WhatsApp SAC (31) 98799-0134 WhatsApp Vendas (31) 99294-0024 Ligamos para Você Central de Vendas (31) 3899-7000
0

Seu carrinho está vazio

Clique aqui para ver mais cursos.

O design agrega valor e qualidade aos móveis

O conhecimento desse conceito é fundamental para qualquer marceneiro

Há três estilos de móveis: eclético, clássico e contemporâneo.

A qualidade do design também determina o valor do produto, ou seja, não é apenas o tipo de matéria-prima, a decisão dos processos de fabricação e o acabamento que agregam valor à uma peça de mobília. A aparência do móvel tem enorme influência em sua valorização comercial.
                                                       
Design significa plano ou projeto. Para a marcenaria, arquitetura, engenharia e outros campos do conhecimento, a palavra é definida como esforço criativo, por meio do qual se projetam utensílios, vestimentas, ambientes, entre outros. Por ser um conceito muito amplo, também pode ser definido como a qualidade do projeto em relação à utilidade, forma, estrutura e beleza.

O profissional dessa área é chamado de designer, ou seja, projetista. Na fabricação de móveis, o designer é, geralmente, um arquiteto especializado em ambientes e mobília. Seu objetivo é aliar alta qualidade, conforto, durabilidade, praticidade, beleza e exclusividade ao móvel. Isso é o que define e difere a mobília feita sob encomenda daquela produzida em escala industrial.

O professor Osvaldo Gomes, no curso Projetos e Fabricação de Móveis, desenvolvido pelo CPT – Centro de Produções Técnicas, afirma que “o conhecimento desses conceitos é fundamental para qualquer marceneiro, pois, na marcenaria agrega-se muito valor ao produto fabricado quando se tem um design de boa qualidade”.

No Brasil, os móveis com toque nacional começaram a ser desenhados na segunda metade do século XX, quando surgiram as formas cônicas, os pés-palito e as cores vibrantes. Só então o país passou a ter seu próprio estilo.

Entre eles, o eclético, que é caracterizado pela madeira maciça, entalhamento e uso de pedras e vidros transparentes. O clássico apresenta linhas típicas, madeira de tonalidade escura e metais cromados. Já o contemporâneo, têm como principais características superfícies limpas, sem detalhes, uso de MDF e puxadores cromados de linhas retas.

Deixe seu comentário

Avise-me, por e-mail, a respeito de novos comentários sobre esta matéria.

O CPT garante a você 100% de segurança e
confidencialidade em seus dados pessoais e e-mail.
Seu comentário foi enviado com sucesso!

Informamos que a resposta será publicada o mais breve possível, assim que passar pela moderação.

Obrigado pela sua participação.

Últimos Artigos

Fique por dentro das novidades!