exemplo). Além disso, os nutrientes e a quantidade de cada um também varia na gema e na clara. A primeira é rica em betacarotenos, que ajudam a prevenir contra doenças cardíacas e oculares. Já a clara contém albumina, proteína que auxilia na perda de gordura e no ganho de massa magra.

Muitas das pesquisas publicadas afirmam que o problema do ovo é a gema, pois é nela que se localiza o colesterol. No entanto, outras comprovaram que a quantidade de colesterol não é grande o bastante para causar grandes danos ao organismo se comparado à perda dos benefícios adquiridos com a ingestão dos nutrientes que ela possui.

Enquanto isso, a clara, apontada como saudável, pode se tornar um problema se ingerida em grandes quantidades. Muitos suplementos alimentares que são feitos de albumina podem causar problemas no fígado e nos rins, que não conseguem processar a grande quantidade da proteína. Ou seja, o melhor é consumir o ovo inteiro, em quantidades moderadas e regulares, cozido ou em receitas mais leves. O ovo frito deve ser evitado, pois, além do colesterol comum do ovo, ele ainda possui gorduras saturadas por conta da fritura.

Por: Maria Clara Corsino.

Deixe seu comentário

Avise-me, por e-mail, a respeito de novos comentários sobre esta matéria.

O CPT garante a você 100% de segurança e confidencialidade em seus dados pessoais e e-mail.
Seu comentário foi enviado com sucesso!

Informamos que a resposta será publicada o mais breve possível, assim que passar pela moderação.

Obrigado pela sua participação.

Cursos Relacionados

Curso Codornas - Iniciando a Criação Curso Codornas - Iniciando a Criação

Com Prof. Dr. Joji Ariki e Prof.ª Dr.ª Vera Moraes

R$ 398,00 à vista ou em até 12x de R$ 33,17 sem juros no cartão

Frete Grátis 2 ou mais Cursos
Saiba mais
Curso Galinhas Poedeiras - Produção e Comercialização de Ovos Curso Galinhas Poedeiras - Produção e Comercialização de Ovos

Com Prof. Dr. Júlio Puppa

R$ 475,00 à vista ou em até 12x de R$ 39,58 sem juros no cartão

Frete Grátis 2 ou mais Cursos
Saiba mais

Mais Notícias sobre diversas áreas do conhecimento

Últimos

Mais Lidos